Fechar
Publicidade

Sábado, 6 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Paulo Nobre fala em arbitragem 'vergonhosa' na final

Divulgação  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


26/11/2015 | 08:31


O presidente do Palmeiras, Paulo Nobre, resolveu vir a público para protestar contra a arbitragem de Luiz Flávio de Oliveira e Marcelo Aparecido de Souza, que não marcaram um pênalti em Lucas Barrios e expulsaram o lateral-direito Lucas no primeiro jogo da final da Copa do Brasil, na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro. Segundo o dirigente, o clube vai protestar oficialmente, embora sem escândalos.

"Em três anos como presidente, acho que vocês já se acostumaram, vocês nunca me viram comentando arbitragem. Se você me perguntar, [vou dizer que] o Palmeiras foi vergonhosamente prejudicado. Futebol não é basquete, onde saem 100 pontos. Um gol pode fazer total diferença. No começo do segundo tempo, o Palmeiras teria um pênalti e o Santos um jogador a menos. O Santos mereceu a vitória, poderia até ter feito mais de um gol, mas futebol é assim. O Palmeiras poderia ter tido um pênalti. Não acredito em desonestidade. Acredito em falta de preparo e de experiência e critério", disse o presidente.

O dirigente se refere a um lance no segundo tempo, no qual Barrios recebeu lançamento em profundidade e, quando se preparava para finalizar em gol cara a cara com o goleiro santista, foi tocado pelo zagueiro David Braz. Se tivesse marcado a falta, o juiz poderia ter expulsado o defensor santista, por ser o último homem.

Nobre explicou que pretende fazer um protesto formal. "O Palmeiras não fica dando escândalo em público. Achamos mais efetivo fazer um DVD e mandar à Comissão de Arbitragem. O Palmeiras fez isso sempre que se sentiu prejudicado e não será diferente nesta partida", afirmou.

O presidente palmeirense se disse surpreso com a atuação de Luiz Flávio de Oliveira, substituído no decorrer da segunda etapa por Marcelo Aparecido de Souza, após reclamar de problema físico. "Não posso dizer que foi uma arbitragem caseira. Foi uma arbitragem de um árbitro experiente, por isso me assustou muito esse erro. Um pênalti e uma expulsão e o resultado seria completamente outro", completou.

A entrevista coletiva do dirigente foi realizada em um apertado vestiário dos visitantes da Vila Belmiro. Visivelmente incomodado com a situação, Nobre se esquivou e evitou fazer críticas ao estádio santista. "Eu prefiro que vocês comentem isso. Acho muito deselegante comentar qualquer coisa em relação à casa do adversário", completou.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Paulo Nobre fala em arbitragem 'vergonhosa' na final


26/11/2015 | 08:31


O presidente do Palmeiras, Paulo Nobre, resolveu vir a público para protestar contra a arbitragem de Luiz Flávio de Oliveira e Marcelo Aparecido de Souza, que não marcaram um pênalti em Lucas Barrios e expulsaram o lateral-direito Lucas no primeiro jogo da final da Copa do Brasil, na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro. Segundo o dirigente, o clube vai protestar oficialmente, embora sem escândalos.

"Em três anos como presidente, acho que vocês já se acostumaram, vocês nunca me viram comentando arbitragem. Se você me perguntar, [vou dizer que] o Palmeiras foi vergonhosamente prejudicado. Futebol não é basquete, onde saem 100 pontos. Um gol pode fazer total diferença. No começo do segundo tempo, o Palmeiras teria um pênalti e o Santos um jogador a menos. O Santos mereceu a vitória, poderia até ter feito mais de um gol, mas futebol é assim. O Palmeiras poderia ter tido um pênalti. Não acredito em desonestidade. Acredito em falta de preparo e de experiência e critério", disse o presidente.

O dirigente se refere a um lance no segundo tempo, no qual Barrios recebeu lançamento em profundidade e, quando se preparava para finalizar em gol cara a cara com o goleiro santista, foi tocado pelo zagueiro David Braz. Se tivesse marcado a falta, o juiz poderia ter expulsado o defensor santista, por ser o último homem.

Nobre explicou que pretende fazer um protesto formal. "O Palmeiras não fica dando escândalo em público. Achamos mais efetivo fazer um DVD e mandar à Comissão de Arbitragem. O Palmeiras fez isso sempre que se sentiu prejudicado e não será diferente nesta partida", afirmou.

O presidente palmeirense se disse surpreso com a atuação de Luiz Flávio de Oliveira, substituído no decorrer da segunda etapa por Marcelo Aparecido de Souza, após reclamar de problema físico. "Não posso dizer que foi uma arbitragem caseira. Foi uma arbitragem de um árbitro experiente, por isso me assustou muito esse erro. Um pênalti e uma expulsão e o resultado seria completamente outro", completou.

A entrevista coletiva do dirigente foi realizada em um apertado vestiário dos visitantes da Vila Belmiro. Visivelmente incomodado com a situação, Nobre se esquivou e evitou fazer críticas ao estádio santista. "Eu prefiro que vocês comentem isso. Acho muito deselegante comentar qualquer coisa em relação à casa do adversário", completou.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;