Fechar
Publicidade

Sábado, 11 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Sto.André concluirá conjunto em setembro

Andréa Iseki/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Prefeitura entrega primeiros 380 apartamentos do Guaratinguetá


Vanessa de Oliveira
Do Diário do Grande ABC

04/07/2014 | 07:00


A Prefeitura de Santo André concluirá em setembro a entrega das unidades habitacionais que compõem o Conjunto Guaratinguetá, localizado no Jardim Alzira Franco e que atende a famílias do reassentamento dos núcleos Espírito Santo e Centreville. Na manhã de ontem, a administração andreense entregou os primeiros 380 apartamentos, de um total de 880, construídos com recursos do Programa Minha Casa, Minha Vida, da União (R$ 32,3 milhões), e parceria com o Casa Paulista, do governo do Estado (R$ 7,6 milhões).

A solenidade contou com a participação do prefeito Carlos Grana (PT) e da ministra de Planejamento, Orçamento e Gestão, Miriam Belchior, além de interatividade com a presidente Dilma Rousseff (PT) que, por meio de videoconferência, falou com prefeitos de 11 cidades em todo o País que entregavam, simultaneamente, casas do programa.

“As outras 500 unidades estão praticamente prontas, na fase de conclusão de toda a documentação dos contratos para a remoção das famílias. Pretendemos até setembro concluir esse trabalho com os moradores do núcleo”, disse Grana, lembrando que a área a ser desocupada está localizada sobre lixão e será incorporada ao aterro sanitário do município, ampliando sua capacidade.

O chefe do Executivo destacou ainda que apresentou ao governo federal a possibilidade de construir mais 3.800 unidades. “Temos 19 terrenos definidos, a Caixa Econômica Federal já aprovou a grande maioria e a novidade é que em alguns desses empreendimentos haverá elevador.”

Com área privativa de 49,25 metros quadrados, os apartamentos do Guaratinguetá são compostos de dois quartos, sacada, área de circulação, sala, cozinha, banheiro e área de serviço, contando com piso cerâmico em todos os ambientes, além de 12 unidades adaptadas para portadores de necessidades especiais.

“Vi o olhar dessas famílias brilhando de felicidade e orgulho por realizar o sonho da casa própria”, salientou a ministra, que durante a tarde esteve em São Bernardo. No município assinou contrato para a construção de 560 unidades habitacionais no bairro Montanhão para famílias reassentadas pelo projeto de urbanização integrada Silvina/Audi.

O autônomo Fábio Flávio Souza Correia, 25 anos, acompanhado da mulher e do casal de filhos pequenos, recebeu as chaves de sua moradia no Guaratinguetá ontem, “O auge na vida de um pai de família é conseguir uma casa para os seus filhos serem criados.”

Em um ano e meio de gestão Grana, foram entregues 1.300 unidades habitacionais no município.

Se o governo federal exalta o Minha Casa, Minha Vida como o maior programa habitacional da história do País, o presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil, Haroldo Pinheiro, não vê a ação como benefício. Ele frisa que os empreendimentos estão localizados em bairros periféricos, distantes da malha dotada de infraestrutura e mercado de trabalho, agravando problemas urbanos e sociais. “Os prefeitos, ao receberem verbas do Minha Casa, Minha Vida, devem pensar no futuro de suas comunidades, não fechar os olhos para a proliferação de anomalias urbanas, seduzidos por inaugurações imediatistas de obras com a presença de altas autoridades. Mais que quantidade, o programa precisa trazer qualidade.” 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Sto.André concluirá conjunto em setembro

Prefeitura entrega primeiros 380 apartamentos do Guaratinguetá

Vanessa de Oliveira
Do Diário do Grande ABC

04/07/2014 | 07:00


A Prefeitura de Santo André concluirá em setembro a entrega das unidades habitacionais que compõem o Conjunto Guaratinguetá, localizado no Jardim Alzira Franco e que atende a famílias do reassentamento dos núcleos Espírito Santo e Centreville. Na manhã de ontem, a administração andreense entregou os primeiros 380 apartamentos, de um total de 880, construídos com recursos do Programa Minha Casa, Minha Vida, da União (R$ 32,3 milhões), e parceria com o Casa Paulista, do governo do Estado (R$ 7,6 milhões).

A solenidade contou com a participação do prefeito Carlos Grana (PT) e da ministra de Planejamento, Orçamento e Gestão, Miriam Belchior, além de interatividade com a presidente Dilma Rousseff (PT) que, por meio de videoconferência, falou com prefeitos de 11 cidades em todo o País que entregavam, simultaneamente, casas do programa.

“As outras 500 unidades estão praticamente prontas, na fase de conclusão de toda a documentação dos contratos para a remoção das famílias. Pretendemos até setembro concluir esse trabalho com os moradores do núcleo”, disse Grana, lembrando que a área a ser desocupada está localizada sobre lixão e será incorporada ao aterro sanitário do município, ampliando sua capacidade.

O chefe do Executivo destacou ainda que apresentou ao governo federal a possibilidade de construir mais 3.800 unidades. “Temos 19 terrenos definidos, a Caixa Econômica Federal já aprovou a grande maioria e a novidade é que em alguns desses empreendimentos haverá elevador.”

Com área privativa de 49,25 metros quadrados, os apartamentos do Guaratinguetá são compostos de dois quartos, sacada, área de circulação, sala, cozinha, banheiro e área de serviço, contando com piso cerâmico em todos os ambientes, além de 12 unidades adaptadas para portadores de necessidades especiais.

“Vi o olhar dessas famílias brilhando de felicidade e orgulho por realizar o sonho da casa própria”, salientou a ministra, que durante a tarde esteve em São Bernardo. No município assinou contrato para a construção de 560 unidades habitacionais no bairro Montanhão para famílias reassentadas pelo projeto de urbanização integrada Silvina/Audi.

O autônomo Fábio Flávio Souza Correia, 25 anos, acompanhado da mulher e do casal de filhos pequenos, recebeu as chaves de sua moradia no Guaratinguetá ontem, “O auge na vida de um pai de família é conseguir uma casa para os seus filhos serem criados.”

Em um ano e meio de gestão Grana, foram entregues 1.300 unidades habitacionais no município.

Se o governo federal exalta o Minha Casa, Minha Vida como o maior programa habitacional da história do País, o presidente do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil, Haroldo Pinheiro, não vê a ação como benefício. Ele frisa que os empreendimentos estão localizados em bairros periféricos, distantes da malha dotada de infraestrutura e mercado de trabalho, agravando problemas urbanos e sociais. “Os prefeitos, ao receberem verbas do Minha Casa, Minha Vida, devem pensar no futuro de suas comunidades, não fechar os olhos para a proliferação de anomalias urbanas, seduzidos por inaugurações imediatistas de obras com a presença de altas autoridades. Mais que quantidade, o programa precisa trazer qualidade.” 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;