Fechar
Publicidade

Sábado, 28 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Estoques do Magazine Luiza esgotaram antes das 9h em S.Bernardo

Clientes se empolgaram com promoção e
esvaziaram prateleiras nas primeiras horas


Caroline Garcia
Do Diário do Grande ABC

10/01/2015 | 07:27


Antes das 9h de ontem, grande parte das prateleiras com liquidificadores, batedeiras e aparelhos de jantar estava praticamente limpa. Os consumidores madrugaram ou nem dormiram e foram para a fila da liquidação do Magazine Luiza no Centro de São Bernardo, que abriu as portas às 5h. A promessa era que os descontos seriam de até 70% em toda a loja. “Tínhamos mais de 800 panelas no estoque e acabou tudo em cerca de duas horas. As televisões também sumiram rapidinho”, afirmou o gerente da unidade, Cléber Pinheiro.

“Cheguei à meia-noite na fila e já tinham cerca de 100 pessoas na minha frente. Não consegui dormir, mas valeu porque os preços estavam bons. Levei uma geladeira de R$ 2.100 por R$ 1.699 e uma televisão de 40 polegadas de R$ 1.300 por R$ 1.100”, contou a costureira são-bernardense Francisca da Silva Saldanha, 65 anos, que foi acompanhada das duas filhas adolescentes.

Como os próprios clientes ficam responsáveis por fazer o transporte das mercadorias no dia do saldão, o problema de Francisca era encontrar um carreto. “Os carros não têm lugar para nós três. Vamos todas amontoadas mesmo, uma no colo da outra.” O preço médio do trajeto até seu bairro, no Jardim do Lago, também em São Bernardo, era de R$ 60.

O comerciante Pedro Antonino, 26, mal sabia o que a mulher havia separado no carrinho. “Ela passou a madrugada na fila, escolheu as mercadorias, foi trabalhar e me deixou na outra fila para pagar.” Entre as compras do morador de Santo André havia uma cadeira infantil para carro, uma panela de pressão, um vaporizador e artigos de cozinha. “Acredito que devo gastar uns R$ 600, mas nada que vá prejudicar o orçamento.”

Quem também madrugou na fila para as compras foi a vendedora de São Bernardo Thaís Alves da Silva, 22. Seu cansaço era notável por quem andasse pela loja. Debruçada sobre o recém-comprado micro-ondas, além de duas cafeteiras e uma frigideira, e sentada em uma das poltronas do mostruário, o sono a venceu. “Fui dormir à 1h e cheguei às 4h na fila, mal deitei e já tenho que ir direto para o trabalho, virada mesmo.” Enquanto Thaís descansava como podia, o marido enfrentava outra fila, a do caixa. “Era para eu estar tomando conta das compras e acabei dormindo em cima delas. Mas não aconteceu nada, então meu marido nem precisa ficar sabendo”, disse.


Consumidores se queixam de descontos em loja de Santo André

Por volta das 4h45 de ontem, a vendedora de São Caetano Maria Cristiana Alves, 28 anos, já havia completado 22 horas de espera e era a primeira da fila da liquidação do Magazine Luiza do Centro de Santo André. A expectativa era grande para às 5h, quando as portas se abririam. “Fiz uma lista com 23 itens entre geladeira, fogão, máquina de lavar, câmera fotográfica, brinquedos. Já contratei até o carreto e espero gastar uns R$ 6.000”, disse ela, que já havia dado entrevista ao Diário na noite de quinta-feira.

Duas horas depois, no entanto, o cansaço bateu e a situação mudou. A vontade de mobiliar de novo a casa após 11 anos não pareceu ser tão importante assim. “Não separei tudo o que eu queria, pois a geladeira custava mais de R$ 3.000 e, o fogão, R$ 1.500. E os descontos não estavam tão bons. Isso desanimou. É um tapa na cara do cliente. Dá vontade de sair da fila e ir embora sozinha com o carreto”, desabafou. Maria Cristiana comprou TV de 32 polegadas por R$ 800, colchão por R$ 550, espremedor de frutas por R$ 100, mesmo preço do jogo de panelas, três panelas de pressão a R$ 10 cada, câmera digital por R$ 760, bonecas Barbie por R$ 30 e Monster High por R$ 40. “Gastei R$ 2.800 e estimo ter economizado uns R$ 600”, disse. “Eu paguei juros do parcelamento, pois aqueles valores anunciados eram só para pagamento à vista.”

Mesmo assim, a vendedora afirma que voltará na edição do ano que vem. “Mas não vou chegar tão cedo.”

A dona de casa Maria Vanessa Soares da Silva, 21, de Santo André, chegou na fila por volta de meia-noite e meia de ontem com o filho de 9 meses no carrinho e mais seis integrantes da família só para esperar a promoção. “Algumas coisas, como a cama boxe e o faqueiro, não estão muito em conta e vou dar uma pesquisada em outros lugares, mas estou levando uma máquina de lavar e uma chapinha por R$ 1.700.” Na loja, uma lavadora com capacidade para 11 quilos, por exemplo, um dos modelos mais baratos no local, foi de R$ 1.390 para R$ 779.

Apesar de a maioria dos compradores ter em mãos os chamados eletrinhos, como batedeiras, liquidificadores e sanduicheiras, de acordo com o gerente da unidade, Romildo Ribeiro, a intenção principal era liquidar todo o mostruário e estoque da linha branca até as 13h, quando as portas seriam baixadas.

MENINA DOS OLHOS - Praticamente todo consumidor tinha pelo menos uma panela de pressão debaixo do braço. O preço de R$ 10 era convidativo, assim como a lancheira elétrica, o ferro a vapor e a cafeteira, que foram de R$ 49 para R$ 29.

O repositor andreense Ruan Silva Oliveira, 23, estava com quatro panelas entre os oito itens que tinha separado para comprar. “Cheguei às 18h de quinta-feira na fila com a minha mãe e era o número 36. Pelos artigos que comprei, secador, barbeador, fritadeira elétrica e ventilador, além das panelas, acho que está valendo a pena, gastei R$ 700.” 



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;