Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 20 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Comandante de submarino lamenta morte de japoneses


Das Agências

16/04/2001 | 08:48


Scott Waddle, comandante do submarino americano que se chocou contra uma embarcação pesqueira japonesa em fevereiro, disse à revista "Time" na edição desta semana, que daria sua vida para conseguir desfazer o acidente que provocou a morte de nove pessoas.

"Dei as ordens que provocaram o acidente. Daria minha própria vida, se com isso pudesse recuperar uma dessas nove vidas perdidas", disse Waddle.

O militar americano disse que, desde a colisão em 9 de fevereiro, não consegue dormir bem à noite e luta contra os pesadelos. "Não me canso de pedir perdão, mas estou cansado de chorar", afirmou.

Contrariando declarações anteriores, nas quais disse que não acreditava que a presença de 16 civis a bordo do submarino nuclear fosse um dos fatores do acidente, ele reconheceu que o fato "no mínimo, prejudicou a concentração".

Waddle assumiu total responsabilidade pela tragédia. "Não dei aos meus homens tempo suficiente para que pudessem fazer suas tarefas. Estava tão certo de minhas habilidades e do que tinha visto, que me convenci de que era seguro fazer estas manobras", disse o comandante.

Para o oficial, o único proveito que tirou desta tragédia foi o fortalecimento de sua relação com a mulher Jill. "Isto fortaleceu nossos vínculos. Em outros casamentos, isso não aconteceria".



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Comandante de submarino lamenta morte de japoneses

Das Agências

16/04/2001 | 08:48


Scott Waddle, comandante do submarino americano que se chocou contra uma embarcação pesqueira japonesa em fevereiro, disse à revista "Time" na edição desta semana, que daria sua vida para conseguir desfazer o acidente que provocou a morte de nove pessoas.

"Dei as ordens que provocaram o acidente. Daria minha própria vida, se com isso pudesse recuperar uma dessas nove vidas perdidas", disse Waddle.

O militar americano disse que, desde a colisão em 9 de fevereiro, não consegue dormir bem à noite e luta contra os pesadelos. "Não me canso de pedir perdão, mas estou cansado de chorar", afirmou.

Contrariando declarações anteriores, nas quais disse que não acreditava que a presença de 16 civis a bordo do submarino nuclear fosse um dos fatores do acidente, ele reconheceu que o fato "no mínimo, prejudicou a concentração".

Waddle assumiu total responsabilidade pela tragédia. "Não dei aos meus homens tempo suficiente para que pudessem fazer suas tarefas. Estava tão certo de minhas habilidades e do que tinha visto, que me convenci de que era seguro fazer estas manobras", disse o comandante.

Para o oficial, o único proveito que tirou desta tragédia foi o fortalecimento de sua relação com a mulher Jill. "Isto fortaleceu nossos vínculos. Em outros casamentos, isso não aconteceria".

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;