Fechar
Publicidade

Domingo, 13 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Exigência de contrapartida trava debate sobre Fatec em Sto.André

Projeto para ceder terreno ao Estado tramita na Câmara; governo tenta votar texto original


Fábio Martins
Do Diário do Grande ABC

25/06/2018 | 07:00


Eventual exigência de contrapartida ao município paralisou andamento da discussão sobre a instalação de nova unidade da Fatec (Faculdade de Tecnologia de São Paulo) em Santo André. A compensação tem sido colocada, nos bastidores, por parte da bancada de oposição ao governo do prefeito Paulo Serra (PSDB), mas a proposta, ainda preliminar, não foi formalizada. O Paço vai escalar o secretário de Desenvolvimento Econômico, Ajan Marques, para comparecer à Câmara na tentativa de avançar no projeto, e buscar a votação do texto mais perto possível do teor original.

A matéria visa a doação de terreno ao governo do Estado para a construção do equipamento, tendo como principal objetivo, de acordo com a minuta, ampliar a oferta de vagas no Ensino Superior. A área estipulada pelo Paço compreende 5.065 metros quadrados, no bairro Paraíso, perto do Hospital Mário Covas. O valor estimado do espaço é de R$ 11,3 milhões. A administração tucana articula junto à base para que o projeto seja apreciado em plenário antes do recesso parlamentar, em julho.

Em tese, a emenda parlamentar destacaria que o Estado também cedesse área para a Prefeitura, em forma de compensação. O vereador Fábio Lopes (PPS) confirmou que existe rumores de texto neste sentido. “Foi levantada essa possibilidade, mas está sendo estudado se essa cessão dependeria de autorização da Assembleia Legislativa, o que empurraria o projeto”, disse, ao considerar que proposta viável seria incluir que, ao menos, 50% das vagas sejam destinadas aos munícipes andreenses.

Paulo Serra ponderou que impor regras para a vinda do equipamento “não é a ideia” do governo. “Poderia até fazer sentido desde que não seja impeditivo para a instalação. O que nós queremos é aumentar a oferta de vagas, o que contribui para a qualificação da mão de obra, e ajuda no processo para a cidade voltar a crescer”, alegou, lembrando caso da cessão de área para construção do campus da UFABC (Universidade Federal do ABC) na cidade, em 2005. “Não houve contrapartida. Eu era vereador, na ocasião. A União e a cidade eram governadas pelo PT, mas entendíamos a importância de se ter a unidade.” 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;