Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 25 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Saída da comissão técnica não surpreendeu o Tigre

André Henriques/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Wilson Júnior, Renato Peixe e Deivid Marques assumirão o comando do Nacional para 2019


Dérek Bittencourt

26/10/2018 | 07:00


A torcida do São Bernardo foi pega de surpresa com o anúncio da saída do técnico Wilson Júnior, do auxiliar Renato Peixe e do preparador físico Deivid Marques, que acertaram com o Nacional para a temporada 2019. Entretanto, o diretor executivo Edgard Montemor Filho explicou que já esperava tal desfecho para a história.
“Era uma situação que surgiu no decorrer da Copa Paulista, só não andou porque o Wilson é profissional. Então a gente sabia que ao fim da nossa participação haveria a conversa com o Nacional. O investimento lá é muito maior do que o feito no São Bernardo”, explicou o dirigente aurinegro.

Wilson Júnior, por sua vez, acredita que este foi apenas um “até logo” ao São Bernardo, onde diz ter “portas abertas”. “É muito difícil me desvincular pela minha história e trabalho no clube. Os números estão aí. Não subimos (na Série A-2, caindo na semifinal), mas foi trabalho benfeito. Tiveram outras sondagens no meio do ano e achei que não deveria (sair), mas agora julguei ser importante, pelo projeto que me foi oferecido no Nacional. Só tenho a agradecer ao São Bernardo, que é minha casa, por quem tenho carinho imenso”, afirmou.

Agora, antes de procurar um substituto no comando técnico, o Tigre tem outras prioridades. “O planejamento passa primeiro por definir saídas e renovações de jogadores, a partir daí, ver a quantidade de atletas e posições que vamos precisar trazer. A gente pretende fechar pelo menos 90% disso até quarta-feira. E a partir daí fechar com um treinador. Internamente a gente trabalha com alguns nomes”, disse Edgard Filho.

Alguns são os quesitos que o próximo comandante são-bernardense deve atender, como perfil, gestão de atletas e esquema de jogo, entre outros. “Vamos ver quem se assemelha com essas características, com nossas possibilidades financeiras e o elenco que já temos.”

A diferença para a contratação de um treinador desta vez passa pelas dificuldades financeiras do Tigre. “Hoje não enfrentamos situação normal de trabalho, temos problemas financeiros que impedem que a gente vá atrás do perfil que realmente tem interesse. Então, em cima da realidade, precisamos definir o que vai ser melhor: experiente com histórico ou bem preparado sem experiência.” 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Saída da comissão técnica não surpreendeu o Tigre

Wilson Júnior, Renato Peixe e Deivid Marques assumirão o comando do Nacional para 2019

Dérek Bittencourt

26/10/2018 | 07:00


A torcida do São Bernardo foi pega de surpresa com o anúncio da saída do técnico Wilson Júnior, do auxiliar Renato Peixe e do preparador físico Deivid Marques, que acertaram com o Nacional para a temporada 2019. Entretanto, o diretor executivo Edgard Montemor Filho explicou que já esperava tal desfecho para a história.
“Era uma situação que surgiu no decorrer da Copa Paulista, só não andou porque o Wilson é profissional. Então a gente sabia que ao fim da nossa participação haveria a conversa com o Nacional. O investimento lá é muito maior do que o feito no São Bernardo”, explicou o dirigente aurinegro.

Wilson Júnior, por sua vez, acredita que este foi apenas um “até logo” ao São Bernardo, onde diz ter “portas abertas”. “É muito difícil me desvincular pela minha história e trabalho no clube. Os números estão aí. Não subimos (na Série A-2, caindo na semifinal), mas foi trabalho benfeito. Tiveram outras sondagens no meio do ano e achei que não deveria (sair), mas agora julguei ser importante, pelo projeto que me foi oferecido no Nacional. Só tenho a agradecer ao São Bernardo, que é minha casa, por quem tenho carinho imenso”, afirmou.

Agora, antes de procurar um substituto no comando técnico, o Tigre tem outras prioridades. “O planejamento passa primeiro por definir saídas e renovações de jogadores, a partir daí, ver a quantidade de atletas e posições que vamos precisar trazer. A gente pretende fechar pelo menos 90% disso até quarta-feira. E a partir daí fechar com um treinador. Internamente a gente trabalha com alguns nomes”, disse Edgard Filho.

Alguns são os quesitos que o próximo comandante são-bernardense deve atender, como perfil, gestão de atletas e esquema de jogo, entre outros. “Vamos ver quem se assemelha com essas características, com nossas possibilidades financeiras e o elenco que já temos.”

A diferença para a contratação de um treinador desta vez passa pelas dificuldades financeiras do Tigre. “Hoje não enfrentamos situação normal de trabalho, temos problemas financeiros que impedem que a gente vá atrás do perfil que realmente tem interesse. Então, em cima da realidade, precisamos definir o que vai ser melhor: experiente com histórico ou bem preparado sem experiência.” 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;