Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 28 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Prêmio Jabuti revela livros do ano no dia 24

Reprodução Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Lista com primeiros vencedores têm romance sobre golpe argentino e poesias de Arnaldo Antunes


Marcela Munhoz

15/11/2016 | 07:00


 Como sempre faz, o Prêmio Jabuti de Literatura deixou o anúncio dos melhores livros de ficção e não ficção para a premiação, que acontece dia 24 no Auditório Ibirapuera, em São Paulo. Os vencedores serão contemplados com R$ 35 mil cada. Nesta oportunidade, pela primeira vez, o público vai saber a obra escolhida pelos próprios leitores por meio de votação online. Estão neste perfil os livros inscritos nas categorias romance, contos & crônicas e poesia.

Por enquanto, já foi divulgada a lista com os três primeiros colocados em outras 27 categorias. Os ganhadores foram avaliados por júri indicado pelo conselho curador do prêmio. Em romance, levou a melhor A Resistência (Companhia das Letras), de Julián Fuks, com narrativa sobre como vive família na Argentina a partir do golpe de 1976. Na sequência vieram Bazar Paraná (Benvirá), de Luis S. Krausz, e Desesterro (Record), de Sheyla Smanioto.

Arnaldo Antunes, por sua vez, foi contemplado com Agora Aqui Ninguém Precisa de Si, também da Companhia das Letras, e que reúne poesias inéditas do artista. Em contos & crônicas, a melhor do ano foi a obra de Natalia Borges Polesso, Amora: Contos (Não Editora), que versa sobre as descobertas e medos nas relações homossexuais entre mulheres.

Já Cova 312 (Geração), de Daniela Arbex – a mesma autora de Holocausto Brasileiro – se destacou na categoria reportagem e documentário com a história real de como as Forças Armadas mataram pela tortura um jovem militante político, Mário de Andrade: Eu sou Trezentos: Vida e Obra (Edições de Janeiro), de Eduardo Jardim e Hamlet ou Amleto (Editora Zahar), de Rodrigo Lacerda, ganham como melhor biografia e adaptação, respectivamente. Confira a lista completa em www.premiojabuti.org.br.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Prêmio Jabuti revela livros do ano no dia 24

Lista com primeiros vencedores têm romance sobre golpe argentino e poesias de Arnaldo Antunes

Marcela Munhoz

15/11/2016 | 07:00


 Como sempre faz, o Prêmio Jabuti de Literatura deixou o anúncio dos melhores livros de ficção e não ficção para a premiação, que acontece dia 24 no Auditório Ibirapuera, em São Paulo. Os vencedores serão contemplados com R$ 35 mil cada. Nesta oportunidade, pela primeira vez, o público vai saber a obra escolhida pelos próprios leitores por meio de votação online. Estão neste perfil os livros inscritos nas categorias romance, contos & crônicas e poesia.

Por enquanto, já foi divulgada a lista com os três primeiros colocados em outras 27 categorias. Os ganhadores foram avaliados por júri indicado pelo conselho curador do prêmio. Em romance, levou a melhor A Resistência (Companhia das Letras), de Julián Fuks, com narrativa sobre como vive família na Argentina a partir do golpe de 1976. Na sequência vieram Bazar Paraná (Benvirá), de Luis S. Krausz, e Desesterro (Record), de Sheyla Smanioto.

Arnaldo Antunes, por sua vez, foi contemplado com Agora Aqui Ninguém Precisa de Si, também da Companhia das Letras, e que reúne poesias inéditas do artista. Em contos & crônicas, a melhor do ano foi a obra de Natalia Borges Polesso, Amora: Contos (Não Editora), que versa sobre as descobertas e medos nas relações homossexuais entre mulheres.

Já Cova 312 (Geração), de Daniela Arbex – a mesma autora de Holocausto Brasileiro – se destacou na categoria reportagem e documentário com a história real de como as Forças Armadas mataram pela tortura um jovem militante político, Mário de Andrade: Eu sou Trezentos: Vida e Obra (Edições de Janeiro), de Eduardo Jardim e Hamlet ou Amleto (Editora Zahar), de Rodrigo Lacerda, ganham como melhor biografia e adaptação, respectivamente. Confira a lista completa em www.premiojabuti.org.br.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;