Fechar
Publicidade

Sábado, 18 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

G-12 barra secretário de Saúde na Câmara

Convite informal faz Homero Nepomuceno sair constrangido e sem apresentar projetos do Paço


Fábio Martins
Do Diário do Grande ABC

22/03/2013 | 07:00


O secretário de Saúde de Santo André, Homero Nepomuceno, foi barrado ontem no plenário da Câmara. O governista José Montoro Filho, o Montorinho (PT), fez convite informal ao titular, sem consenso entre os 21 vereadores. Essa iniciativa do petista acirrou os ânimos dos integrantes do G-12, grupo de parlamentares da bancada contrária à gestão Carlos Grana (PT), que impediram a fala do secretário - ele aguardava por mais de uma hora e meia nos corredores da Casa.

Oposicionista, o vereador Ailton Lima (PTB) alegou que o chamamento foi ação isolada de um parlamentar, o que acarretou na atitude da bancada. Ficou acertado de convidar o secretário em outra ocasião, quando o grupo realizar vistoria em série de UBSs (Unidades Básicas de Saúde) e PAs (Pronto-Atendimento) nos próximos dias. "Depois dessa inspeção, com documentos, embasado em informações concretas e recentes, vamos elaborar requerimento para chamá-lo", disse Ailton.

Também do G-12, Almir Cicote (PSB) justificou que faltou habilidade de Montorinho ao adotar o procedimento, deixando os demais colegas de Casa à parte da discussão. "Queremos ouvir o secretário, só que não nesse momento. A gente não estava esperando hoje (ontem)", sinalizou. Com a situação constrangedora vivida por Homero, o bloco governista sustentou que a complicação na agenda com o Legislativo se deu pela prioridade dada às indicações dos parlamentares.

Homero evitou falar em postura deselegante dos vereadores da oposição. O secretário prestaria esclarecimentos da real condição encontrada na secretaria e apresentaria projetos do governo petista para o setor a curto prazo. "Iríamos colocar conjunto de propostas planejadas até o mês de junho, não longínquos, traçando metas com prazos delimitados. Diante dessa explanação, eles (parlamentares) poderiam nos cobrar pelo cumprimento."

O titular de Saúde avisou que não vê problema em comparecer novamente na Casa, quando solicitado, mas alfinetou os vereadores ao propor que não haja apenas denuncismo. "Se verificarem deficiências, problemas de manutenção e trouxerem propostas para soluções, tudo certo, vai dentro da minha linha. Mas se pautarem só em discussões políticas menores, não avança." Homero está desprestigiado. Em recente audiência pública, somente a petista Bete Siraque compareceu ao evento.

 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

G-12 barra secretário de Saúde na Câmara

Convite informal faz Homero Nepomuceno sair constrangido e sem apresentar projetos do Paço

Fábio Martins
Do Diário do Grande ABC

22/03/2013 | 07:00


O secretário de Saúde de Santo André, Homero Nepomuceno, foi barrado ontem no plenário da Câmara. O governista José Montoro Filho, o Montorinho (PT), fez convite informal ao titular, sem consenso entre os 21 vereadores. Essa iniciativa do petista acirrou os ânimos dos integrantes do G-12, grupo de parlamentares da bancada contrária à gestão Carlos Grana (PT), que impediram a fala do secretário - ele aguardava por mais de uma hora e meia nos corredores da Casa.

Oposicionista, o vereador Ailton Lima (PTB) alegou que o chamamento foi ação isolada de um parlamentar, o que acarretou na atitude da bancada. Ficou acertado de convidar o secretário em outra ocasião, quando o grupo realizar vistoria em série de UBSs (Unidades Básicas de Saúde) e PAs (Pronto-Atendimento) nos próximos dias. "Depois dessa inspeção, com documentos, embasado em informações concretas e recentes, vamos elaborar requerimento para chamá-lo", disse Ailton.

Também do G-12, Almir Cicote (PSB) justificou que faltou habilidade de Montorinho ao adotar o procedimento, deixando os demais colegas de Casa à parte da discussão. "Queremos ouvir o secretário, só que não nesse momento. A gente não estava esperando hoje (ontem)", sinalizou. Com a situação constrangedora vivida por Homero, o bloco governista sustentou que a complicação na agenda com o Legislativo se deu pela prioridade dada às indicações dos parlamentares.

Homero evitou falar em postura deselegante dos vereadores da oposição. O secretário prestaria esclarecimentos da real condição encontrada na secretaria e apresentaria projetos do governo petista para o setor a curto prazo. "Iríamos colocar conjunto de propostas planejadas até o mês de junho, não longínquos, traçando metas com prazos delimitados. Diante dessa explanação, eles (parlamentares) poderiam nos cobrar pelo cumprimento."

O titular de Saúde avisou que não vê problema em comparecer novamente na Casa, quando solicitado, mas alfinetou os vereadores ao propor que não haja apenas denuncismo. "Se verificarem deficiências, problemas de manutenção e trouxerem propostas para soluções, tudo certo, vai dentro da minha linha. Mas se pautarem só em discussões políticas menores, não avança." Homero está desprestigiado. Em recente audiência pública, somente a petista Bete Siraque compareceu ao evento.

 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;