Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 21 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Avenida dos Estados fica às escuras


Luciano Cavenagui
Do Diário do Grande ABC

28/09/2005 | 08:22


Moradores de Mauá e pessoas que trabalham na cidade reclamam que, há pelo menos dois anos, não está funcionando a iluminação de postes localizados entre os números 8.000 e 10.000 da avenida dos Estados, trecho que abrange, o supermercado Walt Mart, na divisa com Santo André, e a Petroquímica União. As reclamações mais comuns são que a escuridão facilita a atuação de assaltantes e favorece a incidência de acidentes de trânsito.

O serralheiro Wellington Eduardo Silva, 20 anos, afirma que passa quase todos o dias pelo trecho da avenida dos Estados localizado em Mauá. No total, são 16 postes apagados, cada um contendo duas luminárias.

"Faz pelo menos dois anos que, à noite, aqui fica tudo um breu só. Por causa do meu trabalho, tenho de passar pelo local várias vezes. Pela falta de iluminação, já vi diversos acidentes de trânsito. Se fosse mais iluminado, acho que esses acidentes não iriam ocorrer", contou o serralheiro, morador do bairro Itapark.

A opinião é compartilhada pelo advogado Eduardo Müller Nunes, 31 anos, que reside em Santo André e trabalha numa empresa em Mauá. "Essa situação é simplesmente absurda. Não sei porque a Prefeitura de Mauá demora tanto para fazer a iluminação funcionar. O risco de roubo é muito grande, especialmente nos semáforos", disse o advogado.

"Na semana passada, se eu não tivesse prestando muita atenção no movimento, iria ser mais uma vítima da criminalidade na região. Estava parado com meu carro em um semáforo. Um ladrão em uma moto se aproximou do meu vidro. Percebi que era um roubo, acelerei rápido e escapei. Sei que, talvez, tenha sido uma atitude arriscada. Mas não queria ser assaltado", afirmou Nunes.

O vendedor de cocos Dogival Moreira Gomes, 36 anos, contou que já perdeu a conta dos acidentes de trânsito que presenciou no trecho de escuridão. "Um motorista vai ultrapassar outro e acaba não vendo direito o carro, principalmente aqueles que andam com luzes baixas", disse.

"Também já fui assaltado duas vezes, nos últimos três meses, durante a noite. Por isso, quando começa a escurecer, guardo minhas coisas e vou embora. Não quero correr mais riscos", disse o vendedor.

A Secretaria Municipal de Serviços Urbanos de Mauá informou que a escuridão ocorre porque os cabos de energia elétrica que alimentam as luminárias foram furtados no ano passado.

A assessoria informou que foi feito um pedido de orçamento de reposição do material para empresas especializadas. Acrescenta que esse orçamento estará pronto dentro de 15 dias e que, só então, terá a previsão de reposição dos cabos e, conseqüentemente, a iluminação restabelecida.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Avenida dos Estados fica às escuras

Luciano Cavenagui
Do Diário do Grande ABC

28/09/2005 | 08:22


Moradores de Mauá e pessoas que trabalham na cidade reclamam que, há pelo menos dois anos, não está funcionando a iluminação de postes localizados entre os números 8.000 e 10.000 da avenida dos Estados, trecho que abrange, o supermercado Walt Mart, na divisa com Santo André, e a Petroquímica União. As reclamações mais comuns são que a escuridão facilita a atuação de assaltantes e favorece a incidência de acidentes de trânsito.

O serralheiro Wellington Eduardo Silva, 20 anos, afirma que passa quase todos o dias pelo trecho da avenida dos Estados localizado em Mauá. No total, são 16 postes apagados, cada um contendo duas luminárias.

"Faz pelo menos dois anos que, à noite, aqui fica tudo um breu só. Por causa do meu trabalho, tenho de passar pelo local várias vezes. Pela falta de iluminação, já vi diversos acidentes de trânsito. Se fosse mais iluminado, acho que esses acidentes não iriam ocorrer", contou o serralheiro, morador do bairro Itapark.

A opinião é compartilhada pelo advogado Eduardo Müller Nunes, 31 anos, que reside em Santo André e trabalha numa empresa em Mauá. "Essa situação é simplesmente absurda. Não sei porque a Prefeitura de Mauá demora tanto para fazer a iluminação funcionar. O risco de roubo é muito grande, especialmente nos semáforos", disse o advogado.

"Na semana passada, se eu não tivesse prestando muita atenção no movimento, iria ser mais uma vítima da criminalidade na região. Estava parado com meu carro em um semáforo. Um ladrão em uma moto se aproximou do meu vidro. Percebi que era um roubo, acelerei rápido e escapei. Sei que, talvez, tenha sido uma atitude arriscada. Mas não queria ser assaltado", afirmou Nunes.

O vendedor de cocos Dogival Moreira Gomes, 36 anos, contou que já perdeu a conta dos acidentes de trânsito que presenciou no trecho de escuridão. "Um motorista vai ultrapassar outro e acaba não vendo direito o carro, principalmente aqueles que andam com luzes baixas", disse.

"Também já fui assaltado duas vezes, nos últimos três meses, durante a noite. Por isso, quando começa a escurecer, guardo minhas coisas e vou embora. Não quero correr mais riscos", disse o vendedor.

A Secretaria Municipal de Serviços Urbanos de Mauá informou que a escuridão ocorre porque os cabos de energia elétrica que alimentam as luminárias foram furtados no ano passado.

A assessoria informou que foi feito um pedido de orçamento de reposição do material para empresas especializadas. Acrescenta que esse orçamento estará pronto dentro de 15 dias e que, só então, terá a previsão de reposição dos cabos e, conseqüentemente, a iluminação restabelecida.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;