Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 20 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Campeão em 2003, Ferreira acredita no bi do Santo André

Banco de Dados  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Técnico ressalta qualidades do time vencedor da Copa Estado e espera por outro título diante do Botafogo, no domingo, em Ribeirão Preto


Thiago Bassan
Do Diário do Grande ABC

27/11/2014 | 07:00


Considerado por muitos o melhor técnico da história do Santo Andre, Luiz Carlos Ferreira, o Ferreirão, era o treinador justamente quando o Ramalhão conquistou pela única vez a Copa Paulista. Em 2003, a equipe se sagrou campeã do torneio, então chamado de Mauro Ramos de Oliveira, após vencer o Ituano por 4 a 1, no Bruno Daniel.

Onze anos depois, o técnico ressalta quais eram as principais qualidades daquela equipe e espera que o grupo atual tenha o time campeão como espelho.

“O Santo André campeão da Copinha em 2003 era um time que tinha alma, carinho. Todos superavam as próprias dificuldades para jogar no clube. E nos momentos decisivos, nós sempre apostamos nos jovens. Lembro que tinha um jogador naquela equipe, o atacante Anderson Careca, que veio da várzea. Demos uma lapidada e ele acabou sendo o destaque naquele momento”, disse Ferreira.

Um dos maiores diferenciais da equipe campeã, segundo o treinador, era o fator psicológico. Segundo Ferreira, algumas reuniões com os jogadores tiveram mais utilidade do que propriamente os treinamentos.

O técnico revelou um desses encontros, após o time perder o primeiro jogo para o Ituano por 1 a 0, em Itu. “Chegamos para aquela decisão contagiados pelo acesso. (O time havia sido vice-campeão da Série C naquele ano, justamente perdendo para o Ituano). Mas perdemos o primeiro jogo. Então, os jogadores tiveram uma palestra motivacional com a Hortência (ex-jogadora de basquete). Eles acreditaram que era possível ser campeões. Sabíamos da força do Ituano, que era um timaço. Mas conseguimos impôr nosso futebol e conquistar o título”, ressaltou.

Confiante de que o Santo André possa voltar a levantar a taça, Ferreira destacou o meio campo do atual time como a principal força para sair com o título no domingo.

“Vi alguns jogos do Santo André na Copa Paulista. O time tem meio campo muito bom, qualificado. Além de um bom contra-ataque. São jogadores que aliam experiência à qualidade. Além de ter no banco excelente treinador. O Ivan (Izzo) foi meu jogador. E sempre teve personalidade forte, ajudava nas informações, nos detalhes das partidas. Não ficava no banco sem fazer nada, sempre participava ativamente”, recordou Ferreira.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Campeão em 2003, Ferreira acredita no bi do Santo André

Técnico ressalta qualidades do time vencedor da Copa Estado e espera por outro título diante do Botafogo, no domingo, em Ribeirão Preto

Thiago Bassan
Do Diário do Grande ABC

27/11/2014 | 07:00


Considerado por muitos o melhor técnico da história do Santo Andre, Luiz Carlos Ferreira, o Ferreirão, era o treinador justamente quando o Ramalhão conquistou pela única vez a Copa Paulista. Em 2003, a equipe se sagrou campeã do torneio, então chamado de Mauro Ramos de Oliveira, após vencer o Ituano por 4 a 1, no Bruno Daniel.

Onze anos depois, o técnico ressalta quais eram as principais qualidades daquela equipe e espera que o grupo atual tenha o time campeão como espelho.

“O Santo André campeão da Copinha em 2003 era um time que tinha alma, carinho. Todos superavam as próprias dificuldades para jogar no clube. E nos momentos decisivos, nós sempre apostamos nos jovens. Lembro que tinha um jogador naquela equipe, o atacante Anderson Careca, que veio da várzea. Demos uma lapidada e ele acabou sendo o destaque naquele momento”, disse Ferreira.

Um dos maiores diferenciais da equipe campeã, segundo o treinador, era o fator psicológico. Segundo Ferreira, algumas reuniões com os jogadores tiveram mais utilidade do que propriamente os treinamentos.

O técnico revelou um desses encontros, após o time perder o primeiro jogo para o Ituano por 1 a 0, em Itu. “Chegamos para aquela decisão contagiados pelo acesso. (O time havia sido vice-campeão da Série C naquele ano, justamente perdendo para o Ituano). Mas perdemos o primeiro jogo. Então, os jogadores tiveram uma palestra motivacional com a Hortência (ex-jogadora de basquete). Eles acreditaram que era possível ser campeões. Sabíamos da força do Ituano, que era um timaço. Mas conseguimos impôr nosso futebol e conquistar o título”, ressaltou.

Confiante de que o Santo André possa voltar a levantar a taça, Ferreira destacou o meio campo do atual time como a principal força para sair com o título no domingo.

“Vi alguns jogos do Santo André na Copa Paulista. O time tem meio campo muito bom, qualificado. Além de um bom contra-ataque. São jogadores que aliam experiência à qualidade. Além de ter no banco excelente treinador. O Ivan (Izzo) foi meu jogador. E sempre teve personalidade forte, ajudava nas informações, nos detalhes das partidas. Não ficava no banco sem fazer nada, sempre participava ativamente”, recordou Ferreira.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;