Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 1 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

São Caetano traz ‘carrascos’ para disputa da Série C

André Henriques/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Algozes do Azulão na Série A-2, Melinho e Renato Peixe assinam com o clube até o fim do torneio


Thiago Bassan
Do Diário do Grande ABC

24/04/2014 | 06:30


Para retornar à Série B do Campeonato Brasileiro, competição que disputou nos últimos sete anos, o São Caetano resolveu inovar. E a diretoria aposta em dois carrascos do clube na Série A-2 do Campeonato Paulista para alcançar o objetivo: o lateral-esquerdo Renato Peixe e o meia Melinho, apresentados oficialmente ontem no Azulão.
Peixe marcou um dos gols da vitória por 3 a 1 do Santo André no clássico válido pela última rodada da competição. Melinho, por sua vez, foi autor de um dos tentos do triunfo de seu ex-clube, o Capivariano, por 2 a 1, pela décima rodada.
Apesar do bom retrospecto contra o Azulão, ambos sonham em repetir o feito, mas desta vez a favor do novo time. “Isso precisa mudar (risos). Espero fazer meus gols agora a favor do São Caetano, dar sequência às boas atuações que tive em outros clubes e colocar o time de volta na Série B do Brasileiro”, disse Peixe. “O que a gente fez pelo Capivariano é passado. Agora vamos pensar na Série C e buscar este acesso tão desejado pelo clube’, destacou Melinho.

Ambos os jogadores assinaram com o clube até o fim da Série C. Mas Renato Peixe faz parte de um acordo com o Santo André e, logo após o fim da competição, retorna ao rival. O jogador, inclusive, atingiu marca inédita: nenhum jogador havia vestido a camisa dos três maiores clubes em atividade no Grande ABC – já havia defendido o São Bernardo.

“Todo jogador quer ter na carreira um marco desses. Fico feliz pelo reconhecimento do meu trabalho. Quero representar esta camisa com a maior qualidade possível. Os três clubes são bastante parecidos em termos de estrutura, nenhum deixa nada a desejar”, comentou.

Peixe vai encontrar ambiente bastante conhecido no Azulão. Isso porque o clube trouxe dois jogadores que atuaram com ele no Santo André (Ângelo e Ramalho). Outro ex-ramalhino ainda será apresentado hoje (Cacá), além do técnico Vilson Tadei.

“Sempre é bom trabalhar com jogadores conhecidos. E o estilo do (Vilson) Tadei me agrada bastante. Ele é bastante experiente, conhece a Série C e vem se modernizando a cada campeonato. Tem um estilo ofensivo, mas sem deixar de cuidar da marcação. Seus times sempre jogam bonito, para frente, por isso ele tem sucesso por onde passa”, analisou o lateral.

Antes de atuar pelo Capivariano, Melinho jogou no União Barbarense em 2012, quando por pouco não veio ao Azulão. Mas a maior parte de sua carreira foi fora do País. O meia atuou na Espanha, Grécia, Ucrânia, República Tcheca, Eslováquia e Irã. “A gente aprende muito jogando fora, principalmente em relação à cultura e à forma de jogar em diferentes países”, comentou o jogador.  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

São Caetano traz ‘carrascos’ para disputa da Série C

Algozes do Azulão na Série A-2, Melinho e Renato Peixe assinam com o clube até o fim do torneio

Thiago Bassan
Do Diário do Grande ABC

24/04/2014 | 06:30


Para retornar à Série B do Campeonato Brasileiro, competição que disputou nos últimos sete anos, o São Caetano resolveu inovar. E a diretoria aposta em dois carrascos do clube na Série A-2 do Campeonato Paulista para alcançar o objetivo: o lateral-esquerdo Renato Peixe e o meia Melinho, apresentados oficialmente ontem no Azulão.
Peixe marcou um dos gols da vitória por 3 a 1 do Santo André no clássico válido pela última rodada da competição. Melinho, por sua vez, foi autor de um dos tentos do triunfo de seu ex-clube, o Capivariano, por 2 a 1, pela décima rodada.
Apesar do bom retrospecto contra o Azulão, ambos sonham em repetir o feito, mas desta vez a favor do novo time. “Isso precisa mudar (risos). Espero fazer meus gols agora a favor do São Caetano, dar sequência às boas atuações que tive em outros clubes e colocar o time de volta na Série B do Brasileiro”, disse Peixe. “O que a gente fez pelo Capivariano é passado. Agora vamos pensar na Série C e buscar este acesso tão desejado pelo clube’, destacou Melinho.

Ambos os jogadores assinaram com o clube até o fim da Série C. Mas Renato Peixe faz parte de um acordo com o Santo André e, logo após o fim da competição, retorna ao rival. O jogador, inclusive, atingiu marca inédita: nenhum jogador havia vestido a camisa dos três maiores clubes em atividade no Grande ABC – já havia defendido o São Bernardo.

“Todo jogador quer ter na carreira um marco desses. Fico feliz pelo reconhecimento do meu trabalho. Quero representar esta camisa com a maior qualidade possível. Os três clubes são bastante parecidos em termos de estrutura, nenhum deixa nada a desejar”, comentou.

Peixe vai encontrar ambiente bastante conhecido no Azulão. Isso porque o clube trouxe dois jogadores que atuaram com ele no Santo André (Ângelo e Ramalho). Outro ex-ramalhino ainda será apresentado hoje (Cacá), além do técnico Vilson Tadei.

“Sempre é bom trabalhar com jogadores conhecidos. E o estilo do (Vilson) Tadei me agrada bastante. Ele é bastante experiente, conhece a Série C e vem se modernizando a cada campeonato. Tem um estilo ofensivo, mas sem deixar de cuidar da marcação. Seus times sempre jogam bonito, para frente, por isso ele tem sucesso por onde passa”, analisou o lateral.

Antes de atuar pelo Capivariano, Melinho jogou no União Barbarense em 2012, quando por pouco não veio ao Azulão. Mas a maior parte de sua carreira foi fora do País. O meia atuou na Espanha, Grécia, Ucrânia, República Tcheca, Eslováquia e Irã. “A gente aprende muito jogando fora, principalmente em relação à cultura e à forma de jogar em diferentes países”, comentou o jogador.  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;