Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 20 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Vaca louca não afetará importação pelo Japão



25/04/2012 | 03:02


Um novo caso da doença conhecida como "vaca louca" nos EUA não deve afetar a decisão do Japão sobre a possibilidade de aliviar as restrições à importação de bovinos dos Estados Unidos, disse nesta quarta-feira o secretário chefe de gabinete, Osamu Fujimura, entrevistado pela agência Kyodo.

 

Fujimura, o principal porta-voz do governo, afirmou que o Japão acredita que não haja necessidade de tomar novas medidas contra a importação de carne dos EUA, uma vez que a vaca infectada com encefalopatia espongiforme bovina, na Califórnia, tinha mais de 30 meses.

 

O Japão tem considerado relaxar as restrições que atualmente só permitem a importação de bovinos do EUA com até 20 meses de vida para até 30 meses. O Departamento de Agricultura dos EUA confirmou o quarto caso da doença de vaca louca nesta terça-feira, o primeiro desde 2006.

 

Tóquio proibiu as importações de carne dos Estados Unidos e Canadá em 2003, após a confirmação da doença. Entretanto, o governo japonês retirou a proibição em dezembro de 2005, mas impôs condições que incluem o limite para importação de bovinos com até 20 meses de vida.

 

Após este caso de vaca louca na Califórnia, dois grandes varejistas sul-coreanos suspenderam nesta quarta-feira as vendas de carnes dos EUA. Lotte Mart disse que as vendas tinham sido interrompidas em suas 95 lojas devido às "preocupações dos consumidores." A Home Plus, unidade local da Tesco do Reino Unido, tomou medidas semelhantes.

 

De acordo com um pacto bilateral, Seul só importa bovinos dos EUA com idade inferior a 30 meses.

 

A Coreia do Sul importou 107 mil toneladas de carne bovina dos EUA no ano passado, 37% do total das importações da carne, de acordo com o Ministério da Agricultura do país asiático. As informações são da Dow Jones.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Vaca louca não afetará importação pelo Japão


25/04/2012 | 03:02


Um novo caso da doença conhecida como "vaca louca" nos EUA não deve afetar a decisão do Japão sobre a possibilidade de aliviar as restrições à importação de bovinos dos Estados Unidos, disse nesta quarta-feira o secretário chefe de gabinete, Osamu Fujimura, entrevistado pela agência Kyodo.

 

Fujimura, o principal porta-voz do governo, afirmou que o Japão acredita que não haja necessidade de tomar novas medidas contra a importação de carne dos EUA, uma vez que a vaca infectada com encefalopatia espongiforme bovina, na Califórnia, tinha mais de 30 meses.

 

O Japão tem considerado relaxar as restrições que atualmente só permitem a importação de bovinos do EUA com até 20 meses de vida para até 30 meses. O Departamento de Agricultura dos EUA confirmou o quarto caso da doença de vaca louca nesta terça-feira, o primeiro desde 2006.

 

Tóquio proibiu as importações de carne dos Estados Unidos e Canadá em 2003, após a confirmação da doença. Entretanto, o governo japonês retirou a proibição em dezembro de 2005, mas impôs condições que incluem o limite para importação de bovinos com até 20 meses de vida.

 

Após este caso de vaca louca na Califórnia, dois grandes varejistas sul-coreanos suspenderam nesta quarta-feira as vendas de carnes dos EUA. Lotte Mart disse que as vendas tinham sido interrompidas em suas 95 lojas devido às "preocupações dos consumidores." A Home Plus, unidade local da Tesco do Reino Unido, tomou medidas semelhantes.

 

De acordo com um pacto bilateral, Seul só importa bovinos dos EUA com idade inferior a 30 meses.

 

A Coreia do Sul importou 107 mil toneladas de carne bovina dos EUA no ano passado, 37% do total das importações da carne, de acordo com o Ministério da Agricultura do país asiático. As informações são da Dow Jones.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;