Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 4 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Croácia vence, confirma liderança do Grupo D e elimina a Islândia da Copa

VADIM GHIRDA/ASSOCIATED PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


26/06/2018 | 16:58


Uma das sensações desta Copa do Mundo, a Islândia parou pelo caminho e foi eliminada na fase de grupos na Rússia. Nesta terça-feira, a estreante precisava vencer a classificada Croácia em Rostov para sonhar com a vaga nas oitavas, mas foi derrotada por 2 a 1 e viu cair por terra o sonho de avançar no torneio. Melhor para os croatas, que mantiveram os 100% de aproveitamento e confirmaram a liderança do Grupo D.

Justamente por já ter garantido a vaga, a Croácia entrou com um time misto, sem nomes como Subasic, Vrsaljko, Rakitic e Mandzukic. A Islândia acumulou chances perdidas no primeiro tempo, viu o adversário abrir o placar na etapa final e ainda buscou a igualdade, mas esbarrou na falta de qualidade técnica quando se lançou ao ataque em busca do gol salvador e ainda foi castigada no fim.

Melhor para os croatas, que mesmo sem boa parte de suas estrelas e desinteressados, mostraram muito mais recursos. Encerraram a primeira fase como líderes do Grupo D, com nove pontos, e vão encarar a Dinamarca na próxima fase. Já os islandeses deixam a Rússia após encantarem com seu estilo aguerrido e a apaixonada torcida.

Mesmo precisando da vitória, a Islândia entrou em campo com a clara proposta de não fugir de suas características. Com muita marcação, disciplina tática, mas nenhuma criatividade, a seleção só foi chutar pela primeira vez com mais de 25 minutos. Até então, dava a bola para a Croácia, que chegou a ter mais de 70% de posse.

Coincidência ou não, a postura islandesa mudou quando Messi abriu o placar para a Argentina no jogo paralelo. Precisando ainda mais dos gols, o time deixou a defesa e, na marra, passou a incomodar. Aos 29, o primeiro verdadeiro susto em falta cobrada por Sigurdsson, que parou em Kalinic.

Nos minutos finais, a insistência da Islândia gerou chance atrás de chance. Aos 39, Finnbogason aproveitou cochilo de Badelj na saída, roubou e tabelou com Sigurdsson antes de bater colocado, rente à trave. Aos 45, Bjarnasson aproveitou sobra de escanteio e carimbou a defesa. E no minuto seguinte, Kalinic fez grande defesa em finalização da entrada da área de Halldorsson.

Apática no primeiro tempo, a Croácia voltou mais ligada do intervalo, o que transformou a partida. Logo aos seis, Badelj assustou em chute de fora da área que acertou o travessão. Um minuto mais tarde, ele mesmo marcou. Pivaric aproveitou sobra pelo lado esquerdo, invadiu a área e cruzou, a bola desviou na defesa e sobrou para o meia, que finalizou para a rede.

O gol não tirou o ânimo da Islândia, que seguiu insistindo, ainda tendo a bola aérea como grande força. Aos nove, Ingasson aproveitou bate-rebate na área e cabeceou para outra boa defesa de Kalinic. Um minuto mais tarde, o mesmo zagueiro subiu sozinho após escanteio para a área e testou no travessão.

Depois do ímpeto inicial e diante das chances perdidas, a Islândia diminuiu o ritmo. Heimir Hallgrimsson, então, colocou o atacante Sigurdarson na vaga do zagueiro Ragnar Sigurdsson. Imediatamente, o time voltou a atacar e perdeu boa chance aos 27, quando Finnbogason avançou pela direita e cruzou para Bjarnason, que chegou um pouco atrasado.

Aos 29, Sigurdsson recebeu pela esquerda, tentou o cruzamento e a bola tocou no braço de Lovren. O árbitro marcou pênalti, que o mesmo meia finalizou para deixar tudo igual. Ainda faltava um para a Islândia, o que deixou o jogo franco mais uma vez. Mas os islandeses não aguentaram o ritmo e viram os croatas criarem as principais chances nos minutos finais. Até que, aos 44, Perisic recebeu na esquerda, invadiu a área e bateu cruzado para a rede, acabando de vez com o sonho do adversário.

FICHA TÉCNICA:

ISLÂNDIA 1 X 2 CROÁCIA

ISLÂNDIA - Halldorsson; Saevarsson, Ingasson, Ragnar Sigurdsson (Sigurdarson) e Magnusson; Gunnarsson, Hallfredsson, Gudmundsson, Gylfi Sigurdsson e Bjarnasson (Traustason); Finnbogason (Gudmundsson). Técnico: Heimir Hallgrimsson.

CROÁCIA - Kalinic; Jedvaj, Corluka, Caleta-Car e Pivaric; Badelj, Kovacic (Rakitic), Pjaca (Lovren), Modric (Bradaric) e Perisic; Kramaric. Técnico: Zlatko Dalic.

GOLS - Badelj, aos sete, Gylfi Sigurdsson, aos 29, e Perisic, aos 44 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Antonio Mateu (Fifa/Espanha).

CARTÕES AMARELOS - Hallfredsson, Finnbogason (Islândia); Pjaca, Jedvaj (Croácia).

PÚBLICO - 43.472 torcedores.

LOCAL - Arena Rostov, em Rostov (Rússia).



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Croácia vence, confirma liderança do Grupo D e elimina a Islândia da Copa


26/06/2018 | 16:58


Uma das sensações desta Copa do Mundo, a Islândia parou pelo caminho e foi eliminada na fase de grupos na Rússia. Nesta terça-feira, a estreante precisava vencer a classificada Croácia em Rostov para sonhar com a vaga nas oitavas, mas foi derrotada por 2 a 1 e viu cair por terra o sonho de avançar no torneio. Melhor para os croatas, que mantiveram os 100% de aproveitamento e confirmaram a liderança do Grupo D.

Justamente por já ter garantido a vaga, a Croácia entrou com um time misto, sem nomes como Subasic, Vrsaljko, Rakitic e Mandzukic. A Islândia acumulou chances perdidas no primeiro tempo, viu o adversário abrir o placar na etapa final e ainda buscou a igualdade, mas esbarrou na falta de qualidade técnica quando se lançou ao ataque em busca do gol salvador e ainda foi castigada no fim.

Melhor para os croatas, que mesmo sem boa parte de suas estrelas e desinteressados, mostraram muito mais recursos. Encerraram a primeira fase como líderes do Grupo D, com nove pontos, e vão encarar a Dinamarca na próxima fase. Já os islandeses deixam a Rússia após encantarem com seu estilo aguerrido e a apaixonada torcida.

Mesmo precisando da vitória, a Islândia entrou em campo com a clara proposta de não fugir de suas características. Com muita marcação, disciplina tática, mas nenhuma criatividade, a seleção só foi chutar pela primeira vez com mais de 25 minutos. Até então, dava a bola para a Croácia, que chegou a ter mais de 70% de posse.

Coincidência ou não, a postura islandesa mudou quando Messi abriu o placar para a Argentina no jogo paralelo. Precisando ainda mais dos gols, o time deixou a defesa e, na marra, passou a incomodar. Aos 29, o primeiro verdadeiro susto em falta cobrada por Sigurdsson, que parou em Kalinic.

Nos minutos finais, a insistência da Islândia gerou chance atrás de chance. Aos 39, Finnbogason aproveitou cochilo de Badelj na saída, roubou e tabelou com Sigurdsson antes de bater colocado, rente à trave. Aos 45, Bjarnasson aproveitou sobra de escanteio e carimbou a defesa. E no minuto seguinte, Kalinic fez grande defesa em finalização da entrada da área de Halldorsson.

Apática no primeiro tempo, a Croácia voltou mais ligada do intervalo, o que transformou a partida. Logo aos seis, Badelj assustou em chute de fora da área que acertou o travessão. Um minuto mais tarde, ele mesmo marcou. Pivaric aproveitou sobra pelo lado esquerdo, invadiu a área e cruzou, a bola desviou na defesa e sobrou para o meia, que finalizou para a rede.

O gol não tirou o ânimo da Islândia, que seguiu insistindo, ainda tendo a bola aérea como grande força. Aos nove, Ingasson aproveitou bate-rebate na área e cabeceou para outra boa defesa de Kalinic. Um minuto mais tarde, o mesmo zagueiro subiu sozinho após escanteio para a área e testou no travessão.

Depois do ímpeto inicial e diante das chances perdidas, a Islândia diminuiu o ritmo. Heimir Hallgrimsson, então, colocou o atacante Sigurdarson na vaga do zagueiro Ragnar Sigurdsson. Imediatamente, o time voltou a atacar e perdeu boa chance aos 27, quando Finnbogason avançou pela direita e cruzou para Bjarnason, que chegou um pouco atrasado.

Aos 29, Sigurdsson recebeu pela esquerda, tentou o cruzamento e a bola tocou no braço de Lovren. O árbitro marcou pênalti, que o mesmo meia finalizou para deixar tudo igual. Ainda faltava um para a Islândia, o que deixou o jogo franco mais uma vez. Mas os islandeses não aguentaram o ritmo e viram os croatas criarem as principais chances nos minutos finais. Até que, aos 44, Perisic recebeu na esquerda, invadiu a área e bateu cruzado para a rede, acabando de vez com o sonho do adversário.

FICHA TÉCNICA:

ISLÂNDIA 1 X 2 CROÁCIA

ISLÂNDIA - Halldorsson; Saevarsson, Ingasson, Ragnar Sigurdsson (Sigurdarson) e Magnusson; Gunnarsson, Hallfredsson, Gudmundsson, Gylfi Sigurdsson e Bjarnasson (Traustason); Finnbogason (Gudmundsson). Técnico: Heimir Hallgrimsson.

CROÁCIA - Kalinic; Jedvaj, Corluka, Caleta-Car e Pivaric; Badelj, Kovacic (Rakitic), Pjaca (Lovren), Modric (Bradaric) e Perisic; Kramaric. Técnico: Zlatko Dalic.

GOLS - Badelj, aos sete, Gylfi Sigurdsson, aos 29, e Perisic, aos 44 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Antonio Mateu (Fifa/Espanha).

CARTÕES AMARELOS - Hallfredsson, Finnbogason (Islândia); Pjaca, Jedvaj (Croácia).

PÚBLICO - 43.472 torcedores.

LOCAL - Arena Rostov, em Rostov (Rússia).

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;