Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 27 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Bancos baterão recorde de financiamento, diz Lula

Ele acrescentou que o governo está atento ao problema da falta de crédito e tomará as medidas



09/12/2008 | 07:00


Os bancos oficiais devem continuar a bater recordes de financiamento todos os meses, disse na segunda-feira o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele acrescentou que o governo está atento ao problema da falta de crédito e tomará as medidas necessárias.

"É preciso fazer muito mais", disse, durante cerimônia com os oficiais generais. O presidente havia se reunido pouco antes com os presidentes do Banco Central, Henrique Meirelles; do Banco do Brasil, Antônio Lima Neto; da Caixa Econômica Federal, Maria Fernanda Coelho e do BNDES, Luciano Coutinho.

Segundo assessores, ele pediu novamente que os bancos reduzam os juros e aumentem os volumes de empréstimos oferecidos a pessoas físicas e empresas. Ele teria se queixado, por exemplo, do fato de o Banco do Brasil haver aumentado taxas do cheque especial.

O custo do financiamento é o novo foco de preocupações do governo. Lula e seus principais assessores consideram que os bancos exageraram ao aumentar a taxa de risco cobrada dos clientes.

A estratégia do governo é fazer com que os bancos oficiais liderem um movimento de corte dos juros na ponta. Lula vem sistematicamente pressionando as instituições financeiras a fazer isso.

O Banco do Brasil já promoveu uma rodada de cortes nos juros há cerca de 15 dias e a Caixa pretende fazê-lo esta semana. O Banco do Brasil informou ontem que emprestou R$ 1,6 bilhão para o setor automotivo, do total de R$ 4 bilhões anunciados no mês passado. A instituição está ainda analisando outros pedidos, mas não informou de quanto.

VEÍCULOS - Empresários do setor automotivo reclamaram recentemente com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, de que os recursos anunciados no mês passado não estariam chegando à ponta.

O segmento automotivo foi um dos mais atingidos pelo agravamento da crise internacional, que fez secar a oferta de recursos externos e reduziu a confiança dos agentes econômicos para executar operações de longo prazo, como é o caso do financiamento de veículos.

Diante dessa situação, o governo anunciou que iria colocar à disposição dos bancos vinculados a montadores de veículos R$ 4 bilhões para o financiamento automotivo. Na mesma época, a Nossa Caixa anunciou outra linha, de R$ 4 bilhões, para o setor, que tem em São Paulo uma importante base.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Bancos baterão recorde de financiamento, diz Lula

Ele acrescentou que o governo está atento ao problema da falta de crédito e tomará as medidas


09/12/2008 | 07:00


Os bancos oficiais devem continuar a bater recordes de financiamento todos os meses, disse na segunda-feira o presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele acrescentou que o governo está atento ao problema da falta de crédito e tomará as medidas necessárias.

"É preciso fazer muito mais", disse, durante cerimônia com os oficiais generais. O presidente havia se reunido pouco antes com os presidentes do Banco Central, Henrique Meirelles; do Banco do Brasil, Antônio Lima Neto; da Caixa Econômica Federal, Maria Fernanda Coelho e do BNDES, Luciano Coutinho.

Segundo assessores, ele pediu novamente que os bancos reduzam os juros e aumentem os volumes de empréstimos oferecidos a pessoas físicas e empresas. Ele teria se queixado, por exemplo, do fato de o Banco do Brasil haver aumentado taxas do cheque especial.

O custo do financiamento é o novo foco de preocupações do governo. Lula e seus principais assessores consideram que os bancos exageraram ao aumentar a taxa de risco cobrada dos clientes.

A estratégia do governo é fazer com que os bancos oficiais liderem um movimento de corte dos juros na ponta. Lula vem sistematicamente pressionando as instituições financeiras a fazer isso.

O Banco do Brasil já promoveu uma rodada de cortes nos juros há cerca de 15 dias e a Caixa pretende fazê-lo esta semana. O Banco do Brasil informou ontem que emprestou R$ 1,6 bilhão para o setor automotivo, do total de R$ 4 bilhões anunciados no mês passado. A instituição está ainda analisando outros pedidos, mas não informou de quanto.

VEÍCULOS - Empresários do setor automotivo reclamaram recentemente com o ministro da Fazenda, Guido Mantega, de que os recursos anunciados no mês passado não estariam chegando à ponta.

O segmento automotivo foi um dos mais atingidos pelo agravamento da crise internacional, que fez secar a oferta de recursos externos e reduziu a confiança dos agentes econômicos para executar operações de longo prazo, como é o caso do financiamento de veículos.

Diante dessa situação, o governo anunciou que iria colocar à disposição dos bancos vinculados a montadores de veículos R$ 4 bilhões para o financiamento automotivo. Na mesma época, a Nossa Caixa anunciou outra linha, de R$ 4 bilhões, para o setor, que tem em São Paulo uma importante base.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;