Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 27 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Este Congresso chega ao ano 30

Quatorze edições plenamente realizadas; agora o Grande ABC se prepara para estudar coletivamente pela 15ª vez a História local. Um recorde...


Ademir Medici
Do Diário do Grande ABC

30/05/2019 | 07:00


Administrações públicas passaram, com seus vários vieses políticos, de esquerda, direita, do centro; prefeitos e vereadores que amam ou ignoram coisas da história e memória; houve a época do Gipem, vive-se a época do Consórcio Intermunicipal; pesquisadores se cansaram, saíram, morreram; outros resistiram e resistem; gerações passaram. E entre as coisas boas desta nação chamada Grande ABC, entre tantas, uma delas é o Congresso de História, que agora recebeu o apêndice “...e Estudos Regionais”. Qual outra experiência regional do gênero tem esse histórico?

Não importa. O certo é que a 15ª edição do Congresso de História e de Estudos Regionais do Grande ABC tem data e local: será realizada entre 27 e 30 de maio de 2020 no Teatro Municipal de Santo André – o local não poderia ser mais nobre, agora que o Teatro Municipal vivencia a sua passagem do 47º para o 48º aniversário.

A data e o local do próximo congresso regional de história foram definidos durante reunião realizada terça-feira na sede do Consórcio Intermunicipal Grande ABC, encontro organizado pelo Grupo Temático História e Memória.

“Desde o início da preparação até a sua realização, o evento é uma produção coletiva que envolve todos os interessados na preservação e difusão da memória e do patrimônio da nossa região”, afirmou o sociólogo Jorge Magyar, coordenador do Grupo Temático.

Acrescenta Jorge Magyar: “Pensamos em fazer contato com as instituições de ensino universitário e também com as escolas de ensino fundamental e médio para envolver os jovens. O Congresso será esse grande movimento para a gente discutir, conversar e reconstruir a cada instante a memória do Grande ABC”.

Sendo assim, mãos à obra, gente! Além do que, vocês estarão prestando uma homenagem a um time saudoso de verdadeiros idealistas: os Paschoalinos, Philadelphos, Dudas, Adrianas, Gilis, Giselas, Dirceus, Marianis, Garbelottos, Botaccinis...

HÁ 50 ANOS
Pela terceira vez o Congresso de História será realizado em Santo André. O de 2020 dará início ao terceiro ciclo, alcançando-se as sete cidades.

Nestes 30 anos, muita coisa mudou na região. Santo André, por exemplo, era uma cidade industrial por excelência há meio século, como registrava a Fundação IBGE em monografia feita em 1969. Um belo documento, ilustrado, descoberto pela pesquisadora Maria Claudia Ferreira, do blog “Santo André Ontem e Hoje”.

Em 1969, Santo André produzia fios de nylon, rayon, pneumáticos e câmaras do ar; chapas e tubos de cimento amianto; laminados, folhas, cabos de alumínio, chapas, discos, tubos e rolos, elevadores, fios e cabos elétricos e telefônicos; anéis e amortecedores, caminhões e peças; cloreto polivinila, soda cáustica, acetatos, acetona, ácido acético, tintas, esmaltes, lacas e vernizes; lingerie, camisas e blusas de nylon; carne bonina e suína, e farinha de trigo...

E hoje? O que ocorreu? Fala-se em desindustrialização. Está claro – as indústrias sucumbiram. A Avenida Industrial é hoje uma avenida comercial e de serviços. O que ocorreu com o Grupo Rhodia no Vale do Tamanduateí? Mas, e os detalhes desta desindustrialização? Nem teóricos, nem curiosos, vai além de um discurso padrão. Compete a você, pesquisador da memória, uma análise diferenciada. A desindustrialização, pois, é um belo tema para o Congresso a se realizar daqui a um ano no torrão andreense.

A noite da grande metamorfose

O espelho está iluminado, uma luz que relembra névoa no cemitério de Hiroshima.

Da crônica de Guido Fidelis publicada pelo Diário em 30 de maio de 1989. Confiram a íntegra no Facebook da Memória.

Diário há 30 anos

Terça-feira, 30 de maio de 1989 - ano 32, edição 7078

- Empresas & Empresários – Indústrias de calçados obtêm êxito na região, com duas grandes indústrias em São Caetano: Solados e Ekiju.

- Ponto de Vista (Virgínia Pezzolo) – Afinal, quem manda neste País?

- Cena Política (Joaquim Alessi) – Pode dar um grande bolo na festa preparada pelo PDT de Santo André.

Em 30 de maio de...

1919 – Roberto Simonsen homenageado em Santos, no hotel do Parque Balneário, pela escolha para fazer parte da missão comercial e industrial brasileira que vai em breve visitar a Inglaterra.

Nota – Roberto Simonsen entraria na história de São Caetano pelas mãos da Cerâmica São Caetano, sucessora da antiga Cerâmica Privilegiada.

Internacional

Do noticiário do Correio Paulistano: os aliados exigem da Áustria 10 bilhões de coroas de indenização, no prazo de um ano.

Do noticiário do Estadão: na Rússia, a tomada da cidade de Pskoff pelas tropas da Estônia.

1934 – Ângelo Roselli nasce em Valle Del Ângelo, Província de Salerno, Itália. Veio para o Brasil em 1954. Trabalhou na Pirelli, Cofap, Aços Villares, Volkswagen e Otis, nesta por 22 anos, onde se aposentou em 1993.

Hoje

- Dia do Geólogo

- Dia do Decorador

Santos do Dia

- Fernando III

- Camila Batista Varani

- José Marello

Municípios Brasileiros

Celebram seus aniversários em 30 de maio:

- Em São Paulo, Palestina, São Joaquim da Barra e Valparaíso

- No Rio Grande do Sul, Barracão e Santo Augusto

- No Pará, Conceição do Araguaia

- Em Minas Gerais, Descoberto e São Félix de Minas

- No Acre, Mâncio Lima 



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;