Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 11 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Ciesp realiza hoje evento para estimular pequeno empresário a exportar

Durante o encontro, serão abordadas orientações sobre
como vender ao Exterior; evento acontece às 18h30


Soraia Abreu Pedrozo
Do Diário do Grande ABC

11/05/2010 | 07:00


Com a retomada da economia iniciada no fim do ano passado, as vendas ao Exterior estão, mês a mês, recuperando seus mercados compradores. Pensando nisso, o Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) de Santo André realiza hoje evento voltado a incentivar micro, pequenos e médios empresários a exportar.

O encontro ocorre às 18h30 na sede da entidade - Av. Lino Jardim, 905, Jardim Bela Vista -, com entrada franca. As inscrições devem ser feitas pelo telefone 3705-4335 ou pelo e-mail jessica@ciespsa.com.br.

O evento será composto de duas exposições. A primeira será apresentação da balança comercial do Grande ABC no primeiro trimestre, conduzida pelo secretário de Desenvolvimento Econômico e Relações do Trabalho de São Caetano, Celso Amâncio.

O Grande ABC apresentou, nesses três primeiros meses do ano, fluxo de exportação 19% menor que o registrado no mesmo período de 2008, enquanto as importações aumentaram em 2,51%, seguindo a mesma comparação.

Por outro lado, em relação a igual período de 2009, as exportações na região cresceram 38,6%, e as importações 46,8%, indicando uma tendência de recuperação. Esses mesmos resultados, entretanto, provocaram uma diminuição do superávit em 12,2%, que somou US$ 110,3 milhões.

Na sequência, a professora Claudia Bock, da Universidade Metodista, vai apresentar a palestra ‘Desmitificando o Comércio Exterior', cujo objetivo é solucionar possíveis dúvidas, principalmente dos pequenos empresários, sobre exportação.

Segundo Claudia, exportar é sempre uma medida positiva, pois estimula a empresa a desbravar novos mercados, gera ganho de produtividade e fortalece a marca, tanto no mercado interno como no externo. "Vamos mostrar que este momento de recuperação econômica é ideal para os empresários se reposicionarem. O mercado externo está sempre ávido por novidades e os produtos brasileiros são sempre muito bem recebidos lá fora", aponta.

Um dos principais receios do empreendedor é a burocracia em torno da produção. Entretanto, para os itens exportados, o governo isenta o pagamento de IPI, ICMS, PIS e Cofins. "Não se pode exportar impostos também, senão o produto brasileiro não fica competitivo."

Quanto ao câmbio, favorável às importações por estar abaixo dos R$ 2, a professora afirma que pode ser positivo também aos exportadores que ficarem de olho no mercado financeiro, e se atentarem ao comportamento da moeda estrangeira. "Ao exportar, o fabricante cria novos consumidores e não depende tanto do mercado interno. Além disso, está sempre estimulado a avançar tecnologicamente para se atualizar."

Claudia conta que será falado também sobre o drawback, sistema que desonera itens importados, contanto que sejam utilizados para exportação.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ciesp realiza hoje evento para estimular pequeno empresário a exportar

Durante o encontro, serão abordadas orientações sobre
como vender ao Exterior; evento acontece às 18h30

Soraia Abreu Pedrozo
Do Diário do Grande ABC

11/05/2010 | 07:00


Com a retomada da economia iniciada no fim do ano passado, as vendas ao Exterior estão, mês a mês, recuperando seus mercados compradores. Pensando nisso, o Ciesp (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) de Santo André realiza hoje evento voltado a incentivar micro, pequenos e médios empresários a exportar.

O encontro ocorre às 18h30 na sede da entidade - Av. Lino Jardim, 905, Jardim Bela Vista -, com entrada franca. As inscrições devem ser feitas pelo telefone 3705-4335 ou pelo e-mail jessica@ciespsa.com.br.

O evento será composto de duas exposições. A primeira será apresentação da balança comercial do Grande ABC no primeiro trimestre, conduzida pelo secretário de Desenvolvimento Econômico e Relações do Trabalho de São Caetano, Celso Amâncio.

O Grande ABC apresentou, nesses três primeiros meses do ano, fluxo de exportação 19% menor que o registrado no mesmo período de 2008, enquanto as importações aumentaram em 2,51%, seguindo a mesma comparação.

Por outro lado, em relação a igual período de 2009, as exportações na região cresceram 38,6%, e as importações 46,8%, indicando uma tendência de recuperação. Esses mesmos resultados, entretanto, provocaram uma diminuição do superávit em 12,2%, que somou US$ 110,3 milhões.

Na sequência, a professora Claudia Bock, da Universidade Metodista, vai apresentar a palestra ‘Desmitificando o Comércio Exterior', cujo objetivo é solucionar possíveis dúvidas, principalmente dos pequenos empresários, sobre exportação.

Segundo Claudia, exportar é sempre uma medida positiva, pois estimula a empresa a desbravar novos mercados, gera ganho de produtividade e fortalece a marca, tanto no mercado interno como no externo. "Vamos mostrar que este momento de recuperação econômica é ideal para os empresários se reposicionarem. O mercado externo está sempre ávido por novidades e os produtos brasileiros são sempre muito bem recebidos lá fora", aponta.

Um dos principais receios do empreendedor é a burocracia em torno da produção. Entretanto, para os itens exportados, o governo isenta o pagamento de IPI, ICMS, PIS e Cofins. "Não se pode exportar impostos também, senão o produto brasileiro não fica competitivo."

Quanto ao câmbio, favorável às importações por estar abaixo dos R$ 2, a professora afirma que pode ser positivo também aos exportadores que ficarem de olho no mercado financeiro, e se atentarem ao comportamento da moeda estrangeira. "Ao exportar, o fabricante cria novos consumidores e não depende tanto do mercado interno. Além disso, está sempre estimulado a avançar tecnologicamente para se atualizar."

Claudia conta que será falado também sobre o drawback, sistema que desonera itens importados, contanto que sejam utilizados para exportação.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;