Fechar
Publicidade

Sábado, 16 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Recorde de aquisições e fusões no 1º quadrimestre



08/05/2010 | 07:03


O número de fusões e aquisições no Brasil registrou recorde histórico no primeiro quadrimestre de 2010, de acordo com relatório da PricewaterhouseCoopers. O bom desempenho foi puxado pelas operações do setor de alimentação, que representaram 11% das transações. No total, foram 236 operações de fusões e aquisições registradas entre janeiro e abril deste ano, um volume 39% superior ao registrado em igual período de 2009, quando ocorreram 170 transações.

Alexandre Pierantoni, sócio de fusões e aquisições da Price, explica que este número recorde de transações é um sinal de que o crescimento da economia brasileira, a estabilidade e o aumento da demanda interna tornaram as empresas capitalizadas o suficiente para realizar estas operações. "Do total de negócios realizados, 65% foram de empresas com capital nacional, o que é um sinal de que as empresas nacionais estão preparadas para se consolidar", disse.

Em números absolutos, o capital nacional esteve presente em 126 transações em 2010. No mesmo período em 2009, esteve presente em 81 transações. Já o capital estrangeiro esteve presente em 35% dos negócios anunciados (69 transações).

O documento também destaca o fato de 18% das operações do período serem de expansão de empresas brasileiras rumo ao Exterior.

Para a PricewaterHouseCoopers, este aumento nas transações de fusões e aquisições é um sinal de que o setor corporativo está se recuperando para um "contexto pré-crise". Esta recuperação também pode ser notada através do aumento da participação de empresas de capital aberto, para 53% do total.

Os fundos de private equity também estiveram presentes em 40% das transações, um recorde histórico para este tipo de investidor. Segundo Pierantoni, os fundos também estão de olho no bom desempenho das empresas brasileiras.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Recorde de aquisições e fusões no 1º quadrimestre


08/05/2010 | 07:03


O número de fusões e aquisições no Brasil registrou recorde histórico no primeiro quadrimestre de 2010, de acordo com relatório da PricewaterhouseCoopers. O bom desempenho foi puxado pelas operações do setor de alimentação, que representaram 11% das transações. No total, foram 236 operações de fusões e aquisições registradas entre janeiro e abril deste ano, um volume 39% superior ao registrado em igual período de 2009, quando ocorreram 170 transações.

Alexandre Pierantoni, sócio de fusões e aquisições da Price, explica que este número recorde de transações é um sinal de que o crescimento da economia brasileira, a estabilidade e o aumento da demanda interna tornaram as empresas capitalizadas o suficiente para realizar estas operações. "Do total de negócios realizados, 65% foram de empresas com capital nacional, o que é um sinal de que as empresas nacionais estão preparadas para se consolidar", disse.

Em números absolutos, o capital nacional esteve presente em 126 transações em 2010. No mesmo período em 2009, esteve presente em 81 transações. Já o capital estrangeiro esteve presente em 35% dos negócios anunciados (69 transações).

O documento também destaca o fato de 18% das operações do período serem de expansão de empresas brasileiras rumo ao Exterior.

Para a PricewaterHouseCoopers, este aumento nas transações de fusões e aquisições é um sinal de que o setor corporativo está se recuperando para um "contexto pré-crise". Esta recuperação também pode ser notada através do aumento da participação de empresas de capital aberto, para 53% do total.

Os fundos de private equity também estiveram presentes em 40% das transações, um recorde histórico para este tipo de investidor. Segundo Pierantoni, os fundos também estão de olho no bom desempenho das empresas brasileiras.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;