Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 20 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Presidente do TSE pede transparência nos caixas de campanha


Do Diário OnLine

23/05/2002 | 10:09


O presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Nelson Jobim, pediu transparência à classe empresarial nas contribuições que forem feitas às campanhas políticas às eleições de 2002.

"Se quiserem ocultar a sua participação porque dela poderão ter resultados negativos no que diz respeito à sua atividade empresarial futura na relação com o eventual futuro governo, não entrem no processo de financiamento", alertou o ministro.

Para o ministro Nelson Jobim, o assunto deve ser discutido com muita calma e tranqüilidade. "Precisamos colocar este assunto na mesa. Não para odiar. Não para estabelecer retaliações com o passado, mas fazer um acerto de contas do país com o seu futuro e dos empresários brasileiros com o futuro do processo eleitoral brasileiro. A regra, portanto, é a transparência".

O recado foi dado durante palestra ao empresariado do Distrito Federal, em almoço promovido pela Federação do Comércio de Brasília para se discutir a Responsabilidade Social das Empresas no Processo Eleitoral.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Presidente do TSE pede transparência nos caixas de campanha

Do Diário OnLine

23/05/2002 | 10:09


O presidente do Tribunal Superior Eleitoral, ministro Nelson Jobim, pediu transparência à classe empresarial nas contribuições que forem feitas às campanhas políticas às eleições de 2002.

"Se quiserem ocultar a sua participação porque dela poderão ter resultados negativos no que diz respeito à sua atividade empresarial futura na relação com o eventual futuro governo, não entrem no processo de financiamento", alertou o ministro.

Para o ministro Nelson Jobim, o assunto deve ser discutido com muita calma e tranqüilidade. "Precisamos colocar este assunto na mesa. Não para odiar. Não para estabelecer retaliações com o passado, mas fazer um acerto de contas do país com o seu futuro e dos empresários brasileiros com o futuro do processo eleitoral brasileiro. A regra, portanto, é a transparência".

O recado foi dado durante palestra ao empresariado do Distrito Federal, em almoço promovido pela Federação do Comércio de Brasília para se discutir a Responsabilidade Social das Empresas no Processo Eleitoral.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;