Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 1 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Prefeitura barra venda de sede do Azulão e estádio

Denis Maciel/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Governo avisa que negociação de bens públicos não está na pauta, dificultando planos da Ltda


Dérek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

21/01/2021 | 00:01


A sede social da AD São Caetano e o Estádio Anacleto Campanella, equipamentos municipais que estão em concessão para uso do Azulão, seguirão em poder da Prefeitura. O governo do prefeito Tite Campanella (Cidadania) informou ao Diário que não há plano para vender ou negociar nenhum dos espaços, criando ainda mais empecilhos no plano de a São Caetano Futebol Ltda englobar os espaços na negociação com o grupo de investidores privados que assumiria o controle do time, que se prepara para a disputa do Paulistão.

Em respostas curtas e diretas ao Diário assinadas pelo chefe de gabinete da Prefeitura, Bruno Vassari, a administração são-caetanense avisou que não há plano de venda da sede social e rejeitou, inclusive, a possibilidade de privatizar o estádio. Ontem, também ao Diário, o presidente da Câmara, Pio Mielo (PSDB), disse que não iria pautar o assunto na casa.

Caso os gestores que comandam o futebol do Azulão insistam na ideia de colocar as áreas no negócio com o parceiro, a medida precisa ser aprovada pelos vereadores e, posteriormente, sancionada pelo prefeito, via lei municipal. Recentemente, a AD entrou com ação judicial para que os dirigentes da Ltda deixem as salas que ocupam no prédio do clube em até 30 dias.

Segundo o presidente do conselho deliberativo do São Caetano, Antônio de Pádua Tortorello, a Prefeitura pode romper com o Azulão se não arrumar a situação – apesar de os problemas financeiros e jurídicos serem da Ltda, refletem no social, que está sem comando porque o estatuto está ultrapassado.

Pádua admitiu que conversou com José Auricchio Júnior (PSDB), reeleito como prefeito da cidade no dia 15 de novembro, mas com registro de candidatura indeferido pela Justiça Eleitoral. “(O ex-)Prefeito falou sobre essa possibilidade: se não acertasse as coisas, colocar (outro) administrador no espaço. Mas com a reforma do estatuto vamos acertar tudo”, declarou Pádua, que convocou assembleia para 8 de fevereiro para alterar e aprovar um novo regimento para o clube. “Hoje o conselho não tem função”, lamentou.

Independentemente disso, Pádua afirmou que tenta intermediar a chegada de parceiros ao Azulão. “Houve conversa com mais de 20 empresas que querem assumir. Expliquei que precisam ter sede fora do clube, cuidando exclusivamente do futebol. E a AD tem de ter percentual do que for negociado, situação que, apesar de já ser prevista, não acontece.” (colaborou Raphael Rocha) 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Prefeitura barra venda de sede do Azulão e estádio

Governo avisa que negociação de bens públicos não está na pauta, dificultando planos da Ltda

Dérek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

21/01/2021 | 00:01


A sede social da AD São Caetano e o Estádio Anacleto Campanella, equipamentos municipais que estão em concessão para uso do Azulão, seguirão em poder da Prefeitura. O governo do prefeito Tite Campanella (Cidadania) informou ao Diário que não há plano para vender ou negociar nenhum dos espaços, criando ainda mais empecilhos no plano de a São Caetano Futebol Ltda englobar os espaços na negociação com o grupo de investidores privados que assumiria o controle do time, que se prepara para a disputa do Paulistão.

Em respostas curtas e diretas ao Diário assinadas pelo chefe de gabinete da Prefeitura, Bruno Vassari, a administração são-caetanense avisou que não há plano de venda da sede social e rejeitou, inclusive, a possibilidade de privatizar o estádio. Ontem, também ao Diário, o presidente da Câmara, Pio Mielo (PSDB), disse que não iria pautar o assunto na casa.

Caso os gestores que comandam o futebol do Azulão insistam na ideia de colocar as áreas no negócio com o parceiro, a medida precisa ser aprovada pelos vereadores e, posteriormente, sancionada pelo prefeito, via lei municipal. Recentemente, a AD entrou com ação judicial para que os dirigentes da Ltda deixem as salas que ocupam no prédio do clube em até 30 dias.

Segundo o presidente do conselho deliberativo do São Caetano, Antônio de Pádua Tortorello, a Prefeitura pode romper com o Azulão se não arrumar a situação – apesar de os problemas financeiros e jurídicos serem da Ltda, refletem no social, que está sem comando porque o estatuto está ultrapassado.

Pádua admitiu que conversou com José Auricchio Júnior (PSDB), reeleito como prefeito da cidade no dia 15 de novembro, mas com registro de candidatura indeferido pela Justiça Eleitoral. “(O ex-)Prefeito falou sobre essa possibilidade: se não acertasse as coisas, colocar (outro) administrador no espaço. Mas com a reforma do estatuto vamos acertar tudo”, declarou Pádua, que convocou assembleia para 8 de fevereiro para alterar e aprovar um novo regimento para o clube. “Hoje o conselho não tem função”, lamentou.

Independentemente disso, Pádua afirmou que tenta intermediar a chegada de parceiros ao Azulão. “Houve conversa com mais de 20 empresas que querem assumir. Expliquei que precisam ter sede fora do clube, cuidando exclusivamente do futebol. E a AD tem de ter percentual do que for negociado, situação que, apesar de já ser prevista, não acontece.” (colaborou Raphael Rocha) 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;