Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 23 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Mulheres nunca vão superar os homens na corrida

Arquivo/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


27/09/2011 | 00:00


Dificilmente uma corredora, no ápice de seu desempenho físico, conseguirá vencer o melhor corredor. Ou seja, por mais que se esforce, a mulher nunca vai superar o homem nesse modalidade. Vários são os fatores fisiológicos que influenciam essa diferença. A primeira se identifica no sangue. As mulheres têm menos 10% de hemoglobina (responsável pelo transporte de oxigênio no sangue) do que os homens. Isso limita o desempenho em atividades de longa duração que necessitem de oxigênio. Tanto o pulmão como o coração são órgãos menores nas mulheres. Isso dificulta o bombeamento de sangue e oxigênio. No período menstrual, as mulheres têm mais tendência a apresentar frouxidão nos ligamentos. Assim, elas podem apresentar lesões do ligamento cruzado anterior do joelho e de entorses no tornozelo. Os quadris das mulheres também são mais largos e as articulações das coxas e músculos das penas têm ângulos menores. Em comparação aos homens, as mulheres têm menos 30% de massa magra e 10% mais gordura corporal. Isso gera menor desenvolvimento da força muscular e mais peso para ser carregado durante a corrida. Por Carolina Abranches



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Mulheres nunca vão superar os homens na corrida


27/09/2011 | 00:00


Dificilmente uma corredora, no ápice de seu desempenho físico, conseguirá vencer o melhor corredor. Ou seja, por mais que se esforce, a mulher nunca vai superar o homem nesse modalidade. Vários são os fatores fisiológicos que influenciam essa diferença. A primeira se identifica no sangue. As mulheres têm menos 10% de hemoglobina (responsável pelo transporte de oxigênio no sangue) do que os homens. Isso limita o desempenho em atividades de longa duração que necessitem de oxigênio. Tanto o pulmão como o coração são órgãos menores nas mulheres. Isso dificulta o bombeamento de sangue e oxigênio. No período menstrual, as mulheres têm mais tendência a apresentar frouxidão nos ligamentos. Assim, elas podem apresentar lesões do ligamento cruzado anterior do joelho e de entorses no tornozelo. Os quadris das mulheres também são mais largos e as articulações das coxas e músculos das penas têm ângulos menores. Em comparação aos homens, as mulheres têm menos 30% de massa magra e 10% mais gordura corporal. Isso gera menor desenvolvimento da força muscular e mais peso para ser carregado durante a corrida. Por Carolina Abranches

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;