Fechar
Publicidade

Domingo, 26 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Incêndio destrói favela na zona Norte de Sao Paulo


Do Diário OnLine

21/10/2000 | 00:18


Um incêndio de grandes proporçoes atingiu a favela Zaki Narchi, Carandiru, na zona Norte da cidade de Sao Paulo, por volta das 17h30 desta sexta-feira. O fogo foi controlado depois de cerca de duas horas de combate. Segundo estimativas do Corpo de Bombeiros, aproximadamente 300 barracos foram destruídos pelo fogo, que provavelmente teve origem elétrica. Nao houve vítimas e 14 pessoas ficaram feridas, todas por problemas respiratórios causados pela fumaça.

A favela, localizada na avenida Zaki Narchi - próximo ao Shopping Center Norte -, tem 20 mil metros quadrados e abriga cerca de 2.500 moradores em 500 barracos. Os Bombeiros acreditam que pelo menos 300 pessoas ficaram desabrigadas.

O fogo foi descoberto por policiais militares por volta das 17h30, quando a viatura comandada pelo capitao Samuel de Oliveira fazia uma ronda pelas proximidades da avenida Zaki Narchi. O primeiro procedimento da PM foi deslocar os idosos, mulheres e crianças que estavam no local de incêndio e retirar botijoes de gás dos barracos ainda nao atingidos pelas chamas.

O Corpo dos Bombeiros foi acionado logo em seguida e encaminhou ao local caminhoes-pipa e diversas viaturas, totalizando cerca de 30 veículos. Dois helicópteros da PM auxiliaram no combate às chamas e jogaram água no incêndio, pelo alto. Parte da água utilizada pelos helicópteros foi extraída das piscinas de um clube da regiao.

'Gambiarra' - O Corpo de Bombeiros acredita que o incêndio tenha sido provocado por problemas elétricos. O coronel Vágner Ferraz afirmou à Rádio CBN que as chamas ocorreram "talvez por um curto-circuito em algum ponto em que houvesse contato com combustíveis: madeira, papel, papelao".

Soldados encontraram uma presilha, semelhante a um alicate, no meio dos rescaldos do incêndio. O instrumento é bastante usado para as "gambiarras", ligaçoes elétricas clandestinas que acabam fornecendo energia para várias casas.

Bombeiros e policiais tiveram certo trabalho para manter o cordao de isolamento. Moradores desolados assistiam ao fogo consumir as casas de madeira e alvenaria. "Essas pessoas muito humildes, que já nao têm nada, perderam o pouco que tinham", lamentou o capitao Oliveira.

Com o avanço do trabalho de rescaldo, os Bombeiros e PMs permitiram aos moradores dos cerca de 200 barracos que nao foram atingidos entrarem em suas casa para recuperar alguns pertences.

A Secretaria de Assistência Social da Prefeitura de Sao Paulo afirmou que vai cadastrar as pessoas desabrigadas e encaminhá-las a outros locais, ainda desconhecidos. O secretário de governo da Prefeitura, Arnaldo Faria de Sá, informou que as famílias passarao a noite em barracas montadas ao lado da favela, no pátio do conjunto habitacional Cingapura.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Incêndio destrói favela na zona Norte de Sao Paulo

Do Diário OnLine

21/10/2000 | 00:18


Um incêndio de grandes proporçoes atingiu a favela Zaki Narchi, Carandiru, na zona Norte da cidade de Sao Paulo, por volta das 17h30 desta sexta-feira. O fogo foi controlado depois de cerca de duas horas de combate. Segundo estimativas do Corpo de Bombeiros, aproximadamente 300 barracos foram destruídos pelo fogo, que provavelmente teve origem elétrica. Nao houve vítimas e 14 pessoas ficaram feridas, todas por problemas respiratórios causados pela fumaça.

A favela, localizada na avenida Zaki Narchi - próximo ao Shopping Center Norte -, tem 20 mil metros quadrados e abriga cerca de 2.500 moradores em 500 barracos. Os Bombeiros acreditam que pelo menos 300 pessoas ficaram desabrigadas.

O fogo foi descoberto por policiais militares por volta das 17h30, quando a viatura comandada pelo capitao Samuel de Oliveira fazia uma ronda pelas proximidades da avenida Zaki Narchi. O primeiro procedimento da PM foi deslocar os idosos, mulheres e crianças que estavam no local de incêndio e retirar botijoes de gás dos barracos ainda nao atingidos pelas chamas.

O Corpo dos Bombeiros foi acionado logo em seguida e encaminhou ao local caminhoes-pipa e diversas viaturas, totalizando cerca de 30 veículos. Dois helicópteros da PM auxiliaram no combate às chamas e jogaram água no incêndio, pelo alto. Parte da água utilizada pelos helicópteros foi extraída das piscinas de um clube da regiao.

'Gambiarra' - O Corpo de Bombeiros acredita que o incêndio tenha sido provocado por problemas elétricos. O coronel Vágner Ferraz afirmou à Rádio CBN que as chamas ocorreram "talvez por um curto-circuito em algum ponto em que houvesse contato com combustíveis: madeira, papel, papelao".

Soldados encontraram uma presilha, semelhante a um alicate, no meio dos rescaldos do incêndio. O instrumento é bastante usado para as "gambiarras", ligaçoes elétricas clandestinas que acabam fornecendo energia para várias casas.

Bombeiros e policiais tiveram certo trabalho para manter o cordao de isolamento. Moradores desolados assistiam ao fogo consumir as casas de madeira e alvenaria. "Essas pessoas muito humildes, que já nao têm nada, perderam o pouco que tinham", lamentou o capitao Oliveira.

Com o avanço do trabalho de rescaldo, os Bombeiros e PMs permitiram aos moradores dos cerca de 200 barracos que nao foram atingidos entrarem em suas casa para recuperar alguns pertences.

A Secretaria de Assistência Social da Prefeitura de Sao Paulo afirmou que vai cadastrar as pessoas desabrigadas e encaminhá-las a outros locais, ainda desconhecidos. O secretário de governo da Prefeitura, Arnaldo Faria de Sá, informou que as famílias passarao a noite em barracas montadas ao lado da favela, no pátio do conjunto habitacional Cingapura.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;