Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 20 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Santo André tem 41 mil na fila do programa 'Minha Casa, Minha Vida'


Tauana Marin
Do Diário do Grande ABC

19/05/2009 | 07:00


A menos de um mês do fim das inscrições para o programa Minha Casa, Minha Vida, a Prefeitura de Santo André já emitiu 41 mil senhas para os interessados em adquirir a casa própria. As moradias serão construídas para famílias que recebem até três salários mínimos por mês.

O volume de pessoas que vão se inscrever no programa habitacional do governo federal na cidade é muito maior do que o número de unidades que serão construídas na cidade. Isso porque, para essa faixa de renda, o programa prevê a construção de 400 mil moradias em no País.

No Estado de São Paulo deverão ser erguidas entre 50 mil e 70 mil unidades para famílias de com renda até três salários mínimos. No total, o Estado deve receber perto de 150 mil unidades financiadas pelo programa.

"Será preciso fazer uma triagem. As regras para selecionar as famílias ainda não foram divulgadas, porém, deveremos analisar quem faz parte do déficit habitacional e condição financeira", avisou o secretário de Desenvolvimento Urbano e de Habitação da Prefeitura de Santo André, Frederico Muraro Filho.

SEGUNDA ETAPA - Muraro Filho explicou que, depois que a secretaria reuniu empresários da construção civil, associações e cooperativas habitacionais, donos de terrenos particulares e representantes da Caixa Econômica Federal para apresentar a demanda habitacional da cidade, a prefeitura já concluiu dois projetos para a análise do banco. "Essas propostas são feitas com terrenos da própria prefeitura, uma vez que vamos subsidiar grande parte do programa junto com governos estaduais e federal", afirmou. Outro projeto já está sendo avaliado, porém, com terreno privado.

O fornecimento de senhas para inscrição no programa habitacional pelo Centro Público de Emprego, Trabalho e Renda finaliza hoje. Na sexta sexta-feira, os CRAS (Centros de Referências de Assistência Social) também encerram essa atividade.

Já a Prefeitura finaliza a entrega de senhas no dia 29 em todos os postos fixos, como os Centros Educacionais de Santo André, Empresa Municipal de Habitação Popular e Centro Integrado de Cidadania. Depois dessa data, as inscrições só poderão ser efetuadas pela internet, no www.santoandre.sp.gov.br. "Na verdade, as datas foram estipuladas de acordo com os postos que apresentam maior fluxo de pessoas", disse o secretário.

As pessoas que já retiraram senhas serão atendidas de acordo com a data e o horário previamente já agendados pela Prefeitura.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Santo André tem 41 mil na fila do programa 'Minha Casa, Minha Vida'

Tauana Marin
Do Diário do Grande ABC

19/05/2009 | 07:00


A menos de um mês do fim das inscrições para o programa Minha Casa, Minha Vida, a Prefeitura de Santo André já emitiu 41 mil senhas para os interessados em adquirir a casa própria. As moradias serão construídas para famílias que recebem até três salários mínimos por mês.

O volume de pessoas que vão se inscrever no programa habitacional do governo federal na cidade é muito maior do que o número de unidades que serão construídas na cidade. Isso porque, para essa faixa de renda, o programa prevê a construção de 400 mil moradias em no País.

No Estado de São Paulo deverão ser erguidas entre 50 mil e 70 mil unidades para famílias de com renda até três salários mínimos. No total, o Estado deve receber perto de 150 mil unidades financiadas pelo programa.

"Será preciso fazer uma triagem. As regras para selecionar as famílias ainda não foram divulgadas, porém, deveremos analisar quem faz parte do déficit habitacional e condição financeira", avisou o secretário de Desenvolvimento Urbano e de Habitação da Prefeitura de Santo André, Frederico Muraro Filho.

SEGUNDA ETAPA - Muraro Filho explicou que, depois que a secretaria reuniu empresários da construção civil, associações e cooperativas habitacionais, donos de terrenos particulares e representantes da Caixa Econômica Federal para apresentar a demanda habitacional da cidade, a prefeitura já concluiu dois projetos para a análise do banco. "Essas propostas são feitas com terrenos da própria prefeitura, uma vez que vamos subsidiar grande parte do programa junto com governos estaduais e federal", afirmou. Outro projeto já está sendo avaliado, porém, com terreno privado.

O fornecimento de senhas para inscrição no programa habitacional pelo Centro Público de Emprego, Trabalho e Renda finaliza hoje. Na sexta sexta-feira, os CRAS (Centros de Referências de Assistência Social) também encerram essa atividade.

Já a Prefeitura finaliza a entrega de senhas no dia 29 em todos os postos fixos, como os Centros Educacionais de Santo André, Empresa Municipal de Habitação Popular e Centro Integrado de Cidadania. Depois dessa data, as inscrições só poderão ser efetuadas pela internet, no www.santoandre.sp.gov.br. "Na verdade, as datas foram estipuladas de acordo com os postos que apresentam maior fluxo de pessoas", disse o secretário.

As pessoas que já retiraram senhas serão atendidas de acordo com a data e o horário previamente já agendados pela Prefeitura.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;