Fechar
Publicidade

Domingo, 24 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Câmara de Sto.André muda itens da reforma administrativa

Alterações serão em redações e salários dos novos cargos; texto foi aprovado em 1º debate


Humberto Domiciano
Do Diário do Grande ABC

15/02/2018 | 07:00


A Câmara de Santo André retoma os trabalhos hoje após o feriado de Carnaval e deve apreciar em segunda votação projeto de lei que altera a reforma administrativa em vigor desde o ano passado. As mudanças abrangem, principalmente, a estrutura de cargos e salários do Legislativo. Na semana passada, a Câmara de Santo André já tinha aprovado a matéria, por unanimidade.

Para o presidente da Câmara, Almir Cicote (PSB), nos últimos meses os técnicos jurídicos da Casa detectaram problemas de ortografia e de organização da máquina administrativa. “Resolvemos fazer esse ajuste, com a criação e estruturação de núcleos específicos de setores da Câmara”, explicou.

De acordo com o projeto aprovado em primeira votação, a proporção entre efetivos e comissionados ficou em 43,68% e 56,32%, respectivamente. No total, a Câmara possui 159 funcionários administrativos e 348 servidores no quadro geral.

Cicote, por sua vez, destacou que o Legislativo segue em um processo de adequação às recomendações feitas tanto pelo Ministério Público quanto pelo TCE (Tribunal de Contas do Estado) para o corte de cargos e redução de gastos. “Estamos fazendo ainda mais ajustes em relação a apontamentos relacionados a desvios de função e núcleos de cargos que são cobrados pela Justiça. Acredito que de 100% do que era proposto, já estamos atendendo em torno de 80%”, definiu.

A presidência da Câmara trabalha com a estimativa de obter economia de R$ 8 milhões em quatro anos com o corte de apadrinhados. Em 2018, a previsão é que a folha de pagamento do Legislativo chegue a R$ 35,3 milhões, o que corresponde a 57,48% do Orçamento. O limite constitucional é de 70%. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Câmara de Sto.André muda itens da reforma administrativa

Alterações serão em redações e salários dos novos cargos; texto foi aprovado em 1º debate

Humberto Domiciano
Do Diário do Grande ABC

15/02/2018 | 07:00


A Câmara de Santo André retoma os trabalhos hoje após o feriado de Carnaval e deve apreciar em segunda votação projeto de lei que altera a reforma administrativa em vigor desde o ano passado. As mudanças abrangem, principalmente, a estrutura de cargos e salários do Legislativo. Na semana passada, a Câmara de Santo André já tinha aprovado a matéria, por unanimidade.

Para o presidente da Câmara, Almir Cicote (PSB), nos últimos meses os técnicos jurídicos da Casa detectaram problemas de ortografia e de organização da máquina administrativa. “Resolvemos fazer esse ajuste, com a criação e estruturação de núcleos específicos de setores da Câmara”, explicou.

De acordo com o projeto aprovado em primeira votação, a proporção entre efetivos e comissionados ficou em 43,68% e 56,32%, respectivamente. No total, a Câmara possui 159 funcionários administrativos e 348 servidores no quadro geral.

Cicote, por sua vez, destacou que o Legislativo segue em um processo de adequação às recomendações feitas tanto pelo Ministério Público quanto pelo TCE (Tribunal de Contas do Estado) para o corte de cargos e redução de gastos. “Estamos fazendo ainda mais ajustes em relação a apontamentos relacionados a desvios de função e núcleos de cargos que são cobrados pela Justiça. Acredito que de 100% do que era proposto, já estamos atendendo em torno de 80%”, definiu.

A presidência da Câmara trabalha com a estimativa de obter economia de R$ 8 milhões em quatro anos com o corte de apadrinhados. Em 2018, a previsão é que a folha de pagamento do Legislativo chegue a R$ 35,3 milhões, o que corresponde a 57,48% do Orçamento. O limite constitucional é de 70%. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;