Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 14 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Recomeçam negociaçoes após encontro de Arafat e Barak


Do Diário do Grande ABC

08/05/2000 | 09:47


Israelenses e palestinos voltam, nesta segunda-feira, a negociar para conseguir um acordo-marco sobre o estatuto da Cisjordânia e da Faixa de Gaza, depois da realizaçao no domingo de um novo encontro de cúpula entre o primeiro-ministro israelense, Ehud Barak, e o presidente palestino, Yasser Arafat.

"O encontro (Barak-Arafat) durou umas duas horas. Foi construtivo e se desenvolveu em um bom ambiente. As partes o qualificaram de produtivo'', assinalou a presidência do Conselho em um comunicado.

Entretanto, o chefe da diplomacia israelense, David Levy, assistente no encontro de Ramallah, na Cisjordânia, disse nesta segunda-feira à rádio que ainda ``existem divergências importantes entre as posiçoes''.

``Abordamos os temas de profundidade, mas as esperanças palestinas sao exageradas'', adiantou, lamentando que o prazo de 13 de maio para se chegar a um acordo-marco, base de uma soluçao permanente até 13 de setembro, ``nao vá ser respeitado''.

Enquanto isso, o mediador norte-americano, Dennis Ross, manteve nesta segunda-feira um encontro em Jerusalém com o chefe dos negociadores palestinos, Yasser Abed Rabbo, antes da reuniao trilateral, prevista para o longo do dia, na qual participará o principal negociador israelense, Oded Eran, declarou um representante palestino sob anonimato.

Por outra parte, o ministro israelense de Telecomunicaçoes, Binyamin Ben Eliezer, tinha um encontro marcado com Arafat na manha desta segunda-feira em Ramallah.

Nabil Abu Rudeina, principal conselheiro de Arafat, opinou que precisam ser feitos ``grandes esforços para superar os obstáculos'' e que se decidiu ``continuar com os encontros e trabalhar seriamente para chegar a um acordo o mais breve possível''.

Uma alta autoridade palestina, presente no encontro de Ramallah e sob anonimato, assinalou que Arafat havia destacado a questao da colonizaçao judia nos territórios, um dos principais problemas nas negociaçoes.

Arafat lembrou a promessa feita pelo chefe de governo israelense em um encontro anterior, de que nao haveria novas licitaçoes para a construçao de moradias nas colônias.

Por sua vez e segundo a mesma fonte, Barak alegou dificuldades existentes dentro de sua coalizao governamental para justificar o atraso da transferência à Autoridade Palestina de três localidades situadas na Cisjordânia, perto de Jerusalém Leste, a abertura de um corredor que comunique Gaza com a Cisjordânia e finalmente a libertaçao dos prisioneiros.

Entretanto e pela primeira vez, Barak anunciou publicamente nesta segunda-feira que essas três localidades, Abu Dis, El-Azarieh e Suwahara, poderao passar para o controle total dos palestinos ``nos próximos meses, ou talvez nas próximas semanas''.

``Nao há dúvidas de que devemos nos separar dos palestinos. Nao temos nenhum interesse em dominar outro povo. Preferimos menos territórios em troca de uma maior homogeneidade demográfica'', adiantou.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Recomeçam negociaçoes após encontro de Arafat e Barak

Do Diário do Grande ABC

08/05/2000 | 09:47


Israelenses e palestinos voltam, nesta segunda-feira, a negociar para conseguir um acordo-marco sobre o estatuto da Cisjordânia e da Faixa de Gaza, depois da realizaçao no domingo de um novo encontro de cúpula entre o primeiro-ministro israelense, Ehud Barak, e o presidente palestino, Yasser Arafat.

"O encontro (Barak-Arafat) durou umas duas horas. Foi construtivo e se desenvolveu em um bom ambiente. As partes o qualificaram de produtivo'', assinalou a presidência do Conselho em um comunicado.

Entretanto, o chefe da diplomacia israelense, David Levy, assistente no encontro de Ramallah, na Cisjordânia, disse nesta segunda-feira à rádio que ainda ``existem divergências importantes entre as posiçoes''.

``Abordamos os temas de profundidade, mas as esperanças palestinas sao exageradas'', adiantou, lamentando que o prazo de 13 de maio para se chegar a um acordo-marco, base de uma soluçao permanente até 13 de setembro, ``nao vá ser respeitado''.

Enquanto isso, o mediador norte-americano, Dennis Ross, manteve nesta segunda-feira um encontro em Jerusalém com o chefe dos negociadores palestinos, Yasser Abed Rabbo, antes da reuniao trilateral, prevista para o longo do dia, na qual participará o principal negociador israelense, Oded Eran, declarou um representante palestino sob anonimato.

Por outra parte, o ministro israelense de Telecomunicaçoes, Binyamin Ben Eliezer, tinha um encontro marcado com Arafat na manha desta segunda-feira em Ramallah.

Nabil Abu Rudeina, principal conselheiro de Arafat, opinou que precisam ser feitos ``grandes esforços para superar os obstáculos'' e que se decidiu ``continuar com os encontros e trabalhar seriamente para chegar a um acordo o mais breve possível''.

Uma alta autoridade palestina, presente no encontro de Ramallah e sob anonimato, assinalou que Arafat havia destacado a questao da colonizaçao judia nos territórios, um dos principais problemas nas negociaçoes.

Arafat lembrou a promessa feita pelo chefe de governo israelense em um encontro anterior, de que nao haveria novas licitaçoes para a construçao de moradias nas colônias.

Por sua vez e segundo a mesma fonte, Barak alegou dificuldades existentes dentro de sua coalizao governamental para justificar o atraso da transferência à Autoridade Palestina de três localidades situadas na Cisjordânia, perto de Jerusalém Leste, a abertura de um corredor que comunique Gaza com a Cisjordânia e finalmente a libertaçao dos prisioneiros.

Entretanto e pela primeira vez, Barak anunciou publicamente nesta segunda-feira que essas três localidades, Abu Dis, El-Azarieh e Suwahara, poderao passar para o controle total dos palestinos ``nos próximos meses, ou talvez nas próximas semanas''.

``Nao há dúvidas de que devemos nos separar dos palestinos. Nao temos nenhum interesse em dominar outro povo. Preferimos menos territórios em troca de uma maior homogeneidade demográfica'', adiantou.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;