Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 13 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Exame da orelhinha é obrigatório e gratuito no País


Bruna Golnçalves
Do Diário do Grande ABC

08/08/2010 | 07:09


Outro exame importante a ser feito logo após o nascimento é o Emissões Otoacústicas Evocadas - conhecido como teste da orelhinha.

Lei sancionada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na segunda-feira tornou obrigatório e gratutito o exame em todos os hospitais e maternidades.

A psicóloga Camila Campos Tinoco, 25 anos, disse que o exame precisa ser divulgado. "Quando estava na maternidade fui informada sobre a importância do teste. Como sou profissional da Saúde já tenho conhecimento, mas isso é fundamental para as mães que não conhecem. É um exame importante para o tratamento de problemas auditivos", disse a moradora de São Bernardo, mãe de uma menina de três meses.

O teste é realizado entre o segundo e terceiro dia de vida. É colocado um fone no ouvido do bebê, acoplado a um computador, que emite sons de fraca intensidade e recolhe as respostas que estão sendo produzidas pela criança.

"Um diagnóstico precoce pode fazer com que a criança tenha desenvolvimento e linguagem que não a atrapalhem", disse o presidente da Sociedade de Pediatria de São Paulo, Clóvis Francisco Constantino. "Esse tipo de problema começa a ser notado aos 3 e 4 anos. Nesse período já é tardio".

Constantino explicou que, em média,de 1 a 3 crianças para cada 1.000 nascimentos apresenta problema auditivo. "Em casos que precisam ficar na UTI (Unidade de Terapia Intensiva), o número passa de 2 a 6, por conta das complicações e dos ruídos", explicou.

Região realiza cerca de 1.000 testes de orelhinha e pezinho

As Prefeituras do Grande ABC oferecem o teste do pezinho e da orelhinha gratuitamente nas maternidades. Apenas Diadema ainda não realiza o exame da auditivo na rede municipal.

Por mês, são realizados, em média, 1.000 testes na região. Santo André providencia cerca de 400 por mês, colhidos no Hospital da Mulher.

Diadema informou que está em trâmite a liberação do pedido para a aquisição do equipamento para o Hospital Municipal. Enquanto isso, os exames, em média 30 por mês, são realizados no Hospital Serraria e o encaminhamento é feito pelo Centro de Regulação da Secretaria Municipal de Saúde.

Em Mauá, para se adequar à nova lei, o Hospital Nardini está realizando a cotação para a compra do equipamento do teste da orelhinha. São realizados, em média, 180 testes por mês, com prioridade para os prematuros nas UBSs (Unidades Básicas de Saúde).



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Exame da orelhinha é obrigatório e gratuito no País

Bruna Golnçalves
Do Diário do Grande ABC

08/08/2010 | 07:09


Outro exame importante a ser feito logo após o nascimento é o Emissões Otoacústicas Evocadas - conhecido como teste da orelhinha.

Lei sancionada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na segunda-feira tornou obrigatório e gratutito o exame em todos os hospitais e maternidades.

A psicóloga Camila Campos Tinoco, 25 anos, disse que o exame precisa ser divulgado. "Quando estava na maternidade fui informada sobre a importância do teste. Como sou profissional da Saúde já tenho conhecimento, mas isso é fundamental para as mães que não conhecem. É um exame importante para o tratamento de problemas auditivos", disse a moradora de São Bernardo, mãe de uma menina de três meses.

O teste é realizado entre o segundo e terceiro dia de vida. É colocado um fone no ouvido do bebê, acoplado a um computador, que emite sons de fraca intensidade e recolhe as respostas que estão sendo produzidas pela criança.

"Um diagnóstico precoce pode fazer com que a criança tenha desenvolvimento e linguagem que não a atrapalhem", disse o presidente da Sociedade de Pediatria de São Paulo, Clóvis Francisco Constantino. "Esse tipo de problema começa a ser notado aos 3 e 4 anos. Nesse período já é tardio".

Constantino explicou que, em média,de 1 a 3 crianças para cada 1.000 nascimentos apresenta problema auditivo. "Em casos que precisam ficar na UTI (Unidade de Terapia Intensiva), o número passa de 2 a 6, por conta das complicações e dos ruídos", explicou.

Região realiza cerca de 1.000 testes de orelhinha e pezinho

As Prefeituras do Grande ABC oferecem o teste do pezinho e da orelhinha gratuitamente nas maternidades. Apenas Diadema ainda não realiza o exame da auditivo na rede municipal.

Por mês, são realizados, em média, 1.000 testes na região. Santo André providencia cerca de 400 por mês, colhidos no Hospital da Mulher.

Diadema informou que está em trâmite a liberação do pedido para a aquisição do equipamento para o Hospital Municipal. Enquanto isso, os exames, em média 30 por mês, são realizados no Hospital Serraria e o encaminhamento é feito pelo Centro de Regulação da Secretaria Municipal de Saúde.

Em Mauá, para se adequar à nova lei, o Hospital Nardini está realizando a cotação para a compra do equipamento do teste da orelhinha. São realizados, em média, 180 testes por mês, com prioridade para os prematuros nas UBSs (Unidades Básicas de Saúde).

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;