Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 6 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Com Tarcisio em baixa, Marinho assume rédeas

Ricardo Trida/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Sem ver favorito decolar, prefeito de S.Bernardo admite conduzir pessoalmente costura de aliados


Leandro Baldini
Do Diário do Grande ABC

01/08/2015 | 07:00


O prefeito de São Bernardo, Luiz Marinho (PT), confirmou ontem que vai captanear, de maneira absoluta, o partido na eleição de 2016, diante da estacionada eleitoral do secretário de Serviços Urbanos, Tarcisio Secoli (PT), seu favorito à vaga.

Mesmo presente em praticamente todas as agendas do chefe do Executivo, Tarcisio não conseguiu emplacar popularidade e seu nome segue abaixo da expectativa nas pesquisas de intenções de voto do partido. Além disso, o secretário segue com dificuldades de agregar forças políticas ao projeto – muitos dos hoje aliados, principalmente os que detêm voto, querem o deputado estadual Luiz Fernando Teixeira à frente do plano sucessório.

Marinho admitiu articulação pessoal na costura do arco de aliados. “O processo (eleitoral do PT) aqui (em São Bernardo) passa pela minha condução”, revelando que vem realizando diálogo com outros partidos, visando construção de aliança para candidatura petista.

Próximo de escolher sucessor no partido, Marinho repete conduta de seu padrinho político, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Em 2010, ao definir sua então ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff (PT), como sucessora, Lula costurou toda composição política, passando pelo arco de aliados e estratégia de campanha política. A tática deu certo e Dilma saiu vencedora do processo eleitoral.

Marinho citou como exemplo o encontro realizado ontem mesmo com o deputado federal e presidente estadual do PCdoB, Orlando Silva, que esteve na região. O dirigente comunista adiantou que a parceria deve ser reeditada. “Em São Bernardo, a relação com o Marinho é desenvolvida. Tenho relação pessoal e política há mais tempo. A tendência é que caminhemos com o Tarcisio. Mas não há decisão. As regras do jogo sequer estão definidas. Em que termos serão as coligações”.

Marinho confirmou avanço no debate. “O PCdoB é um parceiro histórico. Acho que em cenário nacional houve alguns problemas pontuais com o PT, mas em São Bernardo ele sempre esteve conosco”, disse.

Na avaliação do estreitamento com outros partidos, o chefe do Executivo foi mais cauteloso, porém, destacando confiança na manutenção do arco de aliados. “Muita coisa do que estão falando não irá se confirmar”, comentou.

Postura parecida, também exitosa, ocorreu na eleições da Capital em 1996. O prefeito da ocasião, Paulo Maluf (PP), passou todo seu espólio político para seu secretário de Finanças, Celso Pitta (morto em 2009).

SECRETARIADO
Ontem, Marinho promoveu mudança na chefia da Cajuv (Coordenadoria de Ações para a Juventude), a quarta em seu primeiro escalão dentro do mês. A titularidade, porém, ficou nas mãos do PV. Mariana Perin deixou o comando da Pasta para Augusto César Miolaro.

O chefe do Executivo afirmou que as trocas, em princípio, estão encerradas. Antes, Paulo Dias (PT) substituiu Cleuza Repulho (PT) na Educação. Cícero Ribeiro Silva foi alçado para o comando da Segurança Urbana, no lugar de Benedito Mariano. E no Desenvolvimento Econômico, Jefferson José da Conceição deu lugar para Hitoshi Hyodo (PTB).



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Com Tarcisio em baixa, Marinho assume rédeas

Sem ver favorito decolar, prefeito de S.Bernardo admite conduzir pessoalmente costura de aliados

Leandro Baldini
Do Diário do Grande ABC

01/08/2015 | 07:00


O prefeito de São Bernardo, Luiz Marinho (PT), confirmou ontem que vai captanear, de maneira absoluta, o partido na eleição de 2016, diante da estacionada eleitoral do secretário de Serviços Urbanos, Tarcisio Secoli (PT), seu favorito à vaga.

Mesmo presente em praticamente todas as agendas do chefe do Executivo, Tarcisio não conseguiu emplacar popularidade e seu nome segue abaixo da expectativa nas pesquisas de intenções de voto do partido. Além disso, o secretário segue com dificuldades de agregar forças políticas ao projeto – muitos dos hoje aliados, principalmente os que detêm voto, querem o deputado estadual Luiz Fernando Teixeira à frente do plano sucessório.

Marinho admitiu articulação pessoal na costura do arco de aliados. “O processo (eleitoral do PT) aqui (em São Bernardo) passa pela minha condução”, revelando que vem realizando diálogo com outros partidos, visando construção de aliança para candidatura petista.

Próximo de escolher sucessor no partido, Marinho repete conduta de seu padrinho político, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Em 2010, ao definir sua então ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff (PT), como sucessora, Lula costurou toda composição política, passando pelo arco de aliados e estratégia de campanha política. A tática deu certo e Dilma saiu vencedora do processo eleitoral.

Marinho citou como exemplo o encontro realizado ontem mesmo com o deputado federal e presidente estadual do PCdoB, Orlando Silva, que esteve na região. O dirigente comunista adiantou que a parceria deve ser reeditada. “Em São Bernardo, a relação com o Marinho é desenvolvida. Tenho relação pessoal e política há mais tempo. A tendência é que caminhemos com o Tarcisio. Mas não há decisão. As regras do jogo sequer estão definidas. Em que termos serão as coligações”.

Marinho confirmou avanço no debate. “O PCdoB é um parceiro histórico. Acho que em cenário nacional houve alguns problemas pontuais com o PT, mas em São Bernardo ele sempre esteve conosco”, disse.

Na avaliação do estreitamento com outros partidos, o chefe do Executivo foi mais cauteloso, porém, destacando confiança na manutenção do arco de aliados. “Muita coisa do que estão falando não irá se confirmar”, comentou.

Postura parecida, também exitosa, ocorreu na eleições da Capital em 1996. O prefeito da ocasião, Paulo Maluf (PP), passou todo seu espólio político para seu secretário de Finanças, Celso Pitta (morto em 2009).

SECRETARIADO
Ontem, Marinho promoveu mudança na chefia da Cajuv (Coordenadoria de Ações para a Juventude), a quarta em seu primeiro escalão dentro do mês. A titularidade, porém, ficou nas mãos do PV. Mariana Perin deixou o comando da Pasta para Augusto César Miolaro.

O chefe do Executivo afirmou que as trocas, em princípio, estão encerradas. Antes, Paulo Dias (PT) substituiu Cleuza Repulho (PT) na Educação. Cícero Ribeiro Silva foi alçado para o comando da Segurança Urbana, no lugar de Benedito Mariano. E no Desenvolvimento Econômico, Jefferson José da Conceição deu lugar para Hitoshi Hyodo (PTB).

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;