Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 1 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Com baixas, PSDB tenta convencer Zé Augusto a ser candidato à Câmara de Diadema

Ex-prefeito anunciou aposentadoria, mas sigla teme por derrota em 2016


Leandro Baldini
Do Diário do Grande ABC

06/06/2015 | 07:00


Com fraca chapa de candidatos a vereador e vendo saída de quadros internos, o PSDB de Diadema voltou à carga para ter novamente o ex-prefeito e atual secretário de Saúde, José Augusto da Silva Ramos, como puxador de votos da legenda na eleição do ano que vem. Em 2012, ele foi o vereador mais votado da história (7.254 adesões) e manteve viva a representatividade da legenda.

Zé Augusto já anunciou que não quer mais disputar cargo eletivo e que trabalharia exclusivamente pela reeleição do prefeito Lauro Michels (PV). Mas tucanos da cidade admitem que apenas seu recall eleitoral é capaz de manter a bancada peessedebista no município, formada por duas cadeiras – hoje ocupadas pelo presidente da Câmara, José Dourado, e pelo suplente Atevaldo Leitão.

O PSDB diademense sofre com baixas desde 2011, quando Lauro – então vereador – e Márcio da Farmácia decidiram migrar para o PV em busca de candidatura própria à Prefeitura. À ocasião, Zé Augusto vetou projeto de Lauro como resposta ao apoio declarado à candidatura de Orlando Morando (PSDB) a deputado estadual em 2010, em vez de sustentar a tentativa de sua reeleição à Assembleia Legislativa.

Recentemente, o segundo suplente do partido, Taka Yamauchi, pediu desfiliação do PSDB. Com 990 votos em 2012, ele agora tenta ser candidato a prefeito pelo PSD.

Para amenizar os problemas partidários, houve consenso interno para que Zé Augusto voltasse a ser presidente do partido. Caso o ex-prefeito mantenha decisão de se afastar das urnas, a tentativa é convencer Maridite Cristóvão de Oliveira, ex-vereadora e ex-prefeiturável do PSDB em 2012. Ela, entretanto, também não quer mais ser candidata.

Alternativa ao tucanato é a possibilidade de coligação com partidos insuflados pelo governo Lauro.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Com baixas, PSDB tenta convencer Zé Augusto a ser candidato à Câmara de Diadema

Ex-prefeito anunciou aposentadoria, mas sigla teme por derrota em 2016

Leandro Baldini
Do Diário do Grande ABC

06/06/2015 | 07:00


Com fraca chapa de candidatos a vereador e vendo saída de quadros internos, o PSDB de Diadema voltou à carga para ter novamente o ex-prefeito e atual secretário de Saúde, José Augusto da Silva Ramos, como puxador de votos da legenda na eleição do ano que vem. Em 2012, ele foi o vereador mais votado da história (7.254 adesões) e manteve viva a representatividade da legenda.

Zé Augusto já anunciou que não quer mais disputar cargo eletivo e que trabalharia exclusivamente pela reeleição do prefeito Lauro Michels (PV). Mas tucanos da cidade admitem que apenas seu recall eleitoral é capaz de manter a bancada peessedebista no município, formada por duas cadeiras – hoje ocupadas pelo presidente da Câmara, José Dourado, e pelo suplente Atevaldo Leitão.

O PSDB diademense sofre com baixas desde 2011, quando Lauro – então vereador – e Márcio da Farmácia decidiram migrar para o PV em busca de candidatura própria à Prefeitura. À ocasião, Zé Augusto vetou projeto de Lauro como resposta ao apoio declarado à candidatura de Orlando Morando (PSDB) a deputado estadual em 2010, em vez de sustentar a tentativa de sua reeleição à Assembleia Legislativa.

Recentemente, o segundo suplente do partido, Taka Yamauchi, pediu desfiliação do PSDB. Com 990 votos em 2012, ele agora tenta ser candidato a prefeito pelo PSD.

Para amenizar os problemas partidários, houve consenso interno para que Zé Augusto voltasse a ser presidente do partido. Caso o ex-prefeito mantenha decisão de se afastar das urnas, a tentativa é convencer Maridite Cristóvão de Oliveira, ex-vereadora e ex-prefeiturável do PSDB em 2012. Ela, entretanto, também não quer mais ser candidata.

Alternativa ao tucanato é a possibilidade de coligação com partidos insuflados pelo governo Lauro.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;