Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 16 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Sto.André despacha Galo e está nas oitavas da Copa do Brasil


Nilton Valentim
Enviado do Diário do Grande ABC

08/04/2004 | 00:49


O Santo André nunca foi tão inteligente e nem tão frio como na partida desta quarta-feira noite contra o Atlético Mineiro, no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte. Enfrentou a pressão de mais de 30 mil torcedores, perdeu por 2 a 0, mas mesmo assim está classificado para as oitavas-de-final da Copa do Brasil – torneio que garante ao seu vencedor uma vaga na Taça Libertadores da América de 2005. O próximo adversário o time do Grande ABC será o Guarani, quarta-feira (dia 14) e no dia 5 de maio. O sorteio dos mandos de jogos será feito nesta quinta-feira, na CBF (Confederação Brasileira de Futebol).

O Atlético transformou o estádio do Mineirão num verdadeiro caldeirão aquecido por mais de 30 mil torcedores fanáticos, mas foi o Santo André que, literalmente, cozinhou o Galo. As cobranças de falta e de lateral eram valorizadas pelos jogadores do Ramalhão, que procuravam administrar a vantagem do 3 a 0 obtida no Bruno José Daniel, no jogo de ida. Só não foi melhor o primeiro tempo devido ao gol de Márcio Araújo aos 19 minutos, num chute de fora da área que desviou no zagueiro Dedimar e enganou o goleiro Júnior.

Por incrível que pareça, a primeira boa jogada de gol foi do time do Grande ABC. Do Santo André, que jogava fechado apenas com o atacante Makanaki brigando com os zagueiros do Galo. Aos oito minutos, Da Guia ganhou a bola antes da linha do meio-campo e conduziu-a até próximo à área, onde tocou para Vander. O meia, já negociado com a Ponte Preta, bateu forte e obrigou o goleiro Eduardo a fazer uma grande defesa. Na cobrança de escanteio, o meia Renato, do Atlético, quase faz contra ao tocar a bola de carrinho para a linha de fundo.

O Ramalhão não abandonava a postura defensiva, mas era perigoso nos contra-ataques. Entretanto, aos 18 minutos, o meia Marcio Araújo tentou de longe, a bola desviou no zagueiro Dedimar e entrou no canto esquerdo, sem possibilidades de defesa para o arqueiro Júnior. Como era esperado, o gol motivou o time da casa, que intensificou a pressão. No entanto, a zaga andreense estava bem atenta à marcação. Nos momentos em que deu espaços, contou com a falta de pontaria dos atacantes do Atlético Mineiro, como ocorreu aos 39 minutos, quando Alex Mineiro, sozinho, cabeceou fraco nas mãos de Júnior, que voltava desesperado depois de tentar interceptar o cruzamento de Carlinhos.

Para os 45 minutos finais, o Santo André voltou ainda mais acertado taticamente. Teve chance de empatar a partida no escanteio que Dedimar bateu e a bola tocou no travessão. Ficou ainda mais perto da classificação quando o meia Dejair do Galo foi expulso aos 25 minutos. Tomou um susto quando Márcio Santos ampliou para o Atlético Mineiro aos 43. Mas soube suportar a pressão até o final da partida.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Sto.André despacha Galo e está nas oitavas da Copa do Brasil

Nilton Valentim
Enviado do Diário do Grande ABC

08/04/2004 | 00:49


O Santo André nunca foi tão inteligente e nem tão frio como na partida desta quarta-feira noite contra o Atlético Mineiro, no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte. Enfrentou a pressão de mais de 30 mil torcedores, perdeu por 2 a 0, mas mesmo assim está classificado para as oitavas-de-final da Copa do Brasil – torneio que garante ao seu vencedor uma vaga na Taça Libertadores da América de 2005. O próximo adversário o time do Grande ABC será o Guarani, quarta-feira (dia 14) e no dia 5 de maio. O sorteio dos mandos de jogos será feito nesta quinta-feira, na CBF (Confederação Brasileira de Futebol).

O Atlético transformou o estádio do Mineirão num verdadeiro caldeirão aquecido por mais de 30 mil torcedores fanáticos, mas foi o Santo André que, literalmente, cozinhou o Galo. As cobranças de falta e de lateral eram valorizadas pelos jogadores do Ramalhão, que procuravam administrar a vantagem do 3 a 0 obtida no Bruno José Daniel, no jogo de ida. Só não foi melhor o primeiro tempo devido ao gol de Márcio Araújo aos 19 minutos, num chute de fora da área que desviou no zagueiro Dedimar e enganou o goleiro Júnior.

Por incrível que pareça, a primeira boa jogada de gol foi do time do Grande ABC. Do Santo André, que jogava fechado apenas com o atacante Makanaki brigando com os zagueiros do Galo. Aos oito minutos, Da Guia ganhou a bola antes da linha do meio-campo e conduziu-a até próximo à área, onde tocou para Vander. O meia, já negociado com a Ponte Preta, bateu forte e obrigou o goleiro Eduardo a fazer uma grande defesa. Na cobrança de escanteio, o meia Renato, do Atlético, quase faz contra ao tocar a bola de carrinho para a linha de fundo.

O Ramalhão não abandonava a postura defensiva, mas era perigoso nos contra-ataques. Entretanto, aos 18 minutos, o meia Marcio Araújo tentou de longe, a bola desviou no zagueiro Dedimar e entrou no canto esquerdo, sem possibilidades de defesa para o arqueiro Júnior. Como era esperado, o gol motivou o time da casa, que intensificou a pressão. No entanto, a zaga andreense estava bem atenta à marcação. Nos momentos em que deu espaços, contou com a falta de pontaria dos atacantes do Atlético Mineiro, como ocorreu aos 39 minutos, quando Alex Mineiro, sozinho, cabeceou fraco nas mãos de Júnior, que voltava desesperado depois de tentar interceptar o cruzamento de Carlinhos.

Para os 45 minutos finais, o Santo André voltou ainda mais acertado taticamente. Teve chance de empatar a partida no escanteio que Dedimar bateu e a bola tocou no travessão. Ficou ainda mais perto da classificação quando o meia Dejair do Galo foi expulso aos 25 minutos. Tomou um susto quando Márcio Santos ampliou para o Atlético Mineiro aos 43. Mas soube suportar a pressão até o final da partida.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;