Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 21 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Verdão perde para o
Tijuana no Pacaembu

Denis Maciel/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Bruno falha, Palmeiras é derrotado por 2 a 1 e
está eliminado; o time volta a campo na Série B


Thiago Bassan
do Diário do Grande ABC

15/05/2013 | 00:59


O inesperado aconteceu. Favorito a passar para as quartas de final da Copa Libertadores da América, o Palmeiras viu o sonho naufragar ontem à noite, ao perder para o surpreendente Tijuana por 2 a 1, no Pacaembu – o primeiro jogo, no México, havia acabado sem gols.

A eliminação deve gerar grande processo de renovação no elenco alviverde nos próximos dias, antes do início da Série B do Brasileiro. O time, agora, volta a atuar somente no dia 25 pelo torneio nacional, contra o Atlético Goianiense.

Em casa, e com forte apoio vindo das arquibancadas, o Palmeiras pressionou o adversário no início em busca do gol que poderia trazer maior tranquilidade.  A postura, no entanto, não se transformou em oportunidades de gol. E o jogo começou truncado, com o árbitro distribuindo cartões para as duas equipes.

Na primeira boa chance, o Verdão deixou a torcida com o grito de ‘gol’ preso na garganta. Ayrton cobrou falta, aos 24, e carimbou o travessão. No rebote, Marcelo Oliveira desperdiçou. No minuto seguinte, porém, o Tijuana conseguiu abrir o placar da maneira mais inustada possível. Riascos bateu fraco, despretensiosamente, e o goleiro Bruno levou frango inacreditável.

O gol e a necessidade de ter que virar a partida para garantir a classificação deixaram os jogadores do Palmeiras bastante nervosos. Além disso, a tradiconal catimba nos torneios sul-americanos era mais do que constante por parte dos mexicanos. Todos os lances viravam motivo para que os atletas demorassem a se recompor, o que irritava demasiadamente os palmeirenses, deixando o conflito cada vez mais evidente.

A segunda etapa começou da mesma maneira que a primeira terminou, com os jogadores nervosos de lado a lado. E, logo aos seis minutos, o Tijuana ampliou. Henrique afastou de cabeça e Arce encheu o pé para acertar o canto esquerdo de Bruno e marcar o segundo.

A situação, que já era ruim, piorou ainda mais. E até a calorosa torcida esfriou. Mesmo assim, o Palmeiras encontrou forças para pressionar o adversário em busca do gol que pudesse reduzir a vantagem mexicana. Após desperdiçar algumas chances, o tento saiu de pênalti, aos 16. Aguilar pôs a mão na bola, Souza bateu e diminuiu.

Porém, o Tijuana apostou somente em se defender. E a retranca dos mexicanos estava intransponível. Assim, o Verdão, apesar da luta, e de algumas boas chances desperdiçadas no fim da partida, acabou eliminado para grande festa da torcida e elenco mexicanos.

Bruno assume culpa pela eliminação

O goleiro Bruno não fugiu da responsabilidade e assumiu sozinho a culpa pela eliminação do Palmeiras na Copa Libertadores. Com falha bisonha no primeiro gol dos mexicanos, quando tentou encaixar bola fraca e deixou escapar, ele lamentou o erro individual, fundamental psicologicamente para que o time sucumbisse diante do Tijuana.

“Assumo a falha e a responsabilidade pela eliminação. Errei, sei que isso foi decisivo para o resultado final”, enfatizou o goleiro, que perdeu a paciência com os repórteres quando questionado sobre seu futuro no Palmeiras. “Acho que já provei do que sou capaz em outros jogos. Esse erro foi decisivo na partida, mas não vai me abalar”, completou.

Um dos mais esforçados em campo, Henrique foi comedido nas palavras e fez questão de elogiar os torcedores que lotaram o Pacaembu. “Fizemos de tudo, mas não deu. Quero agradecer o apoio da torcida, que gritou o tempo todo, mas não deu. Melhor esfriar a cabeça e pensar no próximo jogo”, sugeriu o zagueiro.

REFORÇOS

O presidente do Palmeiras Paulo Nobre ignorou totalmente a rivalidade e disse que está de olho nos sete jogadores – Luiz Eduardo, Henrique Miranda, Cortez, Wallyson, Cañete, Fabrício e João Filipe – que foram liberados ou encostados recentemente pelo São Paulo.

Pressionado pelos torcedores e atrás de reforços, ele colocou os são-paulinos na lista de alvos. “São grandes jogadores e todo jogador o Palmeiras tem interesse, seja do time que for”, comentou o dirigente, assim que chegou ao Pacaembu para acompanhar o jogo do Palmeiras contra o Tijuana.

O presidente também comentou sobre a possibilidade de contratar o fisioterapeuta Luiz Rosan, que deixou o São Paulo e atualmente está apenas na Seleção Brasileira.

“É um grande profissional e todo grande profissional o Palmeiras quer no clube, mas não significa que todos serão contratados. Falta primeiro uma conversa, ver se existe a necessidade no Palmeiras. Tenho grande admiração por ele, não à toa está na Seleção”, comentou Nobre. (das Agências)



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;