Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 18 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

juiz nega pedido de Trump para cancelar resultado da eleição na Pensilvânia



21/11/2020 | 21:42


Um juiz federal de Williamsport, na Pensilvânia, recusou o pedido de liminar da campanha do presidente Donald Trump, para cancelar o resultado da eleição presidencial no Estado, que deu vitória a o democrata Joe Biden.

A decisão é mais uma derrota para o presidente republicano e torna cada vez mais difícil para Trump impedir que Biden assuma a cadeira de líder dos americanos. Autoridades da Pensilvânia devem certificar os resultados eleitorais que mostram vitória democrata com mais de 80 mil votos.

Na decisão, o juiz Matthew Brann afirma que a campanha de Trump apresentava "argumentos jurídicos sem mérito e acusações especulativas, sem suporte de evidências".

"Nos Estados Unidos da América, isso não pode justificar a cassaçãodo voto de um único eleitor, muito menos de todos os eleitores de seu sexto estado mais populoso", disse o parecer. "Nossas leis e instituições exigem mais", afirmou o juiz na sentença.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

juiz nega pedido de Trump para cancelar resultado da eleição na Pensilvânia


21/11/2020 | 21:42


Um juiz federal de Williamsport, na Pensilvânia, recusou o pedido de liminar da campanha do presidente Donald Trump, para cancelar o resultado da eleição presidencial no Estado, que deu vitória a o democrata Joe Biden.

A decisão é mais uma derrota para o presidente republicano e torna cada vez mais difícil para Trump impedir que Biden assuma a cadeira de líder dos americanos. Autoridades da Pensilvânia devem certificar os resultados eleitorais que mostram vitória democrata com mais de 80 mil votos.

Na decisão, o juiz Matthew Brann afirma que a campanha de Trump apresentava "argumentos jurídicos sem mérito e acusações especulativas, sem suporte de evidências".

"Nos Estados Unidos da América, isso não pode justificar a cassaçãodo voto de um único eleitor, muito menos de todos os eleitores de seu sexto estado mais populoso", disse o parecer. "Nossas leis e instituições exigem mais", afirmou o juiz na sentença.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;