Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 28 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Rogê com som ao vivo

Divulgação  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Cantor e compositor carioca faz viagem pela carreira no novo trabalho ‘Baile do Brenguelé’


Gustavo Cipriano
Especial para o Diário

30/08/2014 | 07:00


O cantor carioca Rogê está com mais um trabalho à disposição dos fãs. Já está nas lojas o primeiro registro de um show ao vivo do intérprete. Baile do Brenguelé (Warner Music, CD e DVD R$ 19,90 e R$ 29,90 em média, respectivamente) foi gravado em julho do ano passado no Espaço Tom Jobim, no Jardim Botânico, no Rio de Janeiro.

O título do novo projeto faz alusão ao seu mais recente disco Brenguelé, lançado em 2012. O repertório da noite ficou por conta de uma mistura de obras presentes em toda sua carreira. Há diversas faixas do último CD, como Presença Forte, Na Veia e Acertando os Ponteiros, mas também não faltam espaços para canções como Minha Pressão e A Nega e O Malandro, presentes respectivamente nos álbuns de estreia Rogê, de 2003, e Fala Geral, de 2010. 

"Eu faço um baile todos os domingos no Carioca da Gema (bar no Rio de Janeiro), portanto as músicas naturalmente foram se mostrando mais propícias para esse formato de show, ou seja, um estilo de baile com as músicas todas emendadas. O próprio repertório veio à tona naturalmente”, diz o músico.

As músicas que foram escolhidas para o show têm composição de Rogê e convidados. Em boa parte delas, quem colabora é Arlindo Cruz, que aparece no registro na faixa Remédio Pro Veneno. “Arlindo é meu compadre, meu amigo, meu parceiro, meu ídolo, e uma pessoa que eu sempre gosto de ter por perto, para conversar, pedir conselhos e fazer música.”

Todos os trabalhos do intérprete carioca são marcados pelo samba e pelo balanço. Para ele, o último CD lançado é o que mais chegou no som que desejava. “Cada disco é uma viagem, uma fotografia de épocas da minha vida. O Rogê é mais pop, o Brasil em Brasa mais samba, Fala Geral mais eclético, e o Brenguelé mais acertivo naquilo que eu queria. Mas cada um tem o seu valor”, diz o carioca.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Rogê com som ao vivo

Cantor e compositor carioca faz viagem pela carreira no novo trabalho ‘Baile do Brenguelé’

Gustavo Cipriano
Especial para o Diário

30/08/2014 | 07:00


O cantor carioca Rogê está com mais um trabalho à disposição dos fãs. Já está nas lojas o primeiro registro de um show ao vivo do intérprete. Baile do Brenguelé (Warner Music, CD e DVD R$ 19,90 e R$ 29,90 em média, respectivamente) foi gravado em julho do ano passado no Espaço Tom Jobim, no Jardim Botânico, no Rio de Janeiro.

O título do novo projeto faz alusão ao seu mais recente disco Brenguelé, lançado em 2012. O repertório da noite ficou por conta de uma mistura de obras presentes em toda sua carreira. Há diversas faixas do último CD, como Presença Forte, Na Veia e Acertando os Ponteiros, mas também não faltam espaços para canções como Minha Pressão e A Nega e O Malandro, presentes respectivamente nos álbuns de estreia Rogê, de 2003, e Fala Geral, de 2010. 

"Eu faço um baile todos os domingos no Carioca da Gema (bar no Rio de Janeiro), portanto as músicas naturalmente foram se mostrando mais propícias para esse formato de show, ou seja, um estilo de baile com as músicas todas emendadas. O próprio repertório veio à tona naturalmente”, diz o músico.

As músicas que foram escolhidas para o show têm composição de Rogê e convidados. Em boa parte delas, quem colabora é Arlindo Cruz, que aparece no registro na faixa Remédio Pro Veneno. “Arlindo é meu compadre, meu amigo, meu parceiro, meu ídolo, e uma pessoa que eu sempre gosto de ter por perto, para conversar, pedir conselhos e fazer música.”

Todos os trabalhos do intérprete carioca são marcados pelo samba e pelo balanço. Para ele, o último CD lançado é o que mais chegou no som que desejava. “Cada disco é uma viagem, uma fotografia de épocas da minha vida. O Rogê é mais pop, o Brasil em Brasa mais samba, Fala Geral mais eclético, e o Brenguelé mais acertivo naquilo que eu queria. Mas cada um tem o seu valor”, diz o carioca.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;