Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 12 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Encontros e desencontros

Desde a derrota de Carlos Augusto César, o Cafu, em 2004, na corrida pelo Paço, o PT de Rio Grande da Serra não se encontrou mais


Beto Silva
Do Diário do Grande ABC

20/11/2015 | 07:00


Desde a derrota de Carlos Augusto César, o Cafu, em 2004, na corrida pelo Paço, o PT de Rio Grande da Serra não se encontrou mais. Em 2008, outra derrota do mesmo Cafu. Em 2012, Claudinho da Geladeira tentou retomar a Prefeitura, mas também sem sucesso. Antes de tudo isso, Ramon Velásquez comandou a administração municipal de 2001 a 2004. Agora, em 2015, na preparação para a eleição do ano que vem, os três atores petistas protagonizam as ações do partido. Mas não estão se entendendo. Cada um fala uma língua. Claudinho quer ser candidato a prefeito a qualquer custo. No início do ano, o PT debateu internamente a possibilidade de apoiar a reeleição de Gabriel Maranhão (PSDB) se ele mudasse para o PSD. Como a migração não ocorreu, a discussão foi encerrada. E Claudinho foi até o prefeito de São Bernardo, Luiz Marinho (PT), para garantir apoio ao projeto de encabeçar a chapa majoritária. Até agora, conseguiu. Mas não obteve apoio interno. Ramon Velásquez, por exemplo, afirma categoricamente que não o ajudará. O ex-chefe do Executivo está mais preocupado com as eleições de Mauá e em São Bernardo. Cafu reapareceu recentemente na cidade para comemorar seu aniversário. Foi também sua reinserção no cenário político rio-grandense. Porém, mais tumultuou o ambiente do que organizou. Esteve fora da cidade desde 2008. Acompanhou e assessorou a senadora e ex-ministra Marta Suplicy (PMDB) quando ela ainda era do PT. Como se vê, a oposição está desarticulada e o caminho para a reeleição do tucano Maranhão está sendo asfaltado com tranquilidade.

Surpresa!
O prazo para inscrição de chapas para a eleição da Ouvidoria de Santo André expirou quarta-feira. Estava protocolizada apenas a candidatura de reeleição de José Luiz Ribas. Minutos antes de fechar o período estipulado, apareceu Edson Salvo Melo, atual assessor parlamentar do vereador Almir Cicote (PSB) e secretário de Cultura, Esporte, Lazer e Turismo da gestão Aidan Ravin (PSB-2009-2012). O que muitos já davam como favas contadas, agora, a disputa promete ser acirrada em janeiro.

Empatado
O deputado Atila Jacomussi (PCdoB) se esforçou para que o advogado Jozelito Rodrigues de Paula vencesse a eleição da OAB de Mauá. Integrantes do governo Donisete Braga (PT) apoiavam a reeleição de Luiz Carlos Spíndola. Já na eleição do Conselho Tutelar, no mês passado, quem saiu bem foi o petista, já que assessores da gestão petista trabalharam pela maioria dos que conseguiram se eleger. Como será a eleição municipal do ano que vem, que é a que vale?

Charge elogiada
A charge do Diário de ontem, de autoria do artista Fernandes, foi comentada por José Simão na Band News FM, em bate-papo com o jornalista Ricardo Boechat pela manhã. O chargista fez crítica bem-humorada sobre a ocupação das escolas estaduais por alunos, que protestam contra a reorganização do ensino proposta pela Secretaria de Educação paulista. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Encontros e desencontros

Desde a derrota de Carlos Augusto César, o Cafu, em 2004, na corrida pelo Paço, o PT de Rio Grande da Serra não se encontrou mais

Beto Silva
Do Diário do Grande ABC

20/11/2015 | 07:00


Desde a derrota de Carlos Augusto César, o Cafu, em 2004, na corrida pelo Paço, o PT de Rio Grande da Serra não se encontrou mais. Em 2008, outra derrota do mesmo Cafu. Em 2012, Claudinho da Geladeira tentou retomar a Prefeitura, mas também sem sucesso. Antes de tudo isso, Ramon Velásquez comandou a administração municipal de 2001 a 2004. Agora, em 2015, na preparação para a eleição do ano que vem, os três atores petistas protagonizam as ações do partido. Mas não estão se entendendo. Cada um fala uma língua. Claudinho quer ser candidato a prefeito a qualquer custo. No início do ano, o PT debateu internamente a possibilidade de apoiar a reeleição de Gabriel Maranhão (PSDB) se ele mudasse para o PSD. Como a migração não ocorreu, a discussão foi encerrada. E Claudinho foi até o prefeito de São Bernardo, Luiz Marinho (PT), para garantir apoio ao projeto de encabeçar a chapa majoritária. Até agora, conseguiu. Mas não obteve apoio interno. Ramon Velásquez, por exemplo, afirma categoricamente que não o ajudará. O ex-chefe do Executivo está mais preocupado com as eleições de Mauá e em São Bernardo. Cafu reapareceu recentemente na cidade para comemorar seu aniversário. Foi também sua reinserção no cenário político rio-grandense. Porém, mais tumultuou o ambiente do que organizou. Esteve fora da cidade desde 2008. Acompanhou e assessorou a senadora e ex-ministra Marta Suplicy (PMDB) quando ela ainda era do PT. Como se vê, a oposição está desarticulada e o caminho para a reeleição do tucano Maranhão está sendo asfaltado com tranquilidade.

Surpresa!
O prazo para inscrição de chapas para a eleição da Ouvidoria de Santo André expirou quarta-feira. Estava protocolizada apenas a candidatura de reeleição de José Luiz Ribas. Minutos antes de fechar o período estipulado, apareceu Edson Salvo Melo, atual assessor parlamentar do vereador Almir Cicote (PSB) e secretário de Cultura, Esporte, Lazer e Turismo da gestão Aidan Ravin (PSB-2009-2012). O que muitos já davam como favas contadas, agora, a disputa promete ser acirrada em janeiro.

Empatado
O deputado Atila Jacomussi (PCdoB) se esforçou para que o advogado Jozelito Rodrigues de Paula vencesse a eleição da OAB de Mauá. Integrantes do governo Donisete Braga (PT) apoiavam a reeleição de Luiz Carlos Spíndola. Já na eleição do Conselho Tutelar, no mês passado, quem saiu bem foi o petista, já que assessores da gestão petista trabalharam pela maioria dos que conseguiram se eleger. Como será a eleição municipal do ano que vem, que é a que vale?

Charge elogiada
A charge do Diário de ontem, de autoria do artista Fernandes, foi comentada por José Simão na Band News FM, em bate-papo com o jornalista Ricardo Boechat pela manhã. O chargista fez crítica bem-humorada sobre a ocupação das escolas estaduais por alunos, que protestam contra a reorganização do ensino proposta pela Secretaria de Educação paulista. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;