Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 16 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Rosi ingressa no PSDB e busca espólio de Volpi

Arquivo/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Ex-secretária de Educação de Ribeirão tenta captar votos do ex-prefeito, que concorrerá em Mauá


Caio dos Reis
Especial para o Diário

20/11/2015 | 07:00


Ex-secretária de Educação de Ribeirão Pires, Rosi de Marco filou-se no PSDB para ser pré-candidata à sucessão de Saulo Benevides (PMDB) em 2016. O evento que teve presença de 500 pessoas e, na atividade, Rosi deixou claro qual espólio político pretende explorar: do ex-prefeito Clóvis Volpi (PSDB), que mudou seu título eleitoral para Mauá com objetivo de concorrer à administração local.

“Superou minhas expectativas porque eu estava fora do cenário político há bom tempo fora. Esse evento marcou o meu retorno. Agora é tocar esse projeto de resgate de uma cidade que está abandonada. Essa não é a visão da Rosi, mas sim da população de Ribeirão”, disse Rosi, que retornou ao PSDB após 25 anos e passagens por PR e PV.

Coordenador regional do PSDB, Márcio Canuto disse que acredita na vitória de Rosi. “Vejo potencial grande de crescimento pelo projeto e ânimo dela. Acho que podemos alcançar a vitória pelo grupo forte que foi montado e pelo desprestígio do atual governo da cidade”, discorreu Canuto.

Até o momento, PHS, DEM e PR completam a aliança para o Paço. Entretanto, a definição de nome para compor a chapa encabeçada por Rosi deve ser feita apenas em 2016. “Ainda não existem conversas nesse sentido. Hoje tudo está caminhando para chapa pura, mas tudo pode mudar”, afirmou Canuto. “O vice deve ser escolhido assim como foi feito na decisão pelo meu nome, após pesquisa interna. É posição muito importante e todos os partidos aliados devem se sentir representados”, ponderou Rosi.

A decisão pelo nome de Rosi foi tomada após sondagem eleitoral no tucanato local em outubro. A ex-integrante do primeiro escalão da gestão Volpi ficou à frente do empresário Charles D’Orto e do advogado Patrick Pavan. Marcelo Menato (ex-secretário de Desenvolvimento Econômico, Emprego e Renda) e Antônio Muraki (ex-vereador e líder do governo Volpi na Câmara) também eram cotados para encabeçar chapa majoritária no partido.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Rosi ingressa no PSDB e busca espólio de Volpi

Ex-secretária de Educação de Ribeirão tenta captar votos do ex-prefeito, que concorrerá em Mauá

Caio dos Reis
Especial para o Diário

20/11/2015 | 07:00


Ex-secretária de Educação de Ribeirão Pires, Rosi de Marco filou-se no PSDB para ser pré-candidata à sucessão de Saulo Benevides (PMDB) em 2016. O evento que teve presença de 500 pessoas e, na atividade, Rosi deixou claro qual espólio político pretende explorar: do ex-prefeito Clóvis Volpi (PSDB), que mudou seu título eleitoral para Mauá com objetivo de concorrer à administração local.

“Superou minhas expectativas porque eu estava fora do cenário político há bom tempo fora. Esse evento marcou o meu retorno. Agora é tocar esse projeto de resgate de uma cidade que está abandonada. Essa não é a visão da Rosi, mas sim da população de Ribeirão”, disse Rosi, que retornou ao PSDB após 25 anos e passagens por PR e PV.

Coordenador regional do PSDB, Márcio Canuto disse que acredita na vitória de Rosi. “Vejo potencial grande de crescimento pelo projeto e ânimo dela. Acho que podemos alcançar a vitória pelo grupo forte que foi montado e pelo desprestígio do atual governo da cidade”, discorreu Canuto.

Até o momento, PHS, DEM e PR completam a aliança para o Paço. Entretanto, a definição de nome para compor a chapa encabeçada por Rosi deve ser feita apenas em 2016. “Ainda não existem conversas nesse sentido. Hoje tudo está caminhando para chapa pura, mas tudo pode mudar”, afirmou Canuto. “O vice deve ser escolhido assim como foi feito na decisão pelo meu nome, após pesquisa interna. É posição muito importante e todos os partidos aliados devem se sentir representados”, ponderou Rosi.

A decisão pelo nome de Rosi foi tomada após sondagem eleitoral no tucanato local em outubro. A ex-integrante do primeiro escalão da gestão Volpi ficou à frente do empresário Charles D’Orto e do advogado Patrick Pavan. Marcelo Menato (ex-secretário de Desenvolvimento Econômico, Emprego e Renda) e Antônio Muraki (ex-vereador e líder do governo Volpi na Câmara) também eram cotados para encabeçar chapa majoritária no partido.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;