Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 10 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Passarela da Via Anchieta que caiu era pouco utilizada

Celso Luiz/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Sem ela, porém, pedestres se arriscam na via ao invés de utilizar passagem sinalizada


Nelson Donato
Especial para o Diário

20/11/2015 | 06:00


Pedestres que precisam atravessar na altura do km 30 da Via Anchieta afirmam que a passarela que foi derrubada por caminhão com a caçamba levantada, na segunda-feira, costumava ser evitada. Isso porque era considerada perigosa e muitos optavam por fazer a travessia no km 29 da via.

Porém, sem a passarela, o Diário flagrou, na tarde de ontem, pedestres arriscando a vida e atravessando entre os carros ao invés de escolher trecho sinalizado pela Ecovias, concessionária que administra o SAI (Sistema Anchieta-Imigrantes).

Pela manhã, funcionários da Beltrame Engenharia, contratada pela Ecovias, avaliavam os danos causados na parte da estrutura que permaneceu de pé após a colisão. Segundo a Ecovias, o projeto da passarela provisória, que será posicionada próxima ao local da que caiu, já foi aprovado e deverá começar em, no máximo, 15 dias. A construção definitiva tem previsão para ser finalizada em até 90 dias.

A concessionária salienta que, durante a montagem do equipamento provisório, os pedestres serão orientados por faixas e ações de conscientização das equipes da concessionária a utilizar o acesso alternativo que fica a cerca de 500 metros da passarela que foi derrubada.
 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Passarela da Via Anchieta que caiu era pouco utilizada

Sem ela, porém, pedestres se arriscam na via ao invés de utilizar passagem sinalizada

Nelson Donato
Especial para o Diário

20/11/2015 | 06:00


Pedestres que precisam atravessar na altura do km 30 da Via Anchieta afirmam que a passarela que foi derrubada por caminhão com a caçamba levantada, na segunda-feira, costumava ser evitada. Isso porque era considerada perigosa e muitos optavam por fazer a travessia no km 29 da via.

Porém, sem a passarela, o Diário flagrou, na tarde de ontem, pedestres arriscando a vida e atravessando entre os carros ao invés de escolher trecho sinalizado pela Ecovias, concessionária que administra o SAI (Sistema Anchieta-Imigrantes).

Pela manhã, funcionários da Beltrame Engenharia, contratada pela Ecovias, avaliavam os danos causados na parte da estrutura que permaneceu de pé após a colisão. Segundo a Ecovias, o projeto da passarela provisória, que será posicionada próxima ao local da que caiu, já foi aprovado e deverá começar em, no máximo, 15 dias. A construção definitiva tem previsão para ser finalizada em até 90 dias.

A concessionária salienta que, durante a montagem do equipamento provisório, os pedestres serão orientados por faixas e ações de conscientização das equipes da concessionária a utilizar o acesso alternativo que fica a cerca de 500 metros da passarela que foi derrubada.
 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;