Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 28 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Automóveis

automoveis@dgabc.com.br | 4435-8337

Cavalaria a toda prova

'Brincando' de acelerar: Fiat Punto T-Jet e Honda Civic Si foram feitos para oferecer diversão ao dirigir


Sueli Osório
Do Diário do Grande ABC

01/04/2009 | 07:00


Eles foram feitos para quem não se preocupa tanto com a relação custo-benefício, mas quer saber exatamente quantos ‘cavalinhos' se escondem sob o capô. Com visual marcante e apelo jovem, os esportivos fazem parte do imaginário daqueles que amam acelerar.

No mês passado, com o lançamento do Fiat Punto T-Jet, esse sonho pode ter se tornado mais próximo para muita gente. Custando R$ 59,5 mil, o modelo é bem acessível, principalmente se comparado a outros esportivos. Aqui, o colocamos ao lado do Honda Civic Si, com preço de R$ 96.965.

O Punto T-Jet veste bem o motorista. Seus bancos são envolventes e a posição de dirigir preza pela ergonomia. O volante tem boa empunhadura e seu design facilita ao condutor segurá-lo da forma correta, com as mãos na posição 9h15.

Internamente, há quem se incomode com o painel pintado na cor da carroceria, que fica bem chamativo no caso dos modelos de cor vermelha ou amarela. Questão de gosto.

O propulsor é o Fire 1.4 16V Turbo que utiliza o conceito downsizing, pelo qual motores compactos oferecem alto rendimento com menor consumo. No caso do Punto, são 152 cv a 5.500 rpm e torque de 21,1 mkgf entre 2.250 e 4.500 giros. Segundo a Fiat, o esportivo acelera de 0 a 100 km/h em 8,4 segundos e chega à máxima de 203 km/h.

O turbo acorda a partir das 2.000 rpm, o que exige pisar com mais vontade no pedal da direita para fazê-lo sair mais rápido ou engatar a primeira marcha após passar por uma lombada, por exemplo.

Interessante é o comportamento da suspensão. O conjunto foi retrabalhado para oferecer mais firmeza nas curvas, mas continua privilegiando o conforto, uma característica dos modelos da Fiat. Assim, os ocupantes quase não sentem as irregularidades do solo.

A lista de equipamentos é ampla (veja tabela) e poucos itens são opcionais, como teto solar elétrico, navegador, sensores crepuscular e de chuva, air bags laterais e de cortina.

HONDA - O veterano Civic Si teve sutis alterações para a linha 2009. O para-choque dianteiro ganhou novo design e está equipado com faróis de neblina. A grade dianteira foi ampliada e agora é preta. O sedã médio esportivo também recebeu novas rodas de aro 17".

Diferentemente do Punto, seu motor 2.0 é aspirado e, para tornar-se mais potente - com seus 192 cv a 7.800 giros -, recebeu coletores de admissão e escapamento diferenciados, para respirar melhor, e um sistema de comando de válvulas variável i-VTEC recalibrado. A transmissão manual é de seis velocidades, com marchas bem escalonadas.

Assim como o Fiat, o Honda chama atenção por onde passa. Agradam seu comportamento muito estável e sua agilidade nas saídas e retomadas, o que demonstra seu fôlego incansável nas acelerações.

O Si se encaixa muito bem ao motorista, oferecendo conforto e ergonomia. O painel é arrojado, o espaço interno é maior, tanto para os ocupantes como para a bagagem, e o assoalho plano garante que as pernas de quem vai atrás fiquem bem acomodadas.

A suspensão não nega que se trata de um esportivo. Além de transmitir bastante segurança é bem mais rígida que a do Punto, de modo que, no habitáculo, sente-se qualquer buraquinho ou elevação do solo. Sua condução é mais apimentada que a do Punto. Cabe ao consumidor decidir!



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Cavalaria a toda prova

'Brincando' de acelerar: Fiat Punto T-Jet e Honda Civic Si foram feitos para oferecer diversão ao dirigir

Sueli Osório
Do Diário do Grande ABC

01/04/2009 | 07:00


Eles foram feitos para quem não se preocupa tanto com a relação custo-benefício, mas quer saber exatamente quantos ‘cavalinhos' se escondem sob o capô. Com visual marcante e apelo jovem, os esportivos fazem parte do imaginário daqueles que amam acelerar.

No mês passado, com o lançamento do Fiat Punto T-Jet, esse sonho pode ter se tornado mais próximo para muita gente. Custando R$ 59,5 mil, o modelo é bem acessível, principalmente se comparado a outros esportivos. Aqui, o colocamos ao lado do Honda Civic Si, com preço de R$ 96.965.

O Punto T-Jet veste bem o motorista. Seus bancos são envolventes e a posição de dirigir preza pela ergonomia. O volante tem boa empunhadura e seu design facilita ao condutor segurá-lo da forma correta, com as mãos na posição 9h15.

Internamente, há quem se incomode com o painel pintado na cor da carroceria, que fica bem chamativo no caso dos modelos de cor vermelha ou amarela. Questão de gosto.

O propulsor é o Fire 1.4 16V Turbo que utiliza o conceito downsizing, pelo qual motores compactos oferecem alto rendimento com menor consumo. No caso do Punto, são 152 cv a 5.500 rpm e torque de 21,1 mkgf entre 2.250 e 4.500 giros. Segundo a Fiat, o esportivo acelera de 0 a 100 km/h em 8,4 segundos e chega à máxima de 203 km/h.

O turbo acorda a partir das 2.000 rpm, o que exige pisar com mais vontade no pedal da direita para fazê-lo sair mais rápido ou engatar a primeira marcha após passar por uma lombada, por exemplo.

Interessante é o comportamento da suspensão. O conjunto foi retrabalhado para oferecer mais firmeza nas curvas, mas continua privilegiando o conforto, uma característica dos modelos da Fiat. Assim, os ocupantes quase não sentem as irregularidades do solo.

A lista de equipamentos é ampla (veja tabela) e poucos itens são opcionais, como teto solar elétrico, navegador, sensores crepuscular e de chuva, air bags laterais e de cortina.

HONDA - O veterano Civic Si teve sutis alterações para a linha 2009. O para-choque dianteiro ganhou novo design e está equipado com faróis de neblina. A grade dianteira foi ampliada e agora é preta. O sedã médio esportivo também recebeu novas rodas de aro 17".

Diferentemente do Punto, seu motor 2.0 é aspirado e, para tornar-se mais potente - com seus 192 cv a 7.800 giros -, recebeu coletores de admissão e escapamento diferenciados, para respirar melhor, e um sistema de comando de válvulas variável i-VTEC recalibrado. A transmissão manual é de seis velocidades, com marchas bem escalonadas.

Assim como o Fiat, o Honda chama atenção por onde passa. Agradam seu comportamento muito estável e sua agilidade nas saídas e retomadas, o que demonstra seu fôlego incansável nas acelerações.

O Si se encaixa muito bem ao motorista, oferecendo conforto e ergonomia. O painel é arrojado, o espaço interno é maior, tanto para os ocupantes como para a bagagem, e o assoalho plano garante que as pernas de quem vai atrás fiquem bem acomodadas.

A suspensão não nega que se trata de um esportivo. Além de transmitir bastante segurança é bem mais rígida que a do Punto, de modo que, no habitáculo, sente-se qualquer buraquinho ou elevação do solo. Sua condução é mais apimentada que a do Punto. Cabe ao consumidor decidir!

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;