Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 20 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Lula fica apreensivo com números da indústria paulista



14/11/2008 | 07:00


As primeiras notícias de queda de emprego na indústria paulista deixaram o presidente Lula preocupado. Em todos os dias da viagem oficial à Itália, encerrada quinta-feira, ele fez discursos em que ressaltou a preocupação com o desemprego, citando em especial a situação da Europa. Na entrevista concedida poucas horas antes de embarcar para Washington, ele deixou ainda mais claro o temor com a retração das ofertas de trabalho no País.

Questionado se a possibilidade de desemprego no Brasil tirava o seu sono, Lula respondeu que o "terrorismo psicológico" causado pela crise deixa investidores e consumidores cautelosos, o que põe em risco as frentes de trabalho. "O que me preocupa, e o que já aconteceu comigo, é que muitas vezes você quer comprar ou trocar de carro e ouve por aí que vai ter um problema e acaba não comprando. Na hora que você não compra um carro, é menos um carro produzido e pode ser um posto de trabalho que você perde", afirmou.

Uma pessoa próxima do presidente disse que a questão do emprego para um chefe de Estado de origem sindical é uma "questão de honra". Lula considera que a questão do emprego prioritária. É sustentação dos empregos que mantém a popularidade do presidente, avalia.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Lula fica apreensivo com números da indústria paulista


14/11/2008 | 07:00


As primeiras notícias de queda de emprego na indústria paulista deixaram o presidente Lula preocupado. Em todos os dias da viagem oficial à Itália, encerrada quinta-feira, ele fez discursos em que ressaltou a preocupação com o desemprego, citando em especial a situação da Europa. Na entrevista concedida poucas horas antes de embarcar para Washington, ele deixou ainda mais claro o temor com a retração das ofertas de trabalho no País.

Questionado se a possibilidade de desemprego no Brasil tirava o seu sono, Lula respondeu que o "terrorismo psicológico" causado pela crise deixa investidores e consumidores cautelosos, o que põe em risco as frentes de trabalho. "O que me preocupa, e o que já aconteceu comigo, é que muitas vezes você quer comprar ou trocar de carro e ouve por aí que vai ter um problema e acaba não comprando. Na hora que você não compra um carro, é menos um carro produzido e pode ser um posto de trabalho que você perde", afirmou.

Uma pessoa próxima do presidente disse que a questão do emprego para um chefe de Estado de origem sindical é uma "questão de honra". Lula considera que a questão do emprego prioritária. É sustentação dos empregos que mantém a popularidade do presidente, avalia.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;