Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 29 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Panetta diz que Japão instalará 2º radar antimíssil



17/09/2012 | 03:32


O Japão instalará um segundo radar terrestre x-band para se defender contra eventuais ataques de mísseis, segundo declarações do secretário de Defesa dos EUA, Leon Panetta, publicadas hoje pelo jornal norte-americano "The Wall Street Journal".

 

Uma equipe dos EUA visitou o Japão nos últimos dias para discutir onde a unidade será instalada, de acordo com o oficial. Anteriormente, as autoridades norte-americanas haviam dito que queriam localizar o radar, formalmente conhecido como AN/TPY2, na parte sul do Japão, mas não em Okinawa, onde a presença militar dos EUA é profundamente controversa.

 

"O segundo radar no Japão aumentará a capacidade da aliança de defender o país contra um eventual ataque da Coreia do Norte", afirmou Panetta, acrescentando que ele poderá também evitar um ataque contra solo norte-americano.

 

Ele afirmou que o radar não será dirigido contra a China e que tanto o Japão quanto os EUA estão focados na ameaça norte-coreana. Os mísseis chineses são mais sofisticados que os lançados pela Coreia do Norte e têm tecnologia que poderia confundir os sistemas de defesa dos EUA.

 

O oficial enfatizou que a defesa antimísseis não será dirigida à China, em parte, porque o Pentágono tenta conter as tensões entre Tóquio e Pequim. As Relações entre chineses e japoneses estão estremecidas em função de uma disputa de algumas ilhas no Mar da China Oriental.

 

Apesar disso, no passado, alguns oficiais norte-americanos haviam observado que o sistema de defesa contra radares norte-coreanos também seria posicionado para rastrear mísseis balísticos chineses.

 

O radar em terra liberaria a Marinha para reposicionar seus radares baseados em navios para outras regiões estratégicas, disse Panetta. As informações são da Dow Jones.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Panetta diz que Japão instalará 2º radar antimíssil


17/09/2012 | 03:32


O Japão instalará um segundo radar terrestre x-band para se defender contra eventuais ataques de mísseis, segundo declarações do secretário de Defesa dos EUA, Leon Panetta, publicadas hoje pelo jornal norte-americano "The Wall Street Journal".

 

Uma equipe dos EUA visitou o Japão nos últimos dias para discutir onde a unidade será instalada, de acordo com o oficial. Anteriormente, as autoridades norte-americanas haviam dito que queriam localizar o radar, formalmente conhecido como AN/TPY2, na parte sul do Japão, mas não em Okinawa, onde a presença militar dos EUA é profundamente controversa.

 

"O segundo radar no Japão aumentará a capacidade da aliança de defender o país contra um eventual ataque da Coreia do Norte", afirmou Panetta, acrescentando que ele poderá também evitar um ataque contra solo norte-americano.

 

Ele afirmou que o radar não será dirigido contra a China e que tanto o Japão quanto os EUA estão focados na ameaça norte-coreana. Os mísseis chineses são mais sofisticados que os lançados pela Coreia do Norte e têm tecnologia que poderia confundir os sistemas de defesa dos EUA.

 

O oficial enfatizou que a defesa antimísseis não será dirigida à China, em parte, porque o Pentágono tenta conter as tensões entre Tóquio e Pequim. As Relações entre chineses e japoneses estão estremecidas em função de uma disputa de algumas ilhas no Mar da China Oriental.

 

Apesar disso, no passado, alguns oficiais norte-americanos haviam observado que o sistema de defesa contra radares norte-coreanos também seria posicionado para rastrear mísseis balísticos chineses.

 

O radar em terra liberaria a Marinha para reposicionar seus radares baseados em navios para outras regiões estratégicas, disse Panetta. As informações são da Dow Jones.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;