Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 22 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Diversão marca a primeira etapa do Circuito Popular

Claudinei Plaza/ DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Com a presença de 3.000 atletas, Diadema inicia
com o pé direito a temporada 2014 e com estilo


Thiago Bassan
Vinicius Castelli
Do Diário do Grande ABC

07/04/2014 | 07:00


 Foi dada a largada ontem, em Diadema, pontualmente às 8h, para segunda edição do Circuito Popular de Corrida de Rua do Grande ABC. As vias da cidade foram tomadas por 3.000 competidores, que iniciaram a disputa da temporada e deram demonstração de que neste ano a competição será ainda mais equilibrada do que foi em 2013.

Nem o tempo nublado do início da manhã – logo depois tomado pelo céu azul e ensolarado – foi suficiente para espantar a boa vibração e o clima de alegria de todos os que tiveram energia para acordar cedo em pleno domingo e comparecer ao Circuito para participar dos cinco quilômetros de caminhada ou dos dez de corrida.

Na prova masculina, quem faturou o primeiro lugar foi Carlos Moreira dos Santos, o Carlinhos, representante da equipe Number One. Na verdade, ele terminou em segundo, mas Renilson Vitorino da Silva, que cruzou a linha na frente, foi desclassificado por ter usado chip de outro participante.

A vitória caiu no colo de Carlinhos, que ainda sem entender direito o porquê do resultado positivo, comemorou bastante o troféu do primeiro lugar. O atleta, 29 anos, nascido em Santo André, completou os dez quilômetros em 32 minutos cravados. “Minha expectativa era de fazer boa prova e, pelo jeito, deu tudo certo”, disse o vencedor.
Já na prova feminina, quem levou o troféu foi Rozirene Ferreira. A atleta fechou os dez quilômetros com a marca de 39min28.

Além de atletas, personalidades e autoridades também marcaram presença na abertura do Circuito. Entre os presentes estava o secretário adjunto estadual de Esporte, Lazer e Juventude e ex-prefeito de Ribeirão Pires, Clóvis Volpi (PTB). O diretor de redação do Diário, Sérgio Vieira, também acompanhou de perto a corrida. Antonio Marcos Ferreira da Silva, o Marquinhos, secretário de Esportes e Lazer de Diadema, foi outro que marcou presença.

O prefeito de Mauá, Donisete Braga (PT), não só compareceu como suou a camisa, literalmente, ao competir na prova dos dez quilômetros com o tempo de 42min50, reafirmando vontade de participar de todas as etapas.
Após a grande festa em Diadema, quem se prepara para receber a competição é a cidade de Rio Grande da Serra, em prova que será disputada no dia 11 de maio.

NOVO REGULAMENTO
A pontuação foi a principal mudança no regulamento para a temporada 2014 do Circuito. Agora, os primeiros colocados, nas categorias masculino e feminino, somam 220 pontos, enquanto o segundo fica com 210. Assim, o terceiro colocado soma 207 pontos, o quarto 204, e o quinto, 201 pontos.

Organizado pela Federação Paulista de Atletismo, o Circuito, que faz parte do calendário oficial de eventos do Estado de São Paulo, tem a promoção do Diário e conta com apoio do governo do Estado, por meio da Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude.

Rozirene surpreende Joice e Carlos fatura no masculino

im do reinado. Vencedora de cinco das sete etapas do Circuito na temporada 2013, desta vez Joice Pereira dos Santos teve que se contentar com o segundo lugar. Isso porque Rozirene Ferreira venceu ontem a prova de Diadema, que abriu a segunda edição do Circuito Popular de Corrida de Rua do Grande ABC. A atleta de 41 anos cravou 39min28 contra 40min12 da atual campeã geral.

Feliz com a conquista, Rozirene deixou de lado qualquer rivalidade com Joice e disse que vencer a campeã não enaltece o primeiro lugar. “Não me sinto melhor ou pior por ter vencido a Joice. Ela corre muito bem, consegui superá-la hoje (ontem), mas ela é bem mais jovem (27 anos) e ainda vai vencer muito. Estou feliz por mim, pelo meu tempo e acredito que todas nós estamos de parabéns”, comentou Rozirene. “Agradeço a Deus, meus patrocinadores e meus familiares que me incentivaram sempre para que eu pudesse estar aqui”, completou.

A atleta fez questão também de ressaltar a dificuldade da etapa. “Foi uma corrida muito boa, em todos os aspectos. Dei o meu melhor, ganhei a prova, mas o nível estava muito alto. São atletas de ponta e que brigam de maneira igual pelos resultados. Estava treinando há um mês para essa corrida e deu resultado. Agora meu objetivo é manter essa marca e disputar pelo menos dez provas nesse ano”, destacou Rozirene.

Vitorioso na competição masculina, Carlos Moreira dos Santos, o Carlinhos, treinou forte para a prova e fechou na frente o percurso dos dez quilômetros em 32 minutos. “Senti um pouco de dificuldade do quilômetro sete para o oito. Fiquei cansado, o percurso aqui em Diadema é pesado. Esse é o quarto fim de semana que estou competindo, corri em Natal e Barueri”, conta o maratonista, 29 anos, que integra a equipe Number One.

Carlinhos revelou que sua preocupação principal era realizar boa prova e que o que mais desejava era subir no pódio. “Vou participar de todas as corridas da segunda edição. Estava faltando muito esse tipo de prova aqui na região. O pessoal merece um evento desse”, comenta.

Autoridades marcam presença e elogiam prova de Diadema

Presentes na etapa de Diadema do 2º Circuito Popular de Corrida de Rua do Grande ABC, autoridades da região celebraram o início da nova edição. Unanimidade nas opiniões, além dos benefícios para a saúde, o convívio social é destaque para os presentes.

Entre os que dedicaram parte do tempo do domingo, estava o secretário adjunto estadual de Esporte, Lazer e Juventude e ex-prefeito de Ribeirão Pires, Clóvis Volpi (PTB). “O primeiro Circuito foi muito bom, por isso o Estado continua participando. Iniciativas como essa ajudam no convívio social. É importante para a sociedade”, disse.

O secretário de Esportes e Lazer de Diadema, Antonio Marcos Ferreira da Silva, destacou que a prova ajudou a expandir o atletismo na cidade. “Diadema estava focada apenas no futebol. Hoje (ontem) vemos essa multidão tomando conta das ruas. Isso nos engrandece muito”, analisou.

O prefeito de Mauá, Donisete Braga (PT), também marcou presença e participou dos dez quilômetros. “Diadema é uma prova muito dura. Quem passa por ela, consegue superar as outras seis”, analisou.
Satisfeito com o sucesso da primeira etapa do Circuito, Sérgio Vieira, diretor de redação do Diário, ressaltou a maneira como o público recebeu a primeira etapa de 2014 .

“A população aderiu à proposta do Diário de correr, de participar com a família. O segundo Circuito está começando da mesma forma que terminou o primeiro, um sucesso”, diz. “O papel do Diário não é só dar a notícia. É uma instituição protagonista, tem de propor iniciativas.

Roupas excêntricas contagiam o público

Além do tradicional conjunto formado por tênis, calção e camiseta, algumas pessoas mais extravagantes resolveram dar o ar da graça ontem na prova de Diadema. Dava para ver de tudo um pouco: gente em cima da bicicleta, com faixa do time de futebol predileto e até homenageando algum animal.

Um dos participantes que mais chamava a atenção do público presente em Diadema era a múmia, ou simplesmente Moisés Antônio Botelho, vendedor autônomo, 54 anos, que disputa corridas vestido com a folclórica fantasia.

“Sempre corro de múmia. Gosto disso, faz parte de mim. Por ser excêntrico e diferente. Corro, faço o que gosto e me divirto, que é o mais importante. Todos querem tirar foto comigo. Vou correr as sete etapas do Circuito (Popular de Corrida de Rua do Grande ABC), sem me preocupar com o resultado final. Independentemente do tempo que conseguir, sempre estarei vestido assim. A múmia é única, não tem substituto”, comentou Moisés.

Gedemiro Rodrigues é outra dessas figuras. O animado senhor de 64 anos voltou a competir com a já tradicional roupa de jaguatirica. Ele recordou a história que o levou a usar esta vestimenta, após tentativa frustrada de caçar veado do mato com alguns cachorros.

“Infelizmente os cães mataram uma jaguatirica. Me arrependo disso até hoje, carrego esse peso. Por isso resolvi fazer a homenagem. Sempre participo das provas com essa roupa, que uma amiga fez para mim com muito amor”, explicou.

Gedemiro conta também que na década de 1990 chegava a completar prova de dez quilômetros em cerca de 35 minutos. “Hoje pego leve, estou com problema no joelho, mas não falto em uma prova”, afirmou ele, que completou em 57min13.

O Jaguatirica, como é chamado, ressalta que a corrida não é apenas uma forma de lembrar do animal morto na caça. O atletismo foi sua salvação. “Era alcoólatra, estava perdido. Foi a prática de exercício físico que me tirou dessa vida. A corrida me salvou”, conta.

O atleta diz ainda que foi ferramenta para que a corrida chegasse a outras pessoas. “Tem um menino que tinha problemas também, mostrei a corrida para ele e hoje está muito bem. Correr é uma das melhores coisas que existe”, garante.

EXEMPLO
Nem mesmo a deficiência visual impediu que Felipe Augusto, 28 anos, participasse da corrida ao lado de grupo de amigos que fazem parte da ONG Força no Pé, voltada especificamente para o atletismo com deficiência. Com a colaboração da guia Fabiana Fernandes, Felipe completou a prova e mostrou entusiasmo.

“Me sinto feliz, honrado em participar. Quem gosta do que faz, não sente cansaço. Corro desde 2008 e não me vejo sem a corrida. Você só percebe que a vida muda quando começa a correr”, disse Felipe.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Diversão marca a primeira etapa do Circuito Popular

Com a presença de 3.000 atletas, Diadema inicia
com o pé direito a temporada 2014 e com estilo

Thiago Bassan
Vinicius Castelli
Do Diário do Grande ABC

07/04/2014 | 07:00


 Foi dada a largada ontem, em Diadema, pontualmente às 8h, para segunda edição do Circuito Popular de Corrida de Rua do Grande ABC. As vias da cidade foram tomadas por 3.000 competidores, que iniciaram a disputa da temporada e deram demonstração de que neste ano a competição será ainda mais equilibrada do que foi em 2013.

Nem o tempo nublado do início da manhã – logo depois tomado pelo céu azul e ensolarado – foi suficiente para espantar a boa vibração e o clima de alegria de todos os que tiveram energia para acordar cedo em pleno domingo e comparecer ao Circuito para participar dos cinco quilômetros de caminhada ou dos dez de corrida.

Na prova masculina, quem faturou o primeiro lugar foi Carlos Moreira dos Santos, o Carlinhos, representante da equipe Number One. Na verdade, ele terminou em segundo, mas Renilson Vitorino da Silva, que cruzou a linha na frente, foi desclassificado por ter usado chip de outro participante.

A vitória caiu no colo de Carlinhos, que ainda sem entender direito o porquê do resultado positivo, comemorou bastante o troféu do primeiro lugar. O atleta, 29 anos, nascido em Santo André, completou os dez quilômetros em 32 minutos cravados. “Minha expectativa era de fazer boa prova e, pelo jeito, deu tudo certo”, disse o vencedor.
Já na prova feminina, quem levou o troféu foi Rozirene Ferreira. A atleta fechou os dez quilômetros com a marca de 39min28.

Além de atletas, personalidades e autoridades também marcaram presença na abertura do Circuito. Entre os presentes estava o secretário adjunto estadual de Esporte, Lazer e Juventude e ex-prefeito de Ribeirão Pires, Clóvis Volpi (PTB). O diretor de redação do Diário, Sérgio Vieira, também acompanhou de perto a corrida. Antonio Marcos Ferreira da Silva, o Marquinhos, secretário de Esportes e Lazer de Diadema, foi outro que marcou presença.

O prefeito de Mauá, Donisete Braga (PT), não só compareceu como suou a camisa, literalmente, ao competir na prova dos dez quilômetros com o tempo de 42min50, reafirmando vontade de participar de todas as etapas.
Após a grande festa em Diadema, quem se prepara para receber a competição é a cidade de Rio Grande da Serra, em prova que será disputada no dia 11 de maio.

NOVO REGULAMENTO
A pontuação foi a principal mudança no regulamento para a temporada 2014 do Circuito. Agora, os primeiros colocados, nas categorias masculino e feminino, somam 220 pontos, enquanto o segundo fica com 210. Assim, o terceiro colocado soma 207 pontos, o quarto 204, e o quinto, 201 pontos.

Organizado pela Federação Paulista de Atletismo, o Circuito, que faz parte do calendário oficial de eventos do Estado de São Paulo, tem a promoção do Diário e conta com apoio do governo do Estado, por meio da Secretaria de Esporte, Lazer e Juventude.

Rozirene surpreende Joice e Carlos fatura no masculino

im do reinado. Vencedora de cinco das sete etapas do Circuito na temporada 2013, desta vez Joice Pereira dos Santos teve que se contentar com o segundo lugar. Isso porque Rozirene Ferreira venceu ontem a prova de Diadema, que abriu a segunda edição do Circuito Popular de Corrida de Rua do Grande ABC. A atleta de 41 anos cravou 39min28 contra 40min12 da atual campeã geral.

Feliz com a conquista, Rozirene deixou de lado qualquer rivalidade com Joice e disse que vencer a campeã não enaltece o primeiro lugar. “Não me sinto melhor ou pior por ter vencido a Joice. Ela corre muito bem, consegui superá-la hoje (ontem), mas ela é bem mais jovem (27 anos) e ainda vai vencer muito. Estou feliz por mim, pelo meu tempo e acredito que todas nós estamos de parabéns”, comentou Rozirene. “Agradeço a Deus, meus patrocinadores e meus familiares que me incentivaram sempre para que eu pudesse estar aqui”, completou.

A atleta fez questão também de ressaltar a dificuldade da etapa. “Foi uma corrida muito boa, em todos os aspectos. Dei o meu melhor, ganhei a prova, mas o nível estava muito alto. São atletas de ponta e que brigam de maneira igual pelos resultados. Estava treinando há um mês para essa corrida e deu resultado. Agora meu objetivo é manter essa marca e disputar pelo menos dez provas nesse ano”, destacou Rozirene.

Vitorioso na competição masculina, Carlos Moreira dos Santos, o Carlinhos, treinou forte para a prova e fechou na frente o percurso dos dez quilômetros em 32 minutos. “Senti um pouco de dificuldade do quilômetro sete para o oito. Fiquei cansado, o percurso aqui em Diadema é pesado. Esse é o quarto fim de semana que estou competindo, corri em Natal e Barueri”, conta o maratonista, 29 anos, que integra a equipe Number One.

Carlinhos revelou que sua preocupação principal era realizar boa prova e que o que mais desejava era subir no pódio. “Vou participar de todas as corridas da segunda edição. Estava faltando muito esse tipo de prova aqui na região. O pessoal merece um evento desse”, comenta.

Autoridades marcam presença e elogiam prova de Diadema

Presentes na etapa de Diadema do 2º Circuito Popular de Corrida de Rua do Grande ABC, autoridades da região celebraram o início da nova edição. Unanimidade nas opiniões, além dos benefícios para a saúde, o convívio social é destaque para os presentes.

Entre os que dedicaram parte do tempo do domingo, estava o secretário adjunto estadual de Esporte, Lazer e Juventude e ex-prefeito de Ribeirão Pires, Clóvis Volpi (PTB). “O primeiro Circuito foi muito bom, por isso o Estado continua participando. Iniciativas como essa ajudam no convívio social. É importante para a sociedade”, disse.

O secretário de Esportes e Lazer de Diadema, Antonio Marcos Ferreira da Silva, destacou que a prova ajudou a expandir o atletismo na cidade. “Diadema estava focada apenas no futebol. Hoje (ontem) vemos essa multidão tomando conta das ruas. Isso nos engrandece muito”, analisou.

O prefeito de Mauá, Donisete Braga (PT), também marcou presença e participou dos dez quilômetros. “Diadema é uma prova muito dura. Quem passa por ela, consegue superar as outras seis”, analisou.
Satisfeito com o sucesso da primeira etapa do Circuito, Sérgio Vieira, diretor de redação do Diário, ressaltou a maneira como o público recebeu a primeira etapa de 2014 .

“A população aderiu à proposta do Diário de correr, de participar com a família. O segundo Circuito está começando da mesma forma que terminou o primeiro, um sucesso”, diz. “O papel do Diário não é só dar a notícia. É uma instituição protagonista, tem de propor iniciativas.

Roupas excêntricas contagiam o público

Além do tradicional conjunto formado por tênis, calção e camiseta, algumas pessoas mais extravagantes resolveram dar o ar da graça ontem na prova de Diadema. Dava para ver de tudo um pouco: gente em cima da bicicleta, com faixa do time de futebol predileto e até homenageando algum animal.

Um dos participantes que mais chamava a atenção do público presente em Diadema era a múmia, ou simplesmente Moisés Antônio Botelho, vendedor autônomo, 54 anos, que disputa corridas vestido com a folclórica fantasia.

“Sempre corro de múmia. Gosto disso, faz parte de mim. Por ser excêntrico e diferente. Corro, faço o que gosto e me divirto, que é o mais importante. Todos querem tirar foto comigo. Vou correr as sete etapas do Circuito (Popular de Corrida de Rua do Grande ABC), sem me preocupar com o resultado final. Independentemente do tempo que conseguir, sempre estarei vestido assim. A múmia é única, não tem substituto”, comentou Moisés.

Gedemiro Rodrigues é outra dessas figuras. O animado senhor de 64 anos voltou a competir com a já tradicional roupa de jaguatirica. Ele recordou a história que o levou a usar esta vestimenta, após tentativa frustrada de caçar veado do mato com alguns cachorros.

“Infelizmente os cães mataram uma jaguatirica. Me arrependo disso até hoje, carrego esse peso. Por isso resolvi fazer a homenagem. Sempre participo das provas com essa roupa, que uma amiga fez para mim com muito amor”, explicou.

Gedemiro conta também que na década de 1990 chegava a completar prova de dez quilômetros em cerca de 35 minutos. “Hoje pego leve, estou com problema no joelho, mas não falto em uma prova”, afirmou ele, que completou em 57min13.

O Jaguatirica, como é chamado, ressalta que a corrida não é apenas uma forma de lembrar do animal morto na caça. O atletismo foi sua salvação. “Era alcoólatra, estava perdido. Foi a prática de exercício físico que me tirou dessa vida. A corrida me salvou”, conta.

O atleta diz ainda que foi ferramenta para que a corrida chegasse a outras pessoas. “Tem um menino que tinha problemas também, mostrei a corrida para ele e hoje está muito bem. Correr é uma das melhores coisas que existe”, garante.

EXEMPLO
Nem mesmo a deficiência visual impediu que Felipe Augusto, 28 anos, participasse da corrida ao lado de grupo de amigos que fazem parte da ONG Força no Pé, voltada especificamente para o atletismo com deficiência. Com a colaboração da guia Fabiana Fernandes, Felipe completou a prova e mostrou entusiasmo.

“Me sinto feliz, honrado em participar. Quem gosta do que faz, não sente cansaço. Corro desde 2008 e não me vejo sem a corrida. Você só percebe que a vida muda quando começa a correr”, disse Felipe.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;