Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 24 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Europa deve anunciar taxa sobre transações financeiras



28/09/2011 | 07:00


Acusados de imobilismo diante da crise, os líderes políticos da União Europeia selaram um acordo e devem anunciar hoje, em Bruxelas, a criação de um imposto sobre transações financeiras no continente. A taxa, que entrará em vigor a partir de 2014, vai cobrar entre 0,01% e 0,1% por operação e pode representar um total de 30 bilhões de euros a 50 bilhões de euros por ano para os países-membros - o que seria uma forma de fazer os bancos pagarem pela crise.

A proposta tem origem em um pedido feito por carta aberta à Comissão Europeia, assinada pelos ministros de Finanças da França, François Baroin, e da Alemanha, Wolfgang Schäuble. Os detalhes da proposta só devem ser conhecidos amanhã, mas o mais provável é que as alíquotas se situem entre 0,1% para ações e 0,01% para produtos derivados. "Será uma taxa sobre as transações financeiras economicamente suportável e politicamente justa", afirmou o comissário europeu de mercados, Michel Barnier.

Há pelo menos três anos Alemanha e França debatem nos fóruns internacionais, como o G-20, a adoção de um imposto sobre transações financeiras. Cansados de esperar, o presidente Nicolas Sarkozy e a chanceler Angela Merkel fecharam acordo sobre o tema. O Reino Unido, contrário à medida, deve ficar de fora.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Europa deve anunciar taxa sobre transações financeiras


28/09/2011 | 07:00


Acusados de imobilismo diante da crise, os líderes políticos da União Europeia selaram um acordo e devem anunciar hoje, em Bruxelas, a criação de um imposto sobre transações financeiras no continente. A taxa, que entrará em vigor a partir de 2014, vai cobrar entre 0,01% e 0,1% por operação e pode representar um total de 30 bilhões de euros a 50 bilhões de euros por ano para os países-membros - o que seria uma forma de fazer os bancos pagarem pela crise.

A proposta tem origem em um pedido feito por carta aberta à Comissão Europeia, assinada pelos ministros de Finanças da França, François Baroin, e da Alemanha, Wolfgang Schäuble. Os detalhes da proposta só devem ser conhecidos amanhã, mas o mais provável é que as alíquotas se situem entre 0,1% para ações e 0,01% para produtos derivados. "Será uma taxa sobre as transações financeiras economicamente suportável e politicamente justa", afirmou o comissário europeu de mercados, Michel Barnier.

Há pelo menos três anos Alemanha e França debatem nos fóruns internacionais, como o G-20, a adoção de um imposto sobre transações financeiras. Cansados de esperar, o presidente Nicolas Sarkozy e a chanceler Angela Merkel fecharam acordo sobre o tema. O Reino Unido, contrário à medida, deve ficar de fora.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;