Fechar
Publicidade

Sábado, 7 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Fraga: Inflaçao pode ficar abaixo de 6% no próximo ano


Do Diário do Grande ABC

04/11/1999 | 09:40


O presidente do Banco Central, Armínio Fraga, disse em entrevista à Globo News que a inflaçao no próximo ano poderá ficar abaixo da meta de 6%. "No ano que vem nós temos uma reduçao importante nos vencimentos, nas amortizaçoes dos nossos papéis, dos nossos empréstimos, há uma queda significativa e você tem também, provavelmente, já a partir do início do ano, uma melhoria do saldo comercial", afirmou o presidente do BC. Ele lembrou que no ano passado o déficit em conta corrente foi de US$ 36 bilhoes, e o déficit previsto para este ano é de R$ 26 bilhoes. "Alguma mudança ocorreu", afirmou Fraga. "A nossa expectativa é de que no ano que vem isso caia um pouco mais, os empresários brasileiros estao se preparando para exportar e acho que esse vai ser um fator de reforço da retomada do crescimento no ano que vem.

O presidente do BC acredita que para o próximo ano, o Brasil poderá t er um superávit de US$ 5 bilhoes. "Olhando para o balanço de pagamentos, para a capacidade na economia, para as perspectivas do sistema como um todo, eu vejo realmente a coisa bem encaminhada". Para o próximo ano, Fraga confirma a perspectiva de queda dos juros, de crescimento da economia de 4% a 5% com uma inflaçao igual ou menor do que a meta.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Fraga: Inflaçao pode ficar abaixo de 6% no próximo ano

Do Diário do Grande ABC

04/11/1999 | 09:40


O presidente do Banco Central, Armínio Fraga, disse em entrevista à Globo News que a inflaçao no próximo ano poderá ficar abaixo da meta de 6%. "No ano que vem nós temos uma reduçao importante nos vencimentos, nas amortizaçoes dos nossos papéis, dos nossos empréstimos, há uma queda significativa e você tem também, provavelmente, já a partir do início do ano, uma melhoria do saldo comercial", afirmou o presidente do BC. Ele lembrou que no ano passado o déficit em conta corrente foi de US$ 36 bilhoes, e o déficit previsto para este ano é de R$ 26 bilhoes. "Alguma mudança ocorreu", afirmou Fraga. "A nossa expectativa é de que no ano que vem isso caia um pouco mais, os empresários brasileiros estao se preparando para exportar e acho que esse vai ser um fator de reforço da retomada do crescimento no ano que vem.

O presidente do BC acredita que para o próximo ano, o Brasil poderá t er um superávit de US$ 5 bilhoes. "Olhando para o balanço de pagamentos, para a capacidade na economia, para as perspectivas do sistema como um todo, eu vejo realmente a coisa bem encaminhada". Para o próximo ano, Fraga confirma a perspectiva de queda dos juros, de crescimento da economia de 4% a 5% com uma inflaçao igual ou menor do que a meta.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;