Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 22 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Reverenciando Will Eisner


Luís Felipe Soares
Do Diário do Grande ABC

14/11/2011 | 07:00


Will Eisner (1917-2005) é a alma dos quadrinhos. O nome mais respeitado do gênero é lembrado pelos fãs por seus projetos instigantes, graphic novels inteligentes e pela paixão que tinha pelo trabalho de roteirista e ilustrador. Sua vida e obra se misturam na exposição "O Espírito Vivo de Will Eisner", que abre amanhã, a partir das 15h, no Centro Cultural São Paulo, na Capital. A homenagem mais do que especial (e necessária) é ótima oportunidade para que o público possa conhecer uma das maiores figuras das HQs.

O acervo mistura desenhos, textos, fotos e vídeos. São mais de uma centena de itens que estiveram reunidos pela primeira vez na Rio Comicon, feira temática realizada no mês passado no Rio de Janeiro. Sua vinda a São Paulo encerra as comemorações dos 20 anos da tradicional Gibiteca Henfil do centro cultural.

Ao lado do cartunista Denis Kitchen, a produtora e diretora de arte Marisa Furtado de Oliveira assina a curadoria. "É uma exposição única", afirma Marisa, que conheceu o veterano quadrinista em 1991 e acabou firmando amizade até mesmo com sua família. "Para mim ele é uma pessoa em carne e osso e queria transmitir para as pessoas essa sensação de humanidade com o mito."

A ideia escolhida foi montar a atração como uma enorme narrativa que mistura o trabalho e o universo pessoal do autor. Enquanto o público observa trabalhos originais (que incluem rabiscos e alterações feitas a mão) e se diverte com todo um universo criado por ele em títulos "The Spirit", "Avenida Dropsie", "Assunto de Família" e "Um Contrato Com Deus", os espaços contarão com balões típicos das HQs com comentários do próprio Eisner com explicações sobre o motivo de ter trabalhado nesses projetos. "Percebi que uma exposição também é uma história em quadrinhos, uma arte sequencial. Na mostra, temos um elemento após o outro para tentar aproximar o espectador com o artista."

O destaque de "O Espírito Vivo de Will Eisner" fica por conta de uma escultura de 38 centímetros de altura do lendário detetive Spirit, personagem mais famoso do norte-americano. Feita em bronze, a obra demorou 20 anos para deixar o molde em cera idealizado pelo escultor Peter Poplaski - chamado para encerrar o que tinha começado no início da década de 1990 e que está em sua primeira aparição para o mundo. A estátua ficará no espaço chamado de Tumba do Spirit, com cenário que demorou cerca de 120 horas para ser desenhado com lápis, pincel e caneta. O espaço deve funcionar como local de reverência a tudo o que foi deixado pelo artista.

Talvez a nota triste seja que a exposição tem seus dias contados. Após o tempo no CCSP, ela volta para o exterior, onde cada item voltará a ser distribuído entre os milhares de detentores. Segundo Marisa, "esse é um conjunto incrível que não vai ocorrer duas vezes." E o espírito de Eisner continuará a seguir pelo mundo, não somente dos quadrinhos.

O Espírito Vivo de Will Eisner - Exposição. A partir de amanhã. No Centro Cultural São Paulo - Rua Vergueiro, 1.000. Tel.: 3397-4002. Ter. a 6ª, das 10h às 20h; sáb., dom. e feriados, das 10h às 18h. Até dia 18/12. Grátis.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Reverenciando Will Eisner

Luís Felipe Soares
Do Diário do Grande ABC

14/11/2011 | 07:00


Will Eisner (1917-2005) é a alma dos quadrinhos. O nome mais respeitado do gênero é lembrado pelos fãs por seus projetos instigantes, graphic novels inteligentes e pela paixão que tinha pelo trabalho de roteirista e ilustrador. Sua vida e obra se misturam na exposição "O Espírito Vivo de Will Eisner", que abre amanhã, a partir das 15h, no Centro Cultural São Paulo, na Capital. A homenagem mais do que especial (e necessária) é ótima oportunidade para que o público possa conhecer uma das maiores figuras das HQs.

O acervo mistura desenhos, textos, fotos e vídeos. São mais de uma centena de itens que estiveram reunidos pela primeira vez na Rio Comicon, feira temática realizada no mês passado no Rio de Janeiro. Sua vinda a São Paulo encerra as comemorações dos 20 anos da tradicional Gibiteca Henfil do centro cultural.

Ao lado do cartunista Denis Kitchen, a produtora e diretora de arte Marisa Furtado de Oliveira assina a curadoria. "É uma exposição única", afirma Marisa, que conheceu o veterano quadrinista em 1991 e acabou firmando amizade até mesmo com sua família. "Para mim ele é uma pessoa em carne e osso e queria transmitir para as pessoas essa sensação de humanidade com o mito."

A ideia escolhida foi montar a atração como uma enorme narrativa que mistura o trabalho e o universo pessoal do autor. Enquanto o público observa trabalhos originais (que incluem rabiscos e alterações feitas a mão) e se diverte com todo um universo criado por ele em títulos "The Spirit", "Avenida Dropsie", "Assunto de Família" e "Um Contrato Com Deus", os espaços contarão com balões típicos das HQs com comentários do próprio Eisner com explicações sobre o motivo de ter trabalhado nesses projetos. "Percebi que uma exposição também é uma história em quadrinhos, uma arte sequencial. Na mostra, temos um elemento após o outro para tentar aproximar o espectador com o artista."

O destaque de "O Espírito Vivo de Will Eisner" fica por conta de uma escultura de 38 centímetros de altura do lendário detetive Spirit, personagem mais famoso do norte-americano. Feita em bronze, a obra demorou 20 anos para deixar o molde em cera idealizado pelo escultor Peter Poplaski - chamado para encerrar o que tinha começado no início da década de 1990 e que está em sua primeira aparição para o mundo. A estátua ficará no espaço chamado de Tumba do Spirit, com cenário que demorou cerca de 120 horas para ser desenhado com lápis, pincel e caneta. O espaço deve funcionar como local de reverência a tudo o que foi deixado pelo artista.

Talvez a nota triste seja que a exposição tem seus dias contados. Após o tempo no CCSP, ela volta para o exterior, onde cada item voltará a ser distribuído entre os milhares de detentores. Segundo Marisa, "esse é um conjunto incrível que não vai ocorrer duas vezes." E o espírito de Eisner continuará a seguir pelo mundo, não somente dos quadrinhos.

O Espírito Vivo de Will Eisner - Exposição. A partir de amanhã. No Centro Cultural São Paulo - Rua Vergueiro, 1.000. Tel.: 3397-4002. Ter. a 6ª, das 10h às 20h; sáb., dom. e feriados, das 10h às 18h. Até dia 18/12. Grátis.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;