Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 19 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Autoridades: 2003 será negro para setor turístico chinês


Da AFP

24/06/2003 | 13:26


O setor turístico da cidade de Pequim pode finalmente respirar aliviado depois que a OMS (Organização Mundial de Saúde) suspendeu as restrições à capital chinesa impostas com o aparecimento da Sars. Contudo, a recuperação do turismo será lenta e 2003 promete ser um ano negro, indicam as autoridades locais.

"Era uma decisão muito esperada. Estou muito contente e vamos trabalhar para reativar o turismo", declarou Li Huixin, funcionário do Departamento de Turismo de Pequim.

Autoridades de turismo da capital chinesa acreditam que ainda é muito cedo para se estimar quando o mercado terá de volta o número normal de visitantes. Entretanto, alguns analistas já esperam um aumento do fluxo a partir dos últimos meses do ano.

A cidade verificou em maio uma redução do turismo da ordem de 94%. Segundo números dos órgãos responsáveis pelo setor na capital, quase nove milhões de chineses deixaram de ir a Pequim. A redução também foi drástica para o turismo internacional: cerca de 500 mil estrangeiros cancelaram seus planos de visitar a capital chinesa desde o começo do ano.

Um executivo da Air China lamentou as perdas sofridas pelas companhias aéreas. "Por causa da superpneumonia, mais de sete mil vôos foram cancelados. Há 15 dias o setor se recupera progressivamente. A capacidade no momento está em 65% para os vôos domésticos e 50% para os internacionais. Com o fim das restrições, a situação deve melhorar mais efetivamente", analisa o funcionário da empresa.

A China recebeu 87 milhões de turistas em 2001, segundo a Organização Mundial de Turismo (OIT). A entidade previa, antes da epidemia de Sars, a liderança do país no setor turístico mundial até 2020.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Autoridades: 2003 será negro para setor turístico chinês

Da AFP

24/06/2003 | 13:26


O setor turístico da cidade de Pequim pode finalmente respirar aliviado depois que a OMS (Organização Mundial de Saúde) suspendeu as restrições à capital chinesa impostas com o aparecimento da Sars. Contudo, a recuperação do turismo será lenta e 2003 promete ser um ano negro, indicam as autoridades locais.

"Era uma decisão muito esperada. Estou muito contente e vamos trabalhar para reativar o turismo", declarou Li Huixin, funcionário do Departamento de Turismo de Pequim.

Autoridades de turismo da capital chinesa acreditam que ainda é muito cedo para se estimar quando o mercado terá de volta o número normal de visitantes. Entretanto, alguns analistas já esperam um aumento do fluxo a partir dos últimos meses do ano.

A cidade verificou em maio uma redução do turismo da ordem de 94%. Segundo números dos órgãos responsáveis pelo setor na capital, quase nove milhões de chineses deixaram de ir a Pequim. A redução também foi drástica para o turismo internacional: cerca de 500 mil estrangeiros cancelaram seus planos de visitar a capital chinesa desde o começo do ano.

Um executivo da Air China lamentou as perdas sofridas pelas companhias aéreas. "Por causa da superpneumonia, mais de sete mil vôos foram cancelados. Há 15 dias o setor se recupera progressivamente. A capacidade no momento está em 65% para os vôos domésticos e 50% para os internacionais. Com o fim das restrições, a situação deve melhorar mais efetivamente", analisa o funcionário da empresa.

A China recebeu 87 milhões de turistas em 2001, segundo a Organização Mundial de Turismo (OIT). A entidade previa, antes da epidemia de Sars, a liderança do país no setor turístico mundial até 2020.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;