Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 19 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Saiba como se origina a endometriose



14/06/2011 | 00:00



A endometriose se dá quando o endométrio, tecido que reveste a cavidade do útero, se implanta fora do órgão. Durante a menstruação fragmentos desse tecido que descama podem caminhar pelas tubas (antigamente denominadas trompas de Falópio) se implantar na cavidade abdominal e crescer sob a ação dos hormônios femininos, provocando uma inflamação. Uma vez instalada a doença causa alterações intestinais durante o período menstrual, como diarreia, dor durante o ato de evacuar e dor durante o ato sexual. A maior consequência, porém, se dá no estágio avançado da doença e quando existe a obstrução nas tubas que possa impedir o óvulo de chegar ao espermatozóide. Questões hormonais e imunológicas podem também impedir a gravidez em algumas mulheres, mesmo as que apresentam quadros mais leves da doença.

A endometriose é diagnosticada com a análise da cavidade abdominal e dos pontos comprometidos pela doença. O tratamento consiste em ressecar, através de laparoscopia (por incisão abdominal onde se introduz um telescópio fino chamado laparoscópio), focos que porventura se encontrem nos ovários, trompas, útero, peritônio e intestino.

Só em casos que apresentam aderências ou sangramentos são indicados a realização de cirurgia convencional. Grande parte das pacientes consegue engravidar após o tratamento, principalmente aquelas que não tenham sofrido obstrução nas tubas que transportam o óvulo até o útero.

Por Yasmin Barcellos



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Saiba como se origina a endometriose


14/06/2011 | 00:00



A endometriose se dá quando o endométrio, tecido que reveste a cavidade do útero, se implanta fora do órgão. Durante a menstruação fragmentos desse tecido que descama podem caminhar pelas tubas (antigamente denominadas trompas de Falópio) se implantar na cavidade abdominal e crescer sob a ação dos hormônios femininos, provocando uma inflamação. Uma vez instalada a doença causa alterações intestinais durante o período menstrual, como diarreia, dor durante o ato de evacuar e dor durante o ato sexual. A maior consequência, porém, se dá no estágio avançado da doença e quando existe a obstrução nas tubas que possa impedir o óvulo de chegar ao espermatozóide. Questões hormonais e imunológicas podem também impedir a gravidez em algumas mulheres, mesmo as que apresentam quadros mais leves da doença.

A endometriose é diagnosticada com a análise da cavidade abdominal e dos pontos comprometidos pela doença. O tratamento consiste em ressecar, através de laparoscopia (por incisão abdominal onde se introduz um telescópio fino chamado laparoscópio), focos que porventura se encontrem nos ovários, trompas, útero, peritônio e intestino.

Só em casos que apresentam aderências ou sangramentos são indicados a realização de cirurgia convencional. Grande parte das pacientes consegue engravidar após o tratamento, principalmente aquelas que não tenham sofrido obstrução nas tubas que transportam o óvulo até o útero.

Por Yasmin Barcellos

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;