Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 20 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Ginasta de S.Caetano pode surpreender na Copa do Mundo em SP


Kati Dias
Do Diário do Grande ABC

07/04/2005 | 13:15


O ginasta Luís Augusto dos Anjos chegou com moral na seleção permanente. Embora tenha sido integrado há apenas um mês na equipe principal em Curitiba, o garoto do Serc/Santa Maria/São Caetano ganhou a chance de representar o Brasil na terceira etapa da Copa do Mundo de Ginástica, que acontece no ginásio do Ibirapuera de sexta-feira até domingo, em São Paulo. Guto, como é chamado carinhosamente pelos colegas, vai defender o país nas paralelas. Pior do que enfrentar o eslovaco Mitja Petkovsek, o campeão do aparelho na Superfinal realizada no final do ano passado, na Inglaterra, é controlar a ansiedade. “A série está certa, mas espero não ficar muito nervoso”, revelou. Além de Guto, os ginastas Diego Hypolito, Danilo Nogueira, Adan dos Santos, Mosiah Rodrigues e Victor Rosa defendem o Brasil na competição.

Guto não conseguiu esconder a ansiedade pela estréia em uma Copa do Mundo. “Tem muita gente de fora, e tenho certeza de que a etapa será muito competitiva”, disse. A competição paulista vai contar com 62 atletas de 21 países, diferentemente da feminina, que terá apenas 24 ginastas de oito países. “Sem dúvida, o torneio masculino será muito mais disputado por causa da quantidade de atletas”, explicou Guto.

Embora todo ginasta sonhe com uma medalha, Guto é realista. “Não será fácil ficar entre os três primeiros. Por isso, ficarei muito feliz se conseguir me classificar entre os oito finalistas”, disse. A final da paralela acontece no domingo, no mesmo dia da apresentação do salto e barra. No sábado, a decisão será para o solo, cavalo e argolas.

No entanto, o que deixou o ginasta mais surpreso foi ter sido escalado na primeira oportunidade. “Vim preparado de São Caetano, mas não imaginava que ganharia uma chance tão rápido”, afirmou. A seleção permanente conta com 12 atletas, porém, somente seis podem representar o Brasil na competição. “O Guto tem todas as condições de levar uma das medalhas na Copa do Mundo. Pode escrever, ele é uma revelação na ginástica”, disse seu companheiro, o gaúcho Mosiah Rodrigues, único representante brasileiro na Olimpíada de Atenas.

Diego Hipolito também aposta no jovem ginasta. “O Guto tem uma ótima série de paralelas. O que falta é domar o nervosismo. Mas isso é normal para um atleta que estréia em uma etapa internacional”, revelou o campeão na Superfinal da Copa do Mundo, no solo.

Em casa – Diego não conseguiu disfarçar a satisfação de competir no Brasil, especialmente em São Paulo. “Você não imagina o quanto estava com saudade daqui. Só supera a falta que sinto de Santo André. Faz tanto tempo que não vou para lá. Bem que eu gostaria de visitar a minha cidade, mas vai ser difícil”, revelou.

O ginasta contou que não é só ele que compete em casa. Sua irmã Daniele, Laís Souza, Danilo Nogueira, Victor Rosa, e o próprio Guto são outros que estão à vontade. “Participar desta etapa tem um gostinho especial. É muito bom estar em casa”, disse Diego.

O que não faltou nos treinos de quarta-feira foram muitos fãs, a maioria deles crianças com menos de sete anos. Mesmo atrasado para o treinamento, Diego não deixou de atender as crianças que o cercavam. “Acho isso muito legal. O que mais me deixa feliz é o sorriso no rosto das crianças. Por isso, não me importo de atendê-las”, explicou.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ginasta de S.Caetano pode surpreender na Copa do Mundo em SP

Kati Dias
Do Diário do Grande ABC

07/04/2005 | 13:15


O ginasta Luís Augusto dos Anjos chegou com moral na seleção permanente. Embora tenha sido integrado há apenas um mês na equipe principal em Curitiba, o garoto do Serc/Santa Maria/São Caetano ganhou a chance de representar o Brasil na terceira etapa da Copa do Mundo de Ginástica, que acontece no ginásio do Ibirapuera de sexta-feira até domingo, em São Paulo. Guto, como é chamado carinhosamente pelos colegas, vai defender o país nas paralelas. Pior do que enfrentar o eslovaco Mitja Petkovsek, o campeão do aparelho na Superfinal realizada no final do ano passado, na Inglaterra, é controlar a ansiedade. “A série está certa, mas espero não ficar muito nervoso”, revelou. Além de Guto, os ginastas Diego Hypolito, Danilo Nogueira, Adan dos Santos, Mosiah Rodrigues e Victor Rosa defendem o Brasil na competição.

Guto não conseguiu esconder a ansiedade pela estréia em uma Copa do Mundo. “Tem muita gente de fora, e tenho certeza de que a etapa será muito competitiva”, disse. A competição paulista vai contar com 62 atletas de 21 países, diferentemente da feminina, que terá apenas 24 ginastas de oito países. “Sem dúvida, o torneio masculino será muito mais disputado por causa da quantidade de atletas”, explicou Guto.

Embora todo ginasta sonhe com uma medalha, Guto é realista. “Não será fácil ficar entre os três primeiros. Por isso, ficarei muito feliz se conseguir me classificar entre os oito finalistas”, disse. A final da paralela acontece no domingo, no mesmo dia da apresentação do salto e barra. No sábado, a decisão será para o solo, cavalo e argolas.

No entanto, o que deixou o ginasta mais surpreso foi ter sido escalado na primeira oportunidade. “Vim preparado de São Caetano, mas não imaginava que ganharia uma chance tão rápido”, afirmou. A seleção permanente conta com 12 atletas, porém, somente seis podem representar o Brasil na competição. “O Guto tem todas as condições de levar uma das medalhas na Copa do Mundo. Pode escrever, ele é uma revelação na ginástica”, disse seu companheiro, o gaúcho Mosiah Rodrigues, único representante brasileiro na Olimpíada de Atenas.

Diego Hipolito também aposta no jovem ginasta. “O Guto tem uma ótima série de paralelas. O que falta é domar o nervosismo. Mas isso é normal para um atleta que estréia em uma etapa internacional”, revelou o campeão na Superfinal da Copa do Mundo, no solo.

Em casa – Diego não conseguiu disfarçar a satisfação de competir no Brasil, especialmente em São Paulo. “Você não imagina o quanto estava com saudade daqui. Só supera a falta que sinto de Santo André. Faz tanto tempo que não vou para lá. Bem que eu gostaria de visitar a minha cidade, mas vai ser difícil”, revelou.

O ginasta contou que não é só ele que compete em casa. Sua irmã Daniele, Laís Souza, Danilo Nogueira, Victor Rosa, e o próprio Guto são outros que estão à vontade. “Participar desta etapa tem um gostinho especial. É muito bom estar em casa”, disse Diego.

O que não faltou nos treinos de quarta-feira foram muitos fãs, a maioria deles crianças com menos de sete anos. Mesmo atrasado para o treinamento, Diego não deixou de atender as crianças que o cercavam. “Acho isso muito legal. O que mais me deixa feliz é o sorriso no rosto das crianças. Por isso, não me importo de atendê-las”, explicou.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;