Fechar
Publicidade

Domingo, 8 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Sugestão de Doria sobre aliança Alckmin-Rocha desagrada ao PSDB

EBC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


01/06/2018 | 08:35


Após atrair o apoio de Flávio Rocha, presidenciável do PRB, para sua pré-campanha ao governo de São Paulo, o ex-prefeito da capital João Doria (PSDB) afirmou que empresário e o ex-governador Geraldo Alckmin, também postulante ao Planalto, "estarão juntos" nas eleições de outubro.

A declaração irritou aliados do ex-governador, já que Doria, mais uma vez, teria se precipitado. Segundo aliados de Alckmin, há uma aproximação entre PSDB e PRB em curso, mas sem nenhum acordo nem garantia de formação de chapa.

"Nós temos de continuar conversando, evoluindo e crescendo nessa relação. Flávio é do bem, Geraldo é do bem. Temos de reunir pessoas do bem para defender o Brasil", afirmou Doria. Para o tucano, a aliança seria benéfica para o que ele considera uma "união" do centro contra as pré-candidaturas de Jair Bolsonaro (PSL) e Ciro Gomes (PDT).

Na semana passada, Alckmin conversou com o presidente nacional do PRB, Marcos Pereira. Dias depois, o partido declarou apoio oficial à pré-candidatura de Doria ao governo de São Paulo. A aproximação é almejada, mas, segundo o secretário-geral do PSDB, deputado federal Marcus Pestana, qualquer discussão sobre composição de chapa neste momento é "balão de ensaio". "Só a partir de quarta-feira vamos começar a conversar com todos os pré-candidatos sobre a possibilidade de formar um bloco único do centro. Isso pode acontecer antes das convenções, durante o processo eleitoral ou no segundo turno. O perigo, porém, é a terceira opção não chegar ao segundo turno."

Pestana tenta unificar as candidaturas do centro já no primeiro turno, em uma frente batizada de "polo democrático". De acordo com o deputado, será lançado na próxima terça-feira, 5, em evento na Câmara dos Deputados, o manifesto do polo democrático, que foi assinado, entre outros, pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e pelo chanceler Aloysio Nunes Ferreira.

Sobre a articulação entre Doria e Rocha, Pestana disse que o ex-prefeito vê o processo sob a ótica de São Paulo e que a aproximação depende de uma articulação mais ampla.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Sugestão de Doria sobre aliança Alckmin-Rocha desagrada ao PSDB


01/06/2018 | 08:35


Após atrair o apoio de Flávio Rocha, presidenciável do PRB, para sua pré-campanha ao governo de São Paulo, o ex-prefeito da capital João Doria (PSDB) afirmou que empresário e o ex-governador Geraldo Alckmin, também postulante ao Planalto, "estarão juntos" nas eleições de outubro.

A declaração irritou aliados do ex-governador, já que Doria, mais uma vez, teria se precipitado. Segundo aliados de Alckmin, há uma aproximação entre PSDB e PRB em curso, mas sem nenhum acordo nem garantia de formação de chapa.

"Nós temos de continuar conversando, evoluindo e crescendo nessa relação. Flávio é do bem, Geraldo é do bem. Temos de reunir pessoas do bem para defender o Brasil", afirmou Doria. Para o tucano, a aliança seria benéfica para o que ele considera uma "união" do centro contra as pré-candidaturas de Jair Bolsonaro (PSL) e Ciro Gomes (PDT).

Na semana passada, Alckmin conversou com o presidente nacional do PRB, Marcos Pereira. Dias depois, o partido declarou apoio oficial à pré-candidatura de Doria ao governo de São Paulo. A aproximação é almejada, mas, segundo o secretário-geral do PSDB, deputado federal Marcus Pestana, qualquer discussão sobre composição de chapa neste momento é "balão de ensaio". "Só a partir de quarta-feira vamos começar a conversar com todos os pré-candidatos sobre a possibilidade de formar um bloco único do centro. Isso pode acontecer antes das convenções, durante o processo eleitoral ou no segundo turno. O perigo, porém, é a terceira opção não chegar ao segundo turno."

Pestana tenta unificar as candidaturas do centro já no primeiro turno, em uma frente batizada de "polo democrático". De acordo com o deputado, será lançado na próxima terça-feira, 5, em evento na Câmara dos Deputados, o manifesto do polo democrático, que foi assinado, entre outros, pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e pelo chanceler Aloysio Nunes Ferreira.

Sobre a articulação entre Doria e Rocha, Pestana disse que o ex-prefeito vê o processo sob a ótica de São Paulo e que a aproximação depende de uma articulação mais ampla.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;