Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 6 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Ernesto Thomé, os 85 anos do filho do carvoeiro...

Da turma de Rudge Ramos, em São Bernardo, a presença de Ernesto Thomé, que hoje faz aniversário. São 85 anos


Ademir Medici
Do Diário do Grande ABC

14/03/2010 | 00:00


Da turma de Rudge Ramos, em São Bernardo, a presença de Ernesto Thomé, que hoje faz aniversário. São 85 anos vividos no bairro em que nasceu, o dos Meninos, nome anterior de Rudge Ramos.

NASCIMENTO
Ernesto Thomé nasceu na Estrada do Vergueiro, hoje trecho da Avenida Doutor Rudge Ramos, em 14 de março de 1925, filho de Júlio Fortunato Thomé e Angelina Morassi Thomé. Ele tem uma irmã mais velha, Lídia Ferrero Thomé, que nasceu em 1921.

"Fui criado como filho de um carvoeiro. Naquele tempo não tinha gás domiciliar. Era preciso fazer carvão ou negociar com mucutas. Meu pai comprava mata virgem em Piraporinha para isso. Piraporinha, naquele tempo, só tinha o armazém de secos e molhados da família Fabrini."

RAÍZES
O avô paterno de Ernesto Thomé nasceu em Treviso, na Itália, em 1872. Chamava-se Rafaele Thomé. Veio com os pais, Tommaso Thomé e Ângela Palu, e formaram entre os pioneiros do Núcleo Colonial de São Caetano, aberto em 1877.

Rafaele Thomé casou-se no Brasil com Ângela Montini, avó de nosso personagem.

ESTRADAS
A Estrada do Vergueiro vinha da Vila Mariana em direção a São Bernardo. No antigo bairro dos Meninos, corria paralela à Estrada do Mar, que levava a Santos. Corriam juntas no trecho da atual Avenida Doutor Rudge Ramos.

FRANCESES
Menino, Ernesto Thomé conheceu a família Jacquey, de origem francesa, cujos antigos batizam várias ruas no centro de Rudge Ramos.

"Era a Chácara da França ou dos Franceses, muito grande, que seguia pela Estrada do Vergueiro até a Rua Afonsina. Havia plantação de uva, caqui, laranja, jabuticaba. A casa sede dava de frente para o Largo dos Meninos, hoje Praça São João Batista. O único telefone do bairro ficava na chácara. Meu avô Rafaele, quando precisava comunicar-se com alguma autoridade em São Paulo, recorria ao telefone dos Jacquey. Conta-se que quando, do outro lado, atendia alguma autoridade, ele fazia seus cumprimentos tirando respeitosamente o chapéu."

O menino Ernesto adorava a Chácara dos Franceses, onde havia muitos cavalos e diversões verdadeiramente campestres. O cenário do bairro dos Meninos era rural, originado de uma linha colonial aberta em 1886.

NASCE UM GOLEIRO
Ernesto Thomé tinha 14 para 15 anos, já era alto. E foi com o pai assistir a um jogo no campo dos Meninos, ainda localizado na Estrada do Vergueiro. O adversário era o São João Clímaco.

Os adversários já estavam a postos, e o goleiro do Meninos FC faltou. Alguém sugeriu a Júlio Thomé: "Põe o garoto no gol." Seo Júlio concordou.

Havia chovido. A bola estava lisa. Mas Ernesto tinha o apoio do pai. Foi para o gol. Não lembra do resultado final da partida, nem se o seu time ganhou ou perdeu. Mas recorda das defesas que fez, muitas defesas.

Setenta anos depois, comenta: "Aquele era o dia do goleiro, tudo deu certo."

O TIME
E quem jogava pelo Meninos, clube fundado em 1935? Ernesto Thomé recorda de vários nomes, e o primeiro que cita é o de Tibúrcio. Nunca soube do nome completo de Tibúrcio, mas lembra que ele adorava jogar futebol. Jogava 90 minutos no segundo quadro, depois outros 90 minutos no time principal.

Havia também Demétrio Lorenzoni, Vicentão (Vicente Vechis), Agostinho Mantovani, Evódio Magnani, Pedro e Alcides Daré...

ESTUDOS
De manhã, Ernesto ajudava o pai na lide do carvão. Depois do meio-dia seguia para a escola. Fez até a sexta série no Colégio Santo Agostinho, no bairro da Liberdade. Seguia à escola numa jardineira que vinha do Centro de São Bernardo e era dirigida por um motorista da família Pinotti. "As passagens eram pagas por mês, com um desconto. Mas era preciso que eu desse sempre lugar aos demais passageiros. Afinal, eu tinha desconto. No Moinho Velho subiam umas freiras, do colégio das irmãs, com aqueles chapéus grandes. A jardineira era pequena, e a gente tinha que desviar das irmãs."

O CASAMENTO
Ernesto Thomé casou-se com uma moça nascida em Ipauçu (SP), a bela Maria Patrizzi. Foi o segundo casamento da Paróquia de São João Batista - o primeiro casamento da paróquia foi o de Nelo Pessoni. Foi celebrante o padre Ugo Frent.

A cerimônia foi em 1º de maio de 1954, na antiga capelinha, que hoje não existe mais. Portanto, em maio próximo, Ernesto e Maria celebrarão 56 anos de vida em comum.

O casal tem sete filhos: Ângela Maria, Maria de Lourdes, Antonia do Carmo, Marina, Júlio, Gilberto e Maristela. Já são seis netos.

AMANHÃ EM MEMÓRIA
Mais histórias de Ernesto Thomé, que preserva um pé de cambuci na sua casa, em pleno centro do metropolitano Rudge Ramos.

Sexta-feira, 14 de março de 1980

Manchete - Figueiredo promete ação enérgica para deter a especulação

Campanha salarial - Metalúrgicos mobilizam-se.

São Bernardo - Jardim do Lago e Vila Esperança ganham creches comunitárias.

Editorial - Participação política é desafio a todos

Primeiro Plano (Eduardo Camargo) - A melhor defesa é o ataque

Polícia - Acidente misterioso na SP-31: comerciante morre a caminho de casa.

Trabalhadores
Nascem em 14 de março:

1893 - Luiz Carlioni. Italiano da Província de Revigo. Servente da Rhodia Química. Residência: Rua Rio Grande do Norte, 547, Vila Santa Terezinha.

1923 - Francisco Schutz. Iugoslavo. Torneiro-mecânico da CBC (Companhia Brasileira de Cartuchos). Residência: Rua São Carlos, 114.

Fonte: 1º livro de registros dos associados do Sindicato dos Químicos do ABC.

HOJE

Dia das Sociedades Amigos de Bairro do Estado de São Paulo, Dia Nacional da Poesia, Dia do Vendedor de Livros e Dia Mundial da Luta contra as Barragens e em Defesa dos Rios, a Água e a Vida.

Agenda da Fundação Pró-Memória de São Caetano

58 anos do grupo de escoteiros João Ramalho, pertencente ao clube da GMB (1952).

MUNICÍPIO PAULISTA

Batatais foi fundado em 14 de março de 1839.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ernesto Thomé, os 85 anos do filho do carvoeiro...

Da turma de Rudge Ramos, em São Bernardo, a presença de Ernesto Thomé, que hoje faz aniversário. São 85 anos

Ademir Medici
Do Diário do Grande ABC

14/03/2010 | 00:00


Da turma de Rudge Ramos, em São Bernardo, a presença de Ernesto Thomé, que hoje faz aniversário. São 85 anos vividos no bairro em que nasceu, o dos Meninos, nome anterior de Rudge Ramos.

NASCIMENTO
Ernesto Thomé nasceu na Estrada do Vergueiro, hoje trecho da Avenida Doutor Rudge Ramos, em 14 de março de 1925, filho de Júlio Fortunato Thomé e Angelina Morassi Thomé. Ele tem uma irmã mais velha, Lídia Ferrero Thomé, que nasceu em 1921.

"Fui criado como filho de um carvoeiro. Naquele tempo não tinha gás domiciliar. Era preciso fazer carvão ou negociar com mucutas. Meu pai comprava mata virgem em Piraporinha para isso. Piraporinha, naquele tempo, só tinha o armazém de secos e molhados da família Fabrini."

RAÍZES
O avô paterno de Ernesto Thomé nasceu em Treviso, na Itália, em 1872. Chamava-se Rafaele Thomé. Veio com os pais, Tommaso Thomé e Ângela Palu, e formaram entre os pioneiros do Núcleo Colonial de São Caetano, aberto em 1877.

Rafaele Thomé casou-se no Brasil com Ângela Montini, avó de nosso personagem.

ESTRADAS
A Estrada do Vergueiro vinha da Vila Mariana em direção a São Bernardo. No antigo bairro dos Meninos, corria paralela à Estrada do Mar, que levava a Santos. Corriam juntas no trecho da atual Avenida Doutor Rudge Ramos.

FRANCESES
Menino, Ernesto Thomé conheceu a família Jacquey, de origem francesa, cujos antigos batizam várias ruas no centro de Rudge Ramos.

"Era a Chácara da França ou dos Franceses, muito grande, que seguia pela Estrada do Vergueiro até a Rua Afonsina. Havia plantação de uva, caqui, laranja, jabuticaba. A casa sede dava de frente para o Largo dos Meninos, hoje Praça São João Batista. O único telefone do bairro ficava na chácara. Meu avô Rafaele, quando precisava comunicar-se com alguma autoridade em São Paulo, recorria ao telefone dos Jacquey. Conta-se que quando, do outro lado, atendia alguma autoridade, ele fazia seus cumprimentos tirando respeitosamente o chapéu."

O menino Ernesto adorava a Chácara dos Franceses, onde havia muitos cavalos e diversões verdadeiramente campestres. O cenário do bairro dos Meninos era rural, originado de uma linha colonial aberta em 1886.

NASCE UM GOLEIRO
Ernesto Thomé tinha 14 para 15 anos, já era alto. E foi com o pai assistir a um jogo no campo dos Meninos, ainda localizado na Estrada do Vergueiro. O adversário era o São João Clímaco.

Os adversários já estavam a postos, e o goleiro do Meninos FC faltou. Alguém sugeriu a Júlio Thomé: "Põe o garoto no gol." Seo Júlio concordou.

Havia chovido. A bola estava lisa. Mas Ernesto tinha o apoio do pai. Foi para o gol. Não lembra do resultado final da partida, nem se o seu time ganhou ou perdeu. Mas recorda das defesas que fez, muitas defesas.

Setenta anos depois, comenta: "Aquele era o dia do goleiro, tudo deu certo."

O TIME
E quem jogava pelo Meninos, clube fundado em 1935? Ernesto Thomé recorda de vários nomes, e o primeiro que cita é o de Tibúrcio. Nunca soube do nome completo de Tibúrcio, mas lembra que ele adorava jogar futebol. Jogava 90 minutos no segundo quadro, depois outros 90 minutos no time principal.

Havia também Demétrio Lorenzoni, Vicentão (Vicente Vechis), Agostinho Mantovani, Evódio Magnani, Pedro e Alcides Daré...

ESTUDOS
De manhã, Ernesto ajudava o pai na lide do carvão. Depois do meio-dia seguia para a escola. Fez até a sexta série no Colégio Santo Agostinho, no bairro da Liberdade. Seguia à escola numa jardineira que vinha do Centro de São Bernardo e era dirigida por um motorista da família Pinotti. "As passagens eram pagas por mês, com um desconto. Mas era preciso que eu desse sempre lugar aos demais passageiros. Afinal, eu tinha desconto. No Moinho Velho subiam umas freiras, do colégio das irmãs, com aqueles chapéus grandes. A jardineira era pequena, e a gente tinha que desviar das irmãs."

O CASAMENTO
Ernesto Thomé casou-se com uma moça nascida em Ipauçu (SP), a bela Maria Patrizzi. Foi o segundo casamento da Paróquia de São João Batista - o primeiro casamento da paróquia foi o de Nelo Pessoni. Foi celebrante o padre Ugo Frent.

A cerimônia foi em 1º de maio de 1954, na antiga capelinha, que hoje não existe mais. Portanto, em maio próximo, Ernesto e Maria celebrarão 56 anos de vida em comum.

O casal tem sete filhos: Ângela Maria, Maria de Lourdes, Antonia do Carmo, Marina, Júlio, Gilberto e Maristela. Já são seis netos.

AMANHÃ EM MEMÓRIA
Mais histórias de Ernesto Thomé, que preserva um pé de cambuci na sua casa, em pleno centro do metropolitano Rudge Ramos.

Sexta-feira, 14 de março de 1980

Manchete - Figueiredo promete ação enérgica para deter a especulação

Campanha salarial - Metalúrgicos mobilizam-se.

São Bernardo - Jardim do Lago e Vila Esperança ganham creches comunitárias.

Editorial - Participação política é desafio a todos

Primeiro Plano (Eduardo Camargo) - A melhor defesa é o ataque

Polícia - Acidente misterioso na SP-31: comerciante morre a caminho de casa.

Trabalhadores
Nascem em 14 de março:

1893 - Luiz Carlioni. Italiano da Província de Revigo. Servente da Rhodia Química. Residência: Rua Rio Grande do Norte, 547, Vila Santa Terezinha.

1923 - Francisco Schutz. Iugoslavo. Torneiro-mecânico da CBC (Companhia Brasileira de Cartuchos). Residência: Rua São Carlos, 114.

Fonte: 1º livro de registros dos associados do Sindicato dos Químicos do ABC.

HOJE

Dia das Sociedades Amigos de Bairro do Estado de São Paulo, Dia Nacional da Poesia, Dia do Vendedor de Livros e Dia Mundial da Luta contra as Barragens e em Defesa dos Rios, a Água e a Vida.

Agenda da Fundação Pró-Memória de São Caetano

58 anos do grupo de escoteiros João Ramalho, pertencente ao clube da GMB (1952).

MUNICÍPIO PAULISTA

Batatais foi fundado em 14 de março de 1839.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;