Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 27 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Populismo é maligno e termina mal, diz papa Francisco

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


09/03/2017 | 06:59


O papa Francisco advertiu nesta quinta-feira, 9, em uma entrevista ao jornal semanário alemão Die Zeit sobre os perigos do crescente populismo entre as democracias ocidentais.

"O populismo é maligno e termina mal, como demonstrou o século passado", disse o papa.

O pontífice também rechaçou qualquer tipo de culto em torno do papado e disse que ele é um crente normal normal como todos. "Não me vejo como nada especial. Sou um pecador, sou falível", afirmou o pontífice.

Na primeira grande entrevista do papa a um periódico alemão, foi perguntado se Francisco também teve momentos em que duvidara da existência de Deus. "Eu também conheci momentos de vazio", respondeu.

No entanto, o papa assinalou que os momentos de crise também são uma oportunidade de crescer e disse que um cristão que não os experimentar seguirá sendo "infantil". Fonte: Associated Press.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Populismo é maligno e termina mal, diz papa Francisco


09/03/2017 | 06:59


O papa Francisco advertiu nesta quinta-feira, 9, em uma entrevista ao jornal semanário alemão Die Zeit sobre os perigos do crescente populismo entre as democracias ocidentais.

"O populismo é maligno e termina mal, como demonstrou o século passado", disse o papa.

O pontífice também rechaçou qualquer tipo de culto em torno do papado e disse que ele é um crente normal normal como todos. "Não me vejo como nada especial. Sou um pecador, sou falível", afirmou o pontífice.

Na primeira grande entrevista do papa a um periódico alemão, foi perguntado se Francisco também teve momentos em que duvidara da existência de Deus. "Eu também conheci momentos de vazio", respondeu.

No entanto, o papa assinalou que os momentos de crise também são uma oportunidade de crescer e disse que um cristão que não os experimentar seguirá sendo "infantil". Fonte: Associated Press.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;