Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 26 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Antigo assessor de Paulo Eugenio apoia Atila e cria saia justa no PT

Anderson Silva/DGABC:  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Júnior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

27/08/2016 | 07:07


Militante histórico do PT de Mauá, Cláudio Pastor deixou o partido para apoiar o rival do petismo na eleição de outubro Atila Jacomussi (PSB). Por muitos anos, o agora ex-petista foi assessor do ex-vice-prefeito Paulo Eugenio Pereira Junior (PT), mas agora dispara contra o ex-correligionário e ataca o próprio prefeito Donisete Braga (PT).

“Donisete é o grande responsável pelo esvaziamento do PT. Ele tirou muita gente do partido e filiou em outras siglas para serem candidatos. No caso do Paulo Eugenio, é um caso à parte. O poder fez mal para ele, que começou a gostar de coisas que, no passado, ele reprovava”, disparou.

Fiel escudeiro dos caciques do PT mauaense, Cláudio Pastor atuou em diversos setores do governo nas administrações do ex-prefeito Oswaldo Dias (PT, 1997-2000, 2001-2004 e 2009-2012) e, até meses atrás, na gestão Donisete. No pleito de 2008, protagonizou emblemática cena de fidelidade aos líderes do partido, quando imobilizou eleitor, a pedido de Oswaldo, que fazia boca de urna justamente para o PT (foto). “Não interessa se votou em mim. Está errado e tem de ser preso”, ordenou o então prefeito na ocasião.

Hoje, oito anos depois, explícita mágoa do partido e do atual chefe do Executivo. “O PT de Mauá está deteriorado. Os apoios que o Donisete agregou (para esta eleição) me deixaram muito insatisfeito. A partir de então, ele começou a abandonar os aliados de primeira hora e privilegiar esses oportunistas”, criticou Cláudio, em referência a rivais históricos do PT que subirão no palanque de Donisete neste ano – casos dos vereadores Chiquinho do Zaíra, Sandra Vieira (ambos do PTdoB) e Alberto Betão Pereira Justino (PTB).

Sobre a polêmica desconstrução da candidatura de Oswaldo à reeleição e escolha de Donisete como prefeiturável em 2012, Cláudio Pastor é taxativo: “Foi um erro (trocar Oswaldo por Donisete). Talvez nós perderíamos a eleição, mas pelo menos continuaríamos com um partido forte. O Oswaldo zelava pelo futuro do PT.”

Cláudio não revelou seu futuro partidário. “Se o Atila achar por bem ingressar no PSB, eu aceito. Mas vou esperar o fim da eleição.”

Paulo Eugenio não quis se pronunciar sobre a mudança de seu ex-assessor. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Antigo assessor de Paulo Eugenio apoia Atila e cria saia justa no PT

Júnior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

27/08/2016 | 07:07


Militante histórico do PT de Mauá, Cláudio Pastor deixou o partido para apoiar o rival do petismo na eleição de outubro Atila Jacomussi (PSB). Por muitos anos, o agora ex-petista foi assessor do ex-vice-prefeito Paulo Eugenio Pereira Junior (PT), mas agora dispara contra o ex-correligionário e ataca o próprio prefeito Donisete Braga (PT).

“Donisete é o grande responsável pelo esvaziamento do PT. Ele tirou muita gente do partido e filiou em outras siglas para serem candidatos. No caso do Paulo Eugenio, é um caso à parte. O poder fez mal para ele, que começou a gostar de coisas que, no passado, ele reprovava”, disparou.

Fiel escudeiro dos caciques do PT mauaense, Cláudio Pastor atuou em diversos setores do governo nas administrações do ex-prefeito Oswaldo Dias (PT, 1997-2000, 2001-2004 e 2009-2012) e, até meses atrás, na gestão Donisete. No pleito de 2008, protagonizou emblemática cena de fidelidade aos líderes do partido, quando imobilizou eleitor, a pedido de Oswaldo, que fazia boca de urna justamente para o PT (foto). “Não interessa se votou em mim. Está errado e tem de ser preso”, ordenou o então prefeito na ocasião.

Hoje, oito anos depois, explícita mágoa do partido e do atual chefe do Executivo. “O PT de Mauá está deteriorado. Os apoios que o Donisete agregou (para esta eleição) me deixaram muito insatisfeito. A partir de então, ele começou a abandonar os aliados de primeira hora e privilegiar esses oportunistas”, criticou Cláudio, em referência a rivais históricos do PT que subirão no palanque de Donisete neste ano – casos dos vereadores Chiquinho do Zaíra, Sandra Vieira (ambos do PTdoB) e Alberto Betão Pereira Justino (PTB).

Sobre a polêmica desconstrução da candidatura de Oswaldo à reeleição e escolha de Donisete como prefeiturável em 2012, Cláudio Pastor é taxativo: “Foi um erro (trocar Oswaldo por Donisete). Talvez nós perderíamos a eleição, mas pelo menos continuaríamos com um partido forte. O Oswaldo zelava pelo futuro do PT.”

Cláudio não revelou seu futuro partidário. “Se o Atila achar por bem ingressar no PSB, eu aceito. Mas vou esperar o fim da eleição.”

Paulo Eugenio não quis se pronunciar sobre a mudança de seu ex-assessor. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;