Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 6 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Nem o Parque Celso Daniel está livre da escuridão

Falta de iluminação atinge diversos pontos de Santo André


Lukas Kenji
Especial para o Diário

25/01/2012 | 07:00


Santo André está às escuras. Pelo menos 14 bairros já foram afetados pela falta de manutenções na rede de iluminação pública que deixa centenas de moradores inseguros. Diante do problema, a Prefeitura afirma que criará mutirão para resolver o problema.

Moradores evitam sair de casa. Comércios e até parques fecham mais cedo. O medo é o resultado da falta de luz em ruas que já estão há mais de um mês no breu, como a Dardanelos, no Parque Novo Oratório.

"O sentimento é de pura indignação. Não há mais o que fazer porque já cansei de reclamar e nada ser feito pela Prefeitura", afirma o funcionário público Rodrigo Martins, 32 anos, que não terá o valor pago pela iluminação pública ressarcido, segundo a administração andreense. A explicação é que o direito não está previsto em lei.

A escuridão se generalizou por diversos pontos da cidade. Vários trechos das ruas do bairro Jardim estão na escuridão há semanas. Frequentadores e guardas-civis contaram que a falta de iluminação fez com que o Parque Celso Daniel fechasse mais cedo em vários dias, desde o início do ano.

A gente sai do trabalho tarde e quer ter lazer no parque, mas não dá mais tempo de fazer nada com o local fechando às 20h", reclama o piloto comercial Aquilino Gimenez, 53.

Desde domingo, o parque voltou a fechar às 22h, como de costume. Entretanto, pelo menos 25% da área ainda está no breu, o que impossibilita a atividade de frequentadores, que chegam a discutir com os guardas-civis municipais responsáveis pela vigilância.

À equipe do Diário, os guardas-civis disseram que cumprem ordens da Prefeitura, que teme pela falta de segurança.

Comerciantes da região reclamam. "Fico com receio, já roubaram carros por aqui e temo que os bandidos também ajam contra a gente", relata o farmacêutico Eleomar Moreira, 29, que trabalha até as 21h na Rua Caneleiras.

A Prefeitura informou que vai reforçar o contingente (não informado) de equipes para os serviços de reparos da iluminação pública. O órgão continua atribuindo o reconhecido excesso de demanda às chuvas que atingiram a cidade nas últimas semanas.

A administração não deu prazos para conclusão da licitação que contratará empresa para realizar reparos na iluminação.

Desde dezembro, após encerramento do contrato com a empresa FM Rodrigues, a Prefeitura assumiu o serviço temporariamente. E reconhece que não conseguem atender as ocorrências no prazo estipulado de 72 horas.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Nem o Parque Celso Daniel está livre da escuridão

Falta de iluminação atinge diversos pontos de Santo André

Lukas Kenji
Especial para o Diário

25/01/2012 | 07:00


Santo André está às escuras. Pelo menos 14 bairros já foram afetados pela falta de manutenções na rede de iluminação pública que deixa centenas de moradores inseguros. Diante do problema, a Prefeitura afirma que criará mutirão para resolver o problema.

Moradores evitam sair de casa. Comércios e até parques fecham mais cedo. O medo é o resultado da falta de luz em ruas que já estão há mais de um mês no breu, como a Dardanelos, no Parque Novo Oratório.

"O sentimento é de pura indignação. Não há mais o que fazer porque já cansei de reclamar e nada ser feito pela Prefeitura", afirma o funcionário público Rodrigo Martins, 32 anos, que não terá o valor pago pela iluminação pública ressarcido, segundo a administração andreense. A explicação é que o direito não está previsto em lei.

A escuridão se generalizou por diversos pontos da cidade. Vários trechos das ruas do bairro Jardim estão na escuridão há semanas. Frequentadores e guardas-civis contaram que a falta de iluminação fez com que o Parque Celso Daniel fechasse mais cedo em vários dias, desde o início do ano.

A gente sai do trabalho tarde e quer ter lazer no parque, mas não dá mais tempo de fazer nada com o local fechando às 20h", reclama o piloto comercial Aquilino Gimenez, 53.

Desde domingo, o parque voltou a fechar às 22h, como de costume. Entretanto, pelo menos 25% da área ainda está no breu, o que impossibilita a atividade de frequentadores, que chegam a discutir com os guardas-civis municipais responsáveis pela vigilância.

À equipe do Diário, os guardas-civis disseram que cumprem ordens da Prefeitura, que teme pela falta de segurança.

Comerciantes da região reclamam. "Fico com receio, já roubaram carros por aqui e temo que os bandidos também ajam contra a gente", relata o farmacêutico Eleomar Moreira, 29, que trabalha até as 21h na Rua Caneleiras.

A Prefeitura informou que vai reforçar o contingente (não informado) de equipes para os serviços de reparos da iluminação pública. O órgão continua atribuindo o reconhecido excesso de demanda às chuvas que atingiram a cidade nas últimas semanas.

A administração não deu prazos para conclusão da licitação que contratará empresa para realizar reparos na iluminação.

Desde dezembro, após encerramento do contrato com a empresa FM Rodrigues, a Prefeitura assumiu o serviço temporariamente. E reconhece que não conseguem atender as ocorrências no prazo estipulado de 72 horas.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;