Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 26 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Confusão em pizzaria deixa um morto

Edmilson Magalhães/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Willian Novaes
Do Diário do Grande ABC

23/04/2011 | 07:15


Bebida e arma de fogo não combinam. Isto está mais que provado. Na madrugada de ontem, uma confusão com direito a briga, prisão e tiros a esmo provocou a morte de uma pessoa e ferimentos em outras três na Vila Lutécia, em Santo André.

Os crimes ocorreram dentro de uma pizzaria na Avenida Dom Pedro I, na altura do número 3.200, enquanto os clientes aproveitavam a noite para comer, beber e cantar no karaokê do estabelecimento.

O policial militar Mario Augusto Mazuchi, 44 anos, que estava na companhia da sua mulher e armado com uma pistola 380 particular, discutiu com Marcos Amorim Domiciano, 31.

O motivo para as agressões seria que Domiciano teria mexido com a mulher de Mazuchi. Após bate-boca e agressões, Domiciano tomou a arma que o policial carregava e começou a disparar no salão, que estava com várias pessoas. Mazuchi foi alvejado por quatro disparos. 

MATOU O VIZINHO
Na confusão, Janio Ancelho de Oliveira, 37, que era vizinho e amigo do atirador, levou dois tiros e morreu ao dar entrada no Pronto-Socorro Central, em Santo André.

As outras vítimas foram Gildo José de Souza, 44, e Maria da Penha Oliveira, 47, que levaram um tiro cada. Todos foram socorridos e levados para o hospital e não correm risco de morrer.

A confusão apenas terminou quando o pedreiro Euclides Estevão da Silva, 32. partiu para cima do atirador e segurou a arma.

No meio do pânico que se instalou no local, Domiciano saiu correndo e se escondeu na casa de um amigo nas proximidades da pizzaria. Após denúncia de conhecidos, policiais militares foram até o local e encontram o acusado escondido na residência.

Segundo uma pessoa que não quis se identificar, o criminoso estava bêbado no momento das agressões. "O problema disso tudo é a droga. As pessoas não sabem se controlar e acabam fazendo essas besteiras", disse o homem.

A vítima fatal foi enterrada na tarde de ontem, no Cemitério Curuçá, em Santo André. O atirador foi preso em flagrante e vai responder pelos crimes de homicídio qualificado, tentativa de homicídio e lesão corporal.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Confusão em pizzaria deixa um morto

Willian Novaes
Do Diário do Grande ABC

23/04/2011 | 07:15


Bebida e arma de fogo não combinam. Isto está mais que provado. Na madrugada de ontem, uma confusão com direito a briga, prisão e tiros a esmo provocou a morte de uma pessoa e ferimentos em outras três na Vila Lutécia, em Santo André.

Os crimes ocorreram dentro de uma pizzaria na Avenida Dom Pedro I, na altura do número 3.200, enquanto os clientes aproveitavam a noite para comer, beber e cantar no karaokê do estabelecimento.

O policial militar Mario Augusto Mazuchi, 44 anos, que estava na companhia da sua mulher e armado com uma pistola 380 particular, discutiu com Marcos Amorim Domiciano, 31.

O motivo para as agressões seria que Domiciano teria mexido com a mulher de Mazuchi. Após bate-boca e agressões, Domiciano tomou a arma que o policial carregava e começou a disparar no salão, que estava com várias pessoas. Mazuchi foi alvejado por quatro disparos. 

MATOU O VIZINHO
Na confusão, Janio Ancelho de Oliveira, 37, que era vizinho e amigo do atirador, levou dois tiros e morreu ao dar entrada no Pronto-Socorro Central, em Santo André.

As outras vítimas foram Gildo José de Souza, 44, e Maria da Penha Oliveira, 47, que levaram um tiro cada. Todos foram socorridos e levados para o hospital e não correm risco de morrer.

A confusão apenas terminou quando o pedreiro Euclides Estevão da Silva, 32. partiu para cima do atirador e segurou a arma.

No meio do pânico que se instalou no local, Domiciano saiu correndo e se escondeu na casa de um amigo nas proximidades da pizzaria. Após denúncia de conhecidos, policiais militares foram até o local e encontram o acusado escondido na residência.

Segundo uma pessoa que não quis se identificar, o criminoso estava bêbado no momento das agressões. "O problema disso tudo é a droga. As pessoas não sabem se controlar e acabam fazendo essas besteiras", disse o homem.

A vítima fatal foi enterrada na tarde de ontem, no Cemitério Curuçá, em Santo André. O atirador foi preso em flagrante e vai responder pelos crimes de homicídio qualificado, tentativa de homicídio e lesão corporal.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;